Archive for março, 2016

Papa Francisco no Twitter

1/03/2016
O fenômeno migratório põe um sério interrogativo cultural, ao qual não nos podemos eximir de responder.
30/03/2016
Se nos abrirmos ao acolhimento da Misericórdia de Deus por nós, tornar-nos-emos por nossa vez capazes de perdão.
29/03/2016
Jesus nos mostra que o poder de Deus não significa destruição, mas amor; a justiça de Deus não significa vingança, mas misericórdia.
28/03/2016
Cada cristão é um «Cristóvão», isto é, um portador de Cristo!
27/03/2016
Jesus Cristo ressuscitou! O amor venceu o ódio, a vida venceu a morte, a luz expulsou as trevas!

31 de março de 2016 at 11:09 Deixe um comentário

Jesus Ressuscitou ! Aleluia!

Fonte: Canção Nova

 

Jesus Ressuscitou

31 de março de 2016 at 5:23 Deixe um comentário

Mãe da Misericórdia – texto extraído da Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia

24. O pensamento volta-se agora para a Mãe da Misericórdia. A doçura do seu olhar nos acompanhe neste Ano Santo, para podermos todos nós redescobrir a alegria da ternura de Deus. Ninguém, como Maria, conheceu a profundidade do mistério de Deus feito homem. Na sua vida, tudo foi plasmado pela presença da misericórdia feita carne. A Mãe do Crucificado Ressuscitado entrou no santuário da misericórdia divina, porque participou intimamente no mistério do seu amor.

Escolhida para ser a Mãe do Filho de Deus, Maria foi preparada desde sempre, pelo amor do Pai, para ser Arca da Aliança entre Deus e os homens. Guardou, no seu coração, a misericórdia divina em perfeita sintonia com o seu Filho Jesus. O seu cântico de louvor, no limiar da casa de Isabel, foi dedicado à misericórdia que se estende « de geração em geração » (Lc 1, 50). Também nós estávamos presentes naquelas palavras proféticas da Virgem Maria. Isto servir-nos-á de conforto e apoio no momento de atravessarmos a Porta Santa para experimentar os frutos da misericórdia divina.

Ao pé da cruz, Maria, juntamente com João, o discípulo do amor, é testemunha das palavras de perdão que saem dos lábios de Jesus. O perdão supremo oferecido a quem O crucificou, mostra-nos até onde pode chegar a misericórdia de Deus. Maria atesta que a misericórdia do Filho de Deus não conhece limites e alcança a todos, sem excluir ninguém. Dirijamos-Lhe a oração, antiga e sempre nova, da Salve Rainha, pedindo-Lhe que nunca se canse de volver para nós os seus olhos misericordiosos e nos faça dignos de contemplar o rosto da misericórdia, seu Filho Jesus.

E a nossa oração estenda-se também a tantos Santos e Beatos que fizeram da misericórdia a sua missão vital. Em particular, o pensamento volta-se para a grande apóstola da Misericórdia, Santa Faustina Kowalska. Ela, que foi chamada a entrar nas profundezas da misericórdia divina, interceda por nós e nos obtenha a graça de viver e caminhar sempre no perdão de Deus e na confiança inabalável do seu amor.

Papa Francisco em 11 de Abril  de 2015

Fonte: Vaticano

31 de março de 2016 at 5:07 1 comentário

Audiência: Deus é maior que os nossos pecados

2016-03-30 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Mais de 30 mil pessoas participaram da Audiência Geral desta quarta-feira (30/03), na Praça S. Pedro, ainda enfeitada com as flores para o dia de Páscoa.

Em sua catequese, o Papa Francisco encerrou a série sobre a misericórdia no Antigo Testamento, meditando sobre o Salmo 51, chamado Miserere.

Trata-se de uma oração penitencial, precedida de uma confissão de culpa, na qual o orante deixa-se purificar pelo amor de Deus que o torna uma nova criatura. A tradição atribui este Salmo ao Rei Davi que, após ter cometido adultério com Betsabeia, fazendo que o marido desta, Urias, fosse morto, é ajudado pelo profeta Natã a reconhecer a sua culpa diante de Deus.

O Salmo tem início com palavras de súplicas: “Ó Deus, tem piedade de mim, conforme a tua misericórdia; no teu grande amor cancela o meu pecado. Lava-me de toda a minha culpa, e purifica-me de meu pecado”.

Verdade

Nesta oração, manifesta-se a verdadeira necessidade do homem: a única coisa de que realmente necessitamos na nossa vida é ser perdoados, libertados do mal e das suas consequências.

Assim, neste Salmo, somos convidados a ter os mesmos sentimentos de Davi, reconhecendo a nossa miséria, certos da misericórdia do Senhor. “Deus é maior que os nossos pecados”, afirmou Francisco, repetindo esta frase inúmeras vezes e convidando a multidão a fazer o mesmo.

Fidelidade do Pai

“Deus, que nunca nos abandona, ao perdoar, cancela os nossos pecados, faz de nós novas criaturas.” E o Papa se dirigiu aos fiéis para perguntar se havia alguém que não tinha pecados.

Portanto, nós, pecadores perdoados, podemos até mesmo ensinar aos outros a não pecarem mais. “A dignidade que o perdão de Deus nos dá é levantar-se depois de um pecado”, explicou o Pontífice, citando o Salmista: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, renova em mim um espírito resoluto. Quero ensinar teus caminhos aos que erram e a ti voltarão os pecadores”.

O Papa então concluiu: “Todo pecador perdoado é chamado a compartilhar com cada irmão e irmã que encontra este dom, pois todos são, como nós, necessitados da misericórdia de Deus. O perdão purifica o coração e transforma a vida”.

(BF)

30 de março de 2016 at 7:37 Deixe um comentário

A Divina Misericórdia e Santa Faustina

Maria Faustina Kowalska, ou, simplesmente, Santa Faustina (Lodz, 25 de Agosto de 1905 – Cracóvia, 5 de Outubro de 1935) foi uma religiosa e mística polaca.

Conhecida como “apóstola da Divina Misericórdia”, é considerada pelos teólogos como fazendo parte de um grupo de notáveis místicos da Igreja Católica. Entrou para a vida religiosa em 1924 na congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia.

Um dos seus confessores, Padre Sopocko, exigiu de Santa Faustina que escrevesse as suas vivências num diário espiritual. Este diário compõe-se de alguns cadernos. Desta forma, não por vontade própria, mas por exigência de seu confessor, ela deixou a descrição das suas vivências místicas, que ocupa algumas centenas de páginas.

Foi canonizada a 30 de Abril de 2000, pelas mãos de João Paulo II que igualmente instituiu a Festa da Divina Misericórdia.

Fonte: Evangelho Quotidiano

30 de março de 2016 at 5:55 Deixe um comentário

Jesus Misericordioso

FullSizeRender(9)

Jesus, Tu és:

Deus

Salvação

Ressurreição

Compaixão

Acolhimento

Esperança

Senhor

Protetor

Amigo

Vencedor

Libertador

Rei

Misericórdia

Perdão

Amor

 

Jane Amábile

30 de março de 2016 at 5:28 Deixe um comentário

Papa no Regina Coeli: “Cristo nos dá força para nos levantarmos”

2016-03-28 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Na primeira recitação do Regina Coeli deste ano, a oração mariana que substitui o Angelus até a Festa de Pentecostes, o Papa disse que “nossos corações ainda estão repletos da alegria pascal” nesta segunda-feira depois da Páscoa, chamada “Segunda-feira do Anjo”.

“A vida venceu a morte. A Misericórdia e o amor venceram o pecado! Há necessidade de fé e de esperança para se abrir a este novo e maravilhoso horizonte. E nós sabemos que a fé e a esperança são um dom de Deus, e devemos pedir a Ele: ‘Senhor, doai-me a fé, doai-me a esperança! Precisamos tanto!’ Deixemo-nos invadir pelas emoções que ressoam na sequência pascal: ‘Sim, estamos certos: Cristo ressuscitou verdadeiramente. Ele está vivo no meio de nós’”, recordou Francisco.

Cristo, força para se reerguer

“Esta verdade marcou indelevelmente as vidas dos Apóstolos – continuou o Pontífice – que, depois da ressurreição, sentiram novamente a necessidade de seguir o seu Mestre e, recebido o Espírito Santo, saíram sem medo para anunciar a todos o que tinham visto com seus próprios olhos e experimentado pessoalmente”.

“Se Cristo ressuscitou, podemos olhar com olhos e corações novos a todos os eventos da nossa vida, até mesmo aqueles mais negativos. Os momentos de escuridão, de fracasso e pecado podem se transformar e anunciar um caminho novo. Quando chegamos ao fundo da nossa miséria e da nossa fraqueza, Cristo ressuscitado nos dá a força para levantarmos”, encorajou o Papa.

O silêncio de Maria

“O Senhor crucificado e ressuscitado é a plena revelação da misericórdia – afirmou ainda o Papa – presente e ativa na história. Esta é a mensagem pascal que ainda ressoa hoje e que vai ressoar em todo o tempo da Páscoa até Pentecostes”.

Ao falar novamente do silêncio e da espera de Maria pela ressurreição, que permaneceu aos pés da Cruz e não se dobrou diante da dor, ao contrário, a fé de Nossa Senhora a tornou ainda mais forte, Francisco disse:

“No seu coração dilacerado de mãe permaneceu sempre acesa a chama da esperança. Peçamos a Ela que também nos ajude a aceitarmos plenamente o anúncio pascal da Ressurreição, para encarná-lo na realidade de nossas vidas diárias”, pediu o Papa, para então concluir:

“Que a Virgem Maria nos dê a certeza da fé que, cada passo sofrido do nosso caminho, iluminado pela luz da Páscoa, se tornará bênção e alegria para nós e para os outros, especialmente para aqueles que sofrem por causa do egoísmo e da indiferença”. (rb/sp)

29 de março de 2016 at 9:20 Deixe um comentário

Deus não se cansa de nos conceder o seu perdão

IMG_2962

A Palavra: Evangelho de São João 20, 22-23
22. Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo. 23.
Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes,ser-lhes-ão retidos.
Reflexão: Recebemos o perdão de nossos pecados quando nos dirigimos, com o coração
arrependido, ao sacramento da Confissão. A Lei de Deus é perfeita e conforta a nossa alma. E quando a desrespeitamos ficamos desorientados e frágeis. Por isso precisamos retornar aos braços do Pai, pedir o seu perdão e continuar a caminhada de fé unidos à Ele. O Papa Francisco ensinou: “Deus é o Deus da misericórdia: Ele não se cansa de perdoar. Somos nós que nos cansamos de pedir perdão, mas Ele não se cansa de perdoar. Setenta vezes sete.”
Oração: Espírito Santo, ilumine a minha consciência para que eu reconheça os meus erros.
Concede-me, a coragem para buscar o sacramento da Confissão sempre que for necessário para que eu me mantenha sempre em estado de graça.
Testemunho: Conheci há bem pouco tempo um jovem senhor que recebeu orientações para passar na Porta Santa deste “Ano da Misericórdia”. Por isso, propôs-se confessar e comungar.Antes, porém, de dirigir-se ao confessionário, lembrou-se de que guardava em seu coração um grande ressentimento por duas pessoas próximas, e tomou, naquele momento, a decisão de contar isso ao sacerdote. Quando saiu do confessionário, qual não foi a sua surpresa: deparou-se com uma dessas pessoas citadas acima, e aproveitou esse encontro providente para reconciliou-se com ela. Deus nos cura e liberta quando decidimos, de coração, perdoar ao irmão.
Texto extraído do livro “Perseverar na Fé”, de Jane Amábile

29 de março de 2016 at 5:26 Deixe um comentário

Frases sobre a Misericórdia de Deus – do Papa Francisco

 

 

1- “Somos seres sociais, e o perdão tem também um lado social, porque a humanidade, os meus irmãos e irmãs, a sociedade, também são feridos pelo meu pecado”.

2-“A misericórdia será sempre maior do que qualquer pecado, ninguém pode impor um limite ao amor de Deus que perdoa”.

3- É uma tarefa da Igreja “fazer com que as pessoas percebam que não existem situações das quais não podem se reerguer, pois enquanto estivermos vivos é sempre possível recomeçar, se permitirmos que Jesus nos abrace e nos perdoe”.

4- “Da acolhida ao marginalizado que está ferido no corpo e da acolhida ao peccador que está ferido na alma, depende a nossa credibilidade como cristãos”.

5- “A humanidade precisa da misericórdia”.

6- “O pecador arrependido, que depois cai e recai no pecado por causa de sua fraqueza, encontra novamente perdão, desde que se reconheça necessitado de misericórdia”.

7- “Nenhum pecado humano, por mais grave que seja, pode prevalecer sobre a misericórdia ou limitá-la”.

8- “Somos chamados a servir Jesus crucificado em cada pessoa marginalizada”.

9- “Misericórdia é a atitude divina que abraça, é o doar-se de Deus que acolhe, que se dedica a perdoar”.

10- “O Deus feito homem se deixa comover pela miséria humana, pela nossa necessidade, pelo nosso sofrimento”.

11- “Deus de misericórdia, Deus misericordioso. Para mim esta é de fato a carteira de identidade do nosso Deus”.

12- “Deus perdoa tudo, oferece uma nova oportunidade a todos, concede a sua misericórdia a todos que a pedem. Somos nós que não sabemos perdoar”.

13- “O Senhor da misericórdia me perdoa sempre, por isso me oferece a oportunidade de recomeçar sempre”.

14- “Com a misericórdia e o perdão, Deus vai além da justiça, a inclui e a supera numa dimensão superior na qual se experimenta o amor, que é o fundamento de uma verdadeira justiça”.

15- O amor de Deus “é semelhante ao amor de um pai e de uma mãe que se comovem profundamente pelo seu filho; é um amor visceral. Deus nos ama desta forma com compaixão e com misericórdia”.

Frases extraídas do livro “O nome de Deus é Misericórdia”, do Papa Francisco

 

 

 

 

 

 

 

 

29 de março de 2016 at 5:15 Deixe um comentário

Segundo Domingo da Páscoa – Domingo da Divina Misericórdia – São João 20, 19-31 – Dia 03 de abril de 2016

19.Na tarde do mesmo dia, que era o primeiro da semana, os discípulos tinham fechado as portas do lugar onde se achavam, por medo dos judeus. Jesus veio e pôs-se no meio deles. Disse-lhes ele: A paz esteja convosco!

20.Dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos alegraram-se ao ver o Senhor.

21.Disse-lhes outra vez: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós.

22.Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo.

23.Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.

24.Tomé, um dos Doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.

25.Os outros discípulos disseram-lhe: Vimos o Senhor. Mas ele replicou-lhes: Se não vir nas suas mãos o sinal dos pregos, e não puser o meu dedo no lugar dos pregos, e não introduzir a minha mão no seu lado, não acreditarei!

26.Oito dias depois, estavam os seus discípulos outra vez no mesmo lugar e Tomé com eles. Estando trancadas as portas, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse: A paz esteja convosco!

27.Depois disse a Tomé: Introduz aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos. Põe a tua mão no meu lado. Não sejas incrédulo, mas homem de fé.

28.Respondeu-lhe Tomé: Meu Senhor e meu Deus!

29.Disse-lhe Jesus: Creste, porque me viste. Felizes aqueles que creem sem ter visto!

30.Fez Jesus, na presença dos seus discípulos, ainda muitos outros milagres que não estão escritos neste livro.

31.Mas estes foram escritos, para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

“Neste domingo da eterna misericórdia divina, reunimo-nos para celebrar a Páscoa de Cristo, a qual se manifesta em todas as pessoas e comunidades que vivem e promovem a solidariedade e o perdão. Jesus, o Primeiro e o Último, passou da morte para a vida para nunca mais se afastar de nós. Acolhamos o dom da paz e da reconciliação que Ele nos oferece”. (Liturgia Diária)

“Hoje, Domingo in Albis, celebramos o Domingo da Misericórdia Divina. O Senhor envia-nos também a nós para levar a todos a sua paz, fundada no perdão e na remissão dos pecados. Trata-se de um dom extraordinário, que Ele quis unir com o Sacramento da penitência e da reconciliação”.  (S. João Paulo II)

“Qualquer pessoa sensata considerará que é uma prova da ressurreição o facto de o Senhor ter entrado no Cenáculo com todas as portas fechadas. Ele saúda os seus discípulos com estas palavras: «A paz esteja convosco», mostrando que Ele próprio é a paz. Pois aqueles a quem Se apresenta recebem um espírito perfeitamente pacificado e tranquilo”. (São Cirilo de Alexandria)

“O Senhor querendo provar que a morte foi vencida e que sua natureza humana já havia deixado a corrupção, lhes mostra em primeiro lugar as mãos e os pés e os furos dos cravos. Prossegue: ‘Veja minhas mãos e meus pés, sou eu mesmo” (São Cirilo).

“Ele mostra-nos as mãos e os pés: «Eis as mãos que vos formaram», diz-nos (Sl 118, 73): vede os cravos que as trespassaram. Eis o Meu coração, onde nascestes, vós, os fiéis, vós, a Minha Igreja, como Eva nasceu do lado de Adão: vede a lança que o abriu, a fim de que vos fosse aberta a porta do Paraíso, que o Querubim de fogo mantinha encerrada. O sangue que correu do Meu lado afastou este anjo, embotou-lhe a espada: a água extinguiu o fogo (Jo 19, 34). Escutai com atenção, ouvi estas palavras, e tereis paz em vós”. (Santo Antônio)

“Os Apóstolos foram as testemunhas diretas, oculares. Eles «ouviram» e «viram com os próprios olhos», «contemplaram», e até mesmo «tocaram com as próprias mãos» Cristo, como se exprime numa outra passagem o mesmo evangelista São João[21]. Este seu testemunho humano, ocular e «histórico» a respeito de Cristo andará ligado ao testemunho do Espírito Santo: «Ele dará testemunho de mim». (S. João Paulo II)

“Quando Jesus apareceu aos apóstolos, estando fechadas as portas, e veio pôr-Se ao meio deles, eles ficaram dominados pelo espanto e cheios de medo, julgando ver um espírito (Jo 20, 19; Lc 24, 37). Mas, quando soprou sobre eles dizendo: «Recebei o Espírito Santo» (Jo 20, 22), e mais tarde, quando lhes enviou do céu esse mesmo Espírito como novo dom, esse dom foi uma prova indubitável da sua ressurreição e da sua nova vida”.( Beato Guerric de Igny)

“No dia da ressurreição o Senhor, aparecendo aos discípulos, saudou-os com estas palavras:  “A paz esteja convosco!”, e mostrou-lhes as mãos e o lado com os sinais da paixão. Oito dias mais tarde, como lemos na página evangélica de hoje, voltou a encontrar-se com eles no cenáculo e disse-lhes de novo:  “A paz esteja convosco!” ( Jo 20, 19-26)”. (S. João Paulo II)

A Divina Misericórdia

A Palavra diz: “Aleluia. Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque eterna é a sua misericórdia. Diga a casa de Israel: Eterna é sua misericórdia. Proclame a casa de Aarão: Eterna é sua misericórdia. E vós, que temeis o Senhor, repeti: Eterna é sua misericórdia”. (Sl 117, 1-4)

São João Paulo   II   disse   que   Jesus   “indicou-nos   as   múltiplas   vias   da misericórdia, que não só perdoa os pecados, mas vai também ao encontro de todas as necessidades dos homens. Jesus inclinou-se sobre toda a miséria humana, material e espiritual”. (Abril de 2000)

“A justiça, aplicada sem misericórdia…é mais injustiça do que justiça”. (Santa Catarina de Sena)

“Quanto mais   nos   sentimos   miseráveis,   tanto   mais   devemos   confiar   na  misericórdia de Deus. Porque, entre a misericórdia e a miséria, há uma ligação tão grande que uma não pode se exercer sem a outra”. (São Francisco de Sales)

São João Paulo II explicou: “Aos discípulos, no cenáculo, Jesus mostra as mãos e o lado. Isto é,  indica as feridas  da  Paixão,  sobretudo a chaga do Coração,   fonte   onde   nasce   a   grande   onda   de   misericórdia   que   inunda   a humanidade. Daquele coração,  a Santa Faustina Kowalska verá partir dois fachos de luz que iluminam o mundo: “Os dois raios, explicou-lhe certa vez o próprio Jesus representam o sangue e a água”. (Abril de 2000)

“A misericórdia é a compaixão que o nosso coração experimenta pela miséria alheia, que nos leva a socorrê-la, se o pudermos” (Santo Agostinho).

Ano Santo da Misericórdia

O Papa Francisco disse que este ano “será, portanto, um Ano Santo extraordinário para viver, na existência de cada dia, a misericórdia que o Pai, desde sempre, estende sobre nós. Neste Jubileu, deixemo-nos surpreender por Deus. Ele nunca Se cansa de escancarar a porta do seu coração, para repetir que nos ama e deseja partilhar conosco a sua vida. A Igreja sente, fortemente, a urgência de anunciar a misericórdia de Deus”. (11\04\15)

As Indulgências do Ano Santo da Misericórdia

O Papa Francisco disse que “viver a indulgência no Ano Santo significa aproximar-se da misericórdia do Pai, com a certeza de que o seu perdão cobre toda a vida do crente. A indulgência é experimentar a santidade da Igreja que participa em todos os benefícios da redenção de Cristo, para que o perdão se estenda até às últimas consequências aonde chega o amor de Deus. Vivamos intensamente o Jubileu, pedindo ao Pai o perdão dos pecados e a indulgência misericordiosa em toda a sua extensão”. (11\04\15)

Conclusão

São João Paulo II disse que “Cristo ensinou-nos que “o homem não só recebe e   experimenta   a   misericórdia   de   Deus,   mas   é   também   chamado   a   “ter misericórdia”   para   com   os   demais.   “Bem-aventurados   os   misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” (Mt 5, 7)”. (Abril de 2000)

 

Oração

Do Papa Francisco: “Neste Ano Jubilar, que a Igreja se faça eco da Palavra de Deus que ressoa, forte e convincente, como uma palavra e um gesto de perdão, apoio, ajuda, amor. Que ela nunca se canse de oferecer misericórdia e seja sempre paciente a confortar e perdoar. Que a Igreja se faça voz de cada homem e mulher e repita com confiança e sem cessar: « Lembra-te, Senhor, da tua misericórdia e do teu amor, pois eles existem desde sempre » (Sl 25/24, 6)”.

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

28 de março de 2016 at 5:52 Deixe um comentário

Posts antigos


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 341

Categorias