Posts tagged ‘Sagrado Coração de Jesus’

Oração – de São Pedro Julião Eymard

image

Que o coração ardente de Amor de Jesus vos seja força, asilo, centro e calvário, que seja o túmulo do vosso ser, e depois a ressurreição, a vida, a glória…
Coragem! Tende o coração sempre no alto; que o espírito seja livre para carregar as tristezas, cantando o amor do tempo e da Pátria eterna.

13 de novembro de 2016 at 20:21 Deixe um comentário

Novena do Sagrado Coração de Jesus

img_20161007_065009428.jpg

Oração para todos os dias

Ó Jesus no seu Sagrado Coração eu confio as minhas intenções nesta novena:

(Coloque a sua intenção agora)

Sagrado Coração de Jesus, fonte de todo bem e de toda as graças, onde procurarei a não ser no tesouro que contém todas as riquezas de Vossa clemência e bondade?
Onde baterei, a não ser à porta do Vosso Coração, pelo qual o próprio Pai vem a nós, e nós vamos a Ele?
A Vós pois, Sagrado Coração de Jesus, recorremos.
Em vós, Sagrado Coração de Jesus, encontro consolação quando aflito, proteção quando perseguido, força quando oprimido de tristeza.
No Teu Coração Jesus, encontro luz, quando envolto nas trevas da dúvida.

Sagrado Coração de Jesus, eu tenho confiança em vós.
Doce Coração de Jesus, sede o meu amor.
Doce Coração de Maria, sede a minha salvação.
Amado seja por toda a parte o Sagrado Coração de Jesus.
Sagrado Coração de Jesus, venha a nós o Vosso reino.
Sagrado Coração de Jesus, eu tenho confiança em Vós e por isso nesta novena e neste momento repito o meu pedido:

(Diga novamente sua intenção)

Sagrado Coração de Jesus, eu tenho confiança em Vós.
Sagrado Coração de Jesus, creio em Vosso amor para comigo.
Sagrado Coração de Jesus, coloque em nosso coração os sentimentos que tiveste: amor, paz, perdão e obediência ao Eterno Pai.
Jesus, manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao Vosso. Amém.

Fonte do texto: Site do Padre Reginaldo Manzotti

11 de outubro de 2016 at 5:14 Deixe um comentário

“Sagrado Coração de Jesus”

Das Obras de São boaventura, bispo
(Opusculum 3, Lignum vitae, 29-30.47) (Sec. XIII)

Considera, ó homem redimido, quem é Aquele que por ti está pregado na cruz, qual a sua dignidade e grandeza. A sua morte dá vida aos mortos; na sua morte, choram os céus e a terra e fendem-se até os rochedos mais duros.

Para que do lado de Cristo morto na cruz se formasse a Igreja e se cumprisse a palavra da Escritura que diz: Hão-de olhar para Aquele que trespassaram, a divina providência permitiu que um dos soldados Lhe abrisse com a lança o lado sacrossanto e dele fizesse brotar sangue e água. Este é o preço da nossa salvação, saído daquela divina fonte, isto é, do íntimo do seu Coração, para dar aos sacramentos da Igreja o poder de conferir a vida da graça e se tornar para aqueles que vivem em Cristo uma fonte de água viva que jorra para a vida eterna.

Levanta-te, tu que amas a Cristo, sê como a pomba que faz o seu ninho na alta caverna do rochedo, e aí, como o pássaro que encontrou a sua morada, não cesses de estar vigilante; aí esconde como a rola os filhos nascidos do casto amor; aí, aproxima os teus lábios para beber a água viva das fontes do Salvador. Porque esta é a fonte que brota do meio do paraíso e, dividida em quatro rios, se derrama nos corações dos fiéis para irrigar e fecundar toda a terra.

Acorre a esta fonte de vida e de luz com toda a confiança, quem quer que sejas tu, ó alma consagrada a Deus, e exclama com todas as forças do teu coração: «Oh inefável beleza do Deus Altíssimo, esplendor puríssimo da luz eterna, vida que vivifica toda a vida, luz que ilumina toda a luz e conserva em fulgor perpétuo a multidão dos astros, que desde a primeira aurora resplandecem diante do trono da vossa divindade!

Oh eterno e inacessível, límpido e doce manancial daquela fonte que está escondida aos olhos de todos os mortais! Sois profundidade sem fundo, altura sem limites, vastidão sem medida, pureza sem mancha.

De ti procede o rio que alegra a cidade de Deus, para que, entre vozes de louvor e alegria da multidão em festa, possamos cantar hinos de louvor ao vosso nome, sabendo por experiência que em Vós está a fonte da vida e na vossa luz veremos a luz.

Fonte: Vaticano

10 de julho de 2016 at 5:52 Deixe um comentário

6 de junho de 2016 at 19:08 Deixe um comentário

«SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS»

Das Obras de São boaventura, bispo
(Opusculum 3, Lignum vitae, 29-30.47) (Sec. XIII)

Considera, ó homem redimido, quem é Aquele que por ti está pregado na cruz, qual a sua dignidade e grandeza. A sua morte dá vida aos mortos; na sua morte, choram os céus e a terra e fendem-se até os rochedos mais duros.

Para que do lado de Cristo morto na cruz se formasse a Igreja e se cumprisse a palavra da Escritura que diz: Hão-de olhar para Aquele que trespassaram, a divina providência permitiu que um dos soldados Lhe abrisse com a lança o lado sacrossanto e dele fizesse brotar sangue e água. Este é o preço da nossa salvação, saído daquela divina fonte, isto é, do íntimo do seu Coração, para dar aos sacramentos da Igreja o poder de conferir a vida da graça e se tornar para aqueles que vivem em Cristo uma fonte de água viva que jorra para a vida eterna.

Levanta-te, tu que amas a Cristo, sê como a pomba que faz o seu ninho na alta caverna do rochedo, e aí, como o pássaro que encontrou a sua morada, não cesses de estar vigilante; aí esconde como a rola os filhos nascidos do casto amor; aí, aproxima os teus lábios para beber a água viva das fontes do Salvador. Porque esta é a fonte que brota do meio do paraíso e, dividida em quatro rios, se derrama nos corações dos fiéis para irrigar e fecundar toda a terra.

Acorre a esta fonte de vida e de luz com toda a confiança, quem quer que sejas tu, ó alma consagrada a Deus, e exclama com todas as forças do teu coração: «Oh inefável beleza do Deus Altíssimo, esplendor puríssimo da luz eterna, vida que vivifica toda a vida, luz que ilumina toda a luz e conserva em fulgor perpétuo a multidão dos astros, que desde a primeira aurora resplandecem diante do trono da vossa divindade!

Oh eterno e inacessível, límpido e doce manancial daquela fonte que está escondida aos olhos de todos os mortais! Sois profundidade sem fundo, altura sem limites, vastidão sem medida, pureza sem mancha.

De ti procede o rio que alegra a cidade de Deus, para que, entre vozes de louvor e alegria da multidão em festa, possamos cantar hinos de louvor ao vosso nome, sabendo por experiência que em Vós está a fonte da vida e na vossa luz veremos a luz.

Fonte: Vaticano

6 de junho de 2016 at 5:09 Deixe um comentário

Sagrado Coração de Jesus – 03 de Junho de 2016

O culto à humanidade de Cristo e ao Seu Coração, que sempre existiu na Igreja, conheceu um grande incremento a partir das revelações privadas a Santa Margarida Maria Alacoque (1673-75), as quais despertaram entre os cristãos uma consciência mais viva do mistério do amor de Cristo.
A devoção ao Sagrado Coração de Jesus foi reconhecida pela Igreja cerca de um século mais tarde: em 1765, Clemente XIII aprovou a Solenidade do Sagrado Coração e, em 1856, Pio IX inseriu-a no calendário da Igreja universal.
A devoção ao Coração de Jesus foi “um meio providencial” pra a renovação da vida cristã. Com efeito, certas doutrinas tinham desfigurado uma das verdades essenciais ao cristianismo – o amor de Deus para com todos os homens. Pela devoção ao Sagrado Coração, o Povo de Deus reagiu “contra uma concepção demasiado rigorista das relações entre Deus e o homem – concepção que, levada às últimas consequências, seria o renascer da ideia pagã de um Deus vingador e, portanto, a anulação da história da salvação e da incessante misericórdia divina” (Thierry Maertens).
Levando-nos a amar a Cristo e a compartilhar do Seu amor pelo Pai e pelos homens, a devoção ao Coração de Jesus leva-nos também a promover aquela solidariedade universal que é uma exigência da fraternidade. O mistério do Coração de Cristo torna-se, assim, o caminho para a plena libertação do homem, libertação tantas vezes procurada através de caminhos que só conduzem à degradação da mesma dignidade humana.

Fonte: Missa Popular Dominical , 1998

3 de junho de 2016 at 4:14 Deixe um comentário

Evangelho de São João 19, 31-37 – para os irmãos de língua espanhola

31.Era el día de la Preparación de la Pascua. Los judíos pidieron a Pilato que hiciera quebrar las piernas de los crucificados y mandara retirar sus cuerpos, para que no quedaran en la cruz durante el sábado, porque ese sábado era muy solemne.

32.Los soldados fueron y quebraron las piernas a los dos que habían sido crucificados con Jesús.

33.Cuando llegaron a él, al ver que ya estaba muerto, no le quebraron las piernas,

34.sino que uno de los soldados le atravesó el costado con la lanza, y en seguida brotó sangre y agua.

35.El que vio esto lo atestigua: su testimonio es verdadero y él sabe que dice la verdad, para que también ustedes crean.

36.Esto sucedió para que se cumpliera la Escritura que dice: No le quebrarán ninguno de sus huesos.

37.Y otro pasaje de la Escritura, dice: Verán al que ellos mismos traspasaron.

12 de junho de 2015 at 11:05 Deixe um comentário

Posts antigos


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 198 outros seguidores

Categorias