Archive for junho, 2015

Sonhos de Deus – Padre Marcelo Rossi

Anúncios

30 de junho de 2015 at 8:38 Deixe um comentário

Frases da Beata Madre Teresa de Calcutá, fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade – 02


1-“Para nos tornarmos santos, precisamos de humildade e oração”.
2-“A alegria é oração. A alegria é força. A alegria é amor”.
3-“Se fores santo, agradece a Deus; se fores pecador, não te fiques por aí. Cristo diz-te para aspirares muito alto: não para seres como Abraão ou David, ou como qualquer outro santo, mas como o nosso Pai celeste (Mt 5,48)”.
4-“Tanto a humildade como a oração provêm de um ouvido, de uma inteligência e de uma língua que provaram o silêncio junto de Deus, pois Deus fala no silêncio do coração”.
5-“Todos temos um desejo ardente do céu, onde Deus Se encontra”.
6-“Esforcemo-nos verdadeiramente por aprender a lição de santidade de Jesus, cujo coração era manso e humilde”.
7-“Não há melhor maneira de manifestarmos a nossa gratidão a Deus e aos homens do que tudo aceitando com alegria. Um coração ardente de amor é necessariamente um coração alegre”.
8-“Não vale a pena perder tempo a contemplar inutilmente as nossas misérias; trata-se, isso sim, de elevar o coração a Deus e deixar que a Sua luz nos ilumine”.
9-“Não permitais nunca que a tristeza vos invada, a ponto de vos fazer esquecer a alegria de Cristo ressuscitado”.

10-“Esta felicidade imediata com Ele (Deus) significa amar como Ele ama, ajudar como Ele ajuda, dar como Ele dá, servir como Ele serve, socorrer como Ele socorre, permanecer com Ele em todas as horas do dia, tocar o seu próprio Ser por trás do rosto da aflição humana”.
11-“Se fores humilde, nada te afectará, nem a lisonja, nem a desgraça, pois saberás o que és”.
12-“”O fruto do silêncio é a oração; o fruto da oração é a fé; o fruto da fé é o amor; o fruto do amor é o serviço, o fruto do serviço é a paz”.

30 de junho de 2015 at 8:26 Deixe um comentário

Papa Francisco visita Papa Bento XVI; férias de Verão alteram atividades do Papa

2015-06-30 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco foi, na manhã desta terça-feira (30/06), até o Mosteiro Ecclesia Mater nos Jardins Vaticanos, onde saudou o Papa emérito, que partiu para Castelgandolfo. Bento XVI ficará na residência pontifícia até o próximo dia 14 de julho. O encontro desta manhã durou cerca de meia hora e marcou o início das atividades de Verão no Vaticano.

Audiências e missas

As Audiências gerais da quarta-feira estão suspensas durante todo o mês de julho. Em agosto, elas serão retomadas na Sala Paulo VI. Com exceção para a já prevista audiência da próxima sexta-feira, dia 3, com a Renovação Carismática na Praça São Pedro, todas as demais audiências estão suspensas. O único compromisso público do Papa neste período, quando estiver no Vaticano, segue sendo o Angelus de Domingo. As missas matutinas do Papa com os grupos de fiéis na Casa Santa Marta estão suspensas nos meses de julho e agosto. Serão retomadas em setembro. (RB)

30 de junho de 2015 at 8:22 Deixe um comentário

Oração à Nossa Senhora – de São Francisco de Assis

Saudação à Mãe de Deus

Salve, ó Senhora santa, Rainha santíssima, Mãe de Deus, ó Maria, que sois Virgem feita igreja, eleita pelo santíssimo Pai celestial, que vos consagrou por seu santíssimo e dileto Filho e o Espírito Santo Paráclito! Em vós residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem! Salve, ó palácio do Senhor! Salve, ó tabernáculo do Senhor! Salve, ó morada do Senhor! Salve, ó manto do Senhor! Salve, ó serva do Senhor! Salve, ó Mãe do Senhor, e salve vós todas, ó santas virtudes derramadas, pela graça e iluminação do Espírito Santo, nos corações dos fiéis transformando-os de infiéis em servos fiéis de Deus!

Fonte: Site do Convento da Penha

29 de junho de 2015 at 19:03 Deixe um comentário

Décimo Quarto Domingo do Tempo Comum – Um profeta só não é estimado em sua pátria – São Marcos 6, 1-6 – Dia 05 de Julho


1. Depois, ele partiu dali e foi para a sua pátria, seguido de seus discípulos.
2. Quando chegou o dia de sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos o ouviam e, tomados de admiração, diziam: Donde lhe vem isso? Que sabedoria é essa que lhe foi dada, e como se operam por suas mãos tão grandes milagres?
3. Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito.
4. Mas Jesus disse-lhes: Um profeta só é desprezado na sua pátria, entre os seus parentes e na sua própria casa.
5. Não pôde fazer ali milagre algum. Curou apenas alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.
6. Admirava-se ele da desconfiança deles. E ensinando, percorria as aldeias circunvizinhas.

“Fixemos os olhos e o coração em Jesus, que nos acolhe e nos alimenta com sua Palavra e com a Eucaristia. Rejeitado em sua própria terra pelos seus, o Senhor sabe se compadecer das nossas necessidades, fraquezas e angústias e nos fortalece com sua graça. Celebrando sua Páscoa, reconheçamos que Deus nos fala também por meio dos simples e dos pobres”. (Liturgia Diária)
O Papa Francisco disse assim: “No momento em que Jesus volta para o seu povoado, Nazaré, e fala na sinagoga, salientam-se o assombro dos seus compatriotas pela sua sabedoria, e a interrogação que levantam: «Não é ele o filho do carpinteiro?» (13, 55).
O Papa Emérito Bento XVI dirigiu-se  em oração à Virgem Maria assim: “Apesar de toda a grandeza e alegria do primeiro início da atividade de Jesus, Vós, já na Sinagoga de Nazaré, tivestes de experimentar a verdade da palavra sobre o « sinal de contradição » (Lc 4,28s). Assim, vistes o crescente poder da hostilidade e da rejeição que se ia progressivamente afirmando à volta de Jesus até à hora da cruz, quando tivestes de ver o Salvador do mundo, o herdeiro de David, o Filho de Deus morrer como um falido, exposto ao escárnio, entre os malfeitores. Acolhestes então a palavra: « Mulher, eis aí o teu filho » (Jo 19,26).
“Encarnado na realidade do povo, Jesus não é compreendido nem aceito por muitos”. (Liturgia Diária)
O Padre Luiz Carlos de Oliveira disse que “essa rejeição a Deus é fruto da dureza do coração, como podemos ler no profeta Ezequiel que ouviu de Deus esta recriminação: “Filho do homem, eu te envio aos israelitas, nação de rebeldes, que se afastaram de mim. Eles e seus pais se revoltaram contra mim até o dia de hoje. A estes filhos de cabeça dura e coração de pedra, vou enviar-te… Quer escutem, quer não – pois são um bando de rebeldes – ficarão sabendo que houve um profeta entre eles” (Ez 2,3-5)”.
“O autêntico profeta, com frequência, é rejeitado pela sociedade injusta”. (Liturgia Diária)
Dom Henrique Soares da Costa disse que “o mundo não-crente, seculartizado zomba de nós e já não crê no anúncio de Cristo que lhe fazemos. Sentimos isso na pele! Pois bem, quando experimentarmos a frieza e a dura rejeição, quando em casa, no trabalho, nos círculos de amizades, formos ignorados ou ridicularizados por sermos de Cristo, recordemos do Evangelho de hoje, recordemo-nos dos sofrimentos dos apóstolos e retomemos a esperança: o caminho de Cristo é também o nosso; se sofrermos com ele, com ele reinaremo; se morrermos com ele, com ele viveremos (2Tm 2,11-12).
O Padre Roger Araújo ensinou que  “muitas vezes, os profetas por meio dos quais Deus quer nos falar estão na nossa própria casa, na nossa família, como quando a mãe aconselha o filho e a esposa (o) ao marido, vice-versa”.
Conclusão
“Um pouco mais de humildade, de docilidade e de abertura para a graça de Deus nos ajudará a compreender e a acolher quando o Senhor quer falar a nós pela boca daqueles que são mais próximos de nós. O Senhor nos fala, mas pode ser que eu e você desprezemos e não prestemos atenção ao meio por intermédio do qual Ele quer chegar até nós”. (Padre Roger Araújo- CN)

Oração
Senhor, envia-me o Espírito Santo para que eu possa ter um coração dócil à Tua Palavra, aos Teus ensinamentos. Abra, Senhor meus ouvidos para sempre estar atento ao que Tu me quiseres falar. E que eu possa reconhecer os verdadeiros profetas, que são enviados por Ti, para mostrar-me o caminho da salvação!
Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

29 de junho de 2015 at 10:04 Deixe um comentário

Santos Pedro e Paulo são nossos guias na fé, diz Papa Francisco

2015-06-29 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Milhares de fiéis e peregrinos rezaram com o Papa Francisco o Angelus na Praça São Pedro nesta, segunda-feira (29/06), Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo. A Igreja no Brasil celebrou esta solenidade no último domingo (28/06). O pontífice disse que este dia é vivido com particular alegria pela Igreja de Roma, “porque em seu testemunho, sigilado com o sangue, ela se fundamenta”.

“Roma tem um afeto especial e reconhecimento por estes homens de Deus que vieram de uma terra distante para anunciar o Evangelho de Cristo ao qual se dedicaram totalmente. A herança gloriosa desses dois Apóstolos é motivo de orgulho espiritual para Roma e ao mesmo tempo é um chamado a viver as virtudes cristãs, de maneira particular a fé e a caridade: a fé em Jesus como Messias e Filho de Deus, que Pedro professou por primeiro e Paulo anunciou aos gentios, e a caridade que esta Igreja é chamada a servir com horizonte universal.”

Devoção

Francisco recordou também a figura de Maria, imagem viva da Igreja, esposa de Cristo, que os dois Apóstolos fecundaram com o seusangue. “Pedro conheceu pessoalmente a Mãe de Deus e na conversa com ela, especialmente nos dias que precederam o Pentecostes, ele aprofundou o conhecimento do mistério de Cristo. Paulo, ao anunciar o cumprimento do desígnio salvífico na plenitude dos tempos, recordou a mulher da qual o Filho de Deus nasceu.”

“Na evangelização feita pelos dois Apóstolos aqui em Roma estão também as raízes da devoção profunda e secular dos romanos para com a Virgem, invocada especialmente como Salus Populi Romani. Maria, Pedro e Paulo são os nossos companheiros de viagem na busca de Deus. São os nossos guias no caminho da fé e santidade. Invoquemos a sua ajuda para que o nosso coração possa sempre estar aberto às sugestões do Espírito Santo e ao encontro com os irmãos”, sublinhou o Papa.

Pálio

Francisco disse aos fiéis que celebrou a missa esta manhã na Basílica de São Pedro, na qual abençoou o pálio dos Arcebispos Metropolitanos provenientes de várias partes do mundo. O Papa disse aos arcebispos na missa que o pálio, além de aumentar os laços de comunhão com a Sé de Pedro é um estímulo para um serviço cada vez mais generoso às pessoas confiadas ao seu zelo pastoral.

Ecumenismo

O Santo Padre recordou que na celebração saudou os membros da delegação que veio a Roma em nome do Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, para participar da Solenidade dos Santos Pedro e Paulo. “Esta presença é sinal dos laços fraternos existentes entre as nossas Igrejas. Rezemos para que se reforce entre nós o caminho da unidade”, disse Francisco.

“A nossa oração hoje é sobretudo para a cidade de Roma, para o seu bem-estar espiritual e material: Que a graça divina sustente todo o povo romano para que viva plenamente a fé cristã, testemunhada com o ardor intrépido dos Santos Pedro e Paulo”, destacou.

Depois da oração do Angelus, o Papa saudou com afeto os fiéis de Roma e as famílias, paróquias, associações provenientes da Itália e de várias partes do mundo. Saudou também os estudantes das escolas católicas dos Estados Unidos e da Escócia, e fez votos para a tradicional queima de fogos que se realizará esta noite no Castel Sant’Angelo. A soma arrecadada ajudará uma iniciativa de caridade na Terra Santa e no Oriente Médio. (MJ)

29 de junho de 2015 at 9:58 Deixe um comentário

Eucaristia,Tornar-se num só pão, num só corpo – Sermão de Santo Agostinho

Este pão que vedes sobre o altar, consagrado pela palavra de Deus, é o corpo de Cristo. Este cálice consagrado pela palavra de Deus, ou melhor, o que ele contém, é o sangue de Cristo. Nestes elementos, o Senhor quis oferecer à nossa veneração, ao nosso amor, o seu corpo e o seu sangue, que derramou pela remissão dos nossos pecados. Se os recebestes com boas disposições, tornastes-vos naquilo que recebestes. Diz o Apóstolo: «Todos nós somos um só pão, um só corpo» (Cor 10,17).

Este pão recorda-vos que deveis amar a unidade. Pois este pão foi porventura feito de um só grão? Não existia nele, no princípio, uma quantidade de grãos de trigo? Antes de tomar a forma de pão, os grãos estavam separados; foi a água que os uniu, depois de serem moídos. Se o trigo não for moído e embebido em água, não se lhe pode dar a forma de pão. Do mesmo modo, foi-vos necessário passar pela humilhação dos jejuns e pelo exorcismo dos escrutínios; depois, fostes lavados pela água do baptismo, que vos penetrou a fim de vos fazer tomar a forma de pão. Como aparece aqui representado o fogo? Pelo santo crisma, porque o óleo que alimenta o nosso fogo é o sacramento do Espírito Santo. […] No dia de Pentecostes, o Espírito Santo revelou-Se sob a forma de línguas de fogo. […] Portanto, o Espírito Santo aparece como o fogo depois da água; e vós sois transformados neste pão que é o corpo de Cristo. Este sacramento é, portanto, um símbolo da unidade.

Fonte: Evangelho Quotidiano

28 de junho de 2015 at 11:19 Deixe um comentário

Posts antigos


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 214 outros seguidores

Categorias