Archive for abril, 2017

Papa Francisco no Twitter

29/04/2017
A presença de Jesus se transmite com a vida e fala a linguagem do amor gratuito e concreto.
28/04/2017
O Senhor nos conceda a graça de recomeçar hoje, juntos, como peregrinos de comunhão e arautos de paz.
28/04/2017
Somos chamados a caminhar juntos, na convicção de que o futuro de todos depende também do encontro entre religiões e culturas.
27/04/2017
Amanhã irei como peregrino da paz ao Egito da paz.
26/04/2017
Vamos promover a amizade e o respeito entre homens e mulheres de diferentes tradições religiosas para construir um mundo de paz.
25/04/2017
Ele morreu, foi sepultado, ressuscitou e apareceu. Ou seja, Jesus está vivo! É este o cerne da mensagem cristã.
24/04/2017
Se tivéssemos sempre a Palavra de Deus no coração, nenhuma tentação poderia nos separar de Deus.
23/04/2017
A misericórdia de Deus é eterna: não termina, não acaba, não cede diante dos fechamentos, e não se cansa jamais.

30 de abril de 2017 at 5:26 Deixe um comentário

O primeiro dia do Papa no Cairo: gratidão e amizade

2017-04-28 Rádio Vaticana

Cairo (RV) – Como o slogan da visita anunciava, o Papa Francisco viveu seu primeiro dia no Egito como mensageiro de paz.

Este foi o tema recorrente de seus pronunciamentos nos três discursos programados: com o Reitor da Universidade Al-Azhar (primeira vez que um Papa visita esta instituição, que tem mais de mil anos de história), com o Presidente egípcio Al-Sisi e as autoridades locais e, por fim, com o Patriarca da Igreja copta, Papa Tawadros II.

Francisco denunciou as causas da violência no mundo, de modo especial a pobreza e a exploração, alertando para os “populismos demagógicos” que se aproveitam desta situação e lucram com isso, como a indústria armamentista.

“Que não faltem pão, liberdade e justiça social”, exortou o Papa, arriscando palavras em árabe nos três discursos.

Empenho comum

Com todos os líderes, o Pontífice invocou um empenho comum para combater as mazelas que ferem a humanidade. Com o Grande Imã, falou da defesa dos direitos humanos; com o Presidente al-Sisi, da educação das novas gerações; com o Patriarca copta, do ecumenismo da solidariedade e do sangue.

Contudo, o Papa não foi o único: de todos os anfitriões, ouviu palavras calorosas e o compromisso de uma profícua colaboração.

Gestos de amizade

Mas mais do que as palavras, os gestos e a cordialidade deram o tom desses encontros: com o Grande Imã, que foi recebido no Vaticano em 2016, a saudação foi de profunda comoção, agradecimento e reconhecimento. Com o líder copta-ortodoxo, foi um abraço não só de amigos, mas de verdadeiros irmãos.

O dia de Francisco não foi feito só de discursos. Houve um intenso momento de oração ecumênica na igreja de São Pedro, em memória também das vítimas do terrorismo. E a assinatura de uma declaração conjunta entre coptas-ortodoxos e católicos. Entre outros pontos, se reconhece a validade do batismo de ambas as partes a quem quiser passar de uma igreja a outra.

Dimensão pastoral

Missão cumprida para este primeiro dia, que englobou duas das três dimensões desta viagem: inter-religiosa e ecumênica. Já o sábado será inteiramente dedicado à pequena comunidade católica local: a missa pela manhã com os fiéis e, à tarde, o encontro com os consagrados, consagradas, sacerdotes e seminaristas.

Do Cairo para a Rádio Vaticano, Bianca Fraccalvieri

30 de abril de 2017 at 5:11 Deixe um comentário

Santa Catarina de Sena, virgem, Doutora da Igreja, Padroeira da Europa


Santa Catarina nasceu em Sena, no dia 25 de Março de 1347. Na Europa, a peste negra e as guerras semeavam o pânico e a morte. A Igreja sofria por suas divisões internas e pela existência de “antipapas” (chegaram a existir três papas, simultaneamente).

Desejando seguir o caminho da perfeição, aos 15 anos Catarina ingressou na Ordem Terceira de São Domingos. Viveu um amor apaixonado e apaixonante por Deus e pelo próximo. Lutou ardorosamente pela restauração da paz política e pela harmonia entre os seus concidadãos. Contribuiu para a solução da crise religiosa provocada pelos antipapas, fazendo com que Gregório XI voltasse a Roma. Embora analfabeta, ditava as suas cartas endereçadas aos papas, aos reis e líderes, como também ao povo humilde. Foi, enfim, uma mulher empenhada social e politicamente e exerceu grande influência religiosa na Igreja de seu tempo.

As suas atitudes não deixaram de causar perplexidade nos seus contemporâneos. Adiantou-se séculos aos padrões de sua época, quando a participação da mulher na Igreja era quase nula ou inexistente. Deixou-nos o “Diálogo sobre a Divina Providência”, uma exposição clara das suas ideias teológicas e da sua mística, o que coloca Santa Catarina de Sena entre os Doutores da Igreja.

Morreu aos 33 anos de idade, no dia 29 de Abril de 1380.

Fonte: Evangelho Quotidiano

29 de abril de 2017 at 5:43 Deixe um comentário

Papa: o Espírito nos liberta, não a compromissos e rigidez

2017-04-24 Rádio Vaticana

Nunca nos esqueçamos que a nossa fé é concreta e rejeita compromissos e idealizações – disse o Papa Francisco durante a Missa, na manhã desta segunda-feira (24/04), na Casa Santa Marta, na qual também participaram os Cardeais Conselheiros do C9 que de hoje até 26 de abril estarão reunidos com o Santo Padre. O Papa enfatizou a liberdade que nos dá o Espírito Santo e que faz com que o anúncio do Evangelho aconteça sem compromissos e rigidez.

O encontro de Nicodemos com Jesus e o testemunho de Pedro e João depois da cura de um homem coxo de nascença foram o centro da homilia do Papa Francisco.

“Jesus explica a Nicodemos, com amor e paciência, que é preciso nascer do alto, nascer do Espírito. Portanto, mudar de mentalidade.” Para entender melhor isso, o Papa reflectiu sobre a Primeira Leitura da liturgia do dia, extraída do Livro dos Actos dos Apóstolos. “Pedro e João curaram um homem coxo de nascença, e os doutores da lei não sabiam como fazer, como esconder este facto público.”

No interrogatório, Pedro e João “respondem com simplicidade” e quando são intimados a não falar mais sobre o assunto, Pedro responde: “Não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos. Continuaremos assim.”
“Eis a concretude de um facto, a concretude da fé” em relação aos doutores da lei que “querem negociar para alcançar um acordo”:

“Pedro e João têm coragem, franqueza, a franqueza do Espírito que significa falar abertamente, com coragem, a verdade, sem nenhum pacto. Este é o ponto, a fé concreta”:

“Às vezes, esquecemo-nos de que a nossa fé é concreta: o Verbo se fez carne, não se fez ideia: tornou-se carne. Quando rezamos o Credo dizemos coisas concretas: Creio em Deus Pai que fez o céu e a terra, creio em Jesus Cristo que nasceu, que morreu…’. São coisas concretas. O Credo não diz: Creio que devo fazer isso, que devo fazer aquilo ou que as coisas são para isso…’ Não! São coisas concretas. A concretude da fé que leva à franqueza, ao testemunho até o martírio, não faz pactos ou idealização da fé.”

“Para os doutores da lei, o Verbo não se fez carne, mas lei. É preciso fazer isso só até aqui. Deve ser feito isto e não aquilo”:

“E assim, se engaiolaram nesta mentalidade racionalista que não terminou com eles, hein? Na História da Igreja muitas vezes, a própria Igreja que condenou o racionalismo, o Iluminismo, caiu nesta teologia do ‘pode e não pode’, do ‘até aqui e até lá’, e se esqueceu da força, da liberdade do Espírito, do renascer do Espírito que nos dá a liberdade, a franqueza da pregação e de anunciar que Jesus Cristo é o Senhor.”

“Peçamos ao Senhor esta experiência do Espírito que vai e vem e nos leva adiante, do Espírito que nos dá a unção da fé, a unção da concretude da fé”:

”O vento sopra onde quer e ouve-se a sua voz, mas não se sabe de onde vem e nem para onde vai. Assim é todo aquele que nasce do Espírito: ouve a voz, segue o vento, segue a voz do Espírito sem saber aonde terminará, pois optou pela fé concreta e pelo renascimento no Espírito. Que o Senhor dê a todos nós este Espírito pascal a fim de caminhar nas estradas do Espírito sem acordos, sem rigidez, mas com a liberdade de anunciar Jesus Cristo assim como Ele veio: em carne.” (BS/MJ)

29 de abril de 2017 at 5:38 Deixe um comentário

55ª AG: Assembleia dos Bispos do Brasil

Aparecida (RV) – Mais de 350 bispos vão se reunir a partir de hoje, 26 de abril em Aparecida, até o dia 5 de maio, na 55ª Assembleia Geral da CNBB, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Os encontros se realizam no complexo do Santuário Nacional, divididos entre reuniões no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, e missas na Basílica de Nossa Senhora Aparecida. Neste ano, os debates estarão centralizados no tema “Iniciação Cristã”.

O Presidente da CNBB o Arcebispo de Brasília, Cardeal Sérgio da Rocha, explica que a definição do tema central foi baseada nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora para o Brasil, documento que define as necessidades de trabalho da Igreja Católica no país para o período de 2015 a 2019.

“Uma das prioridades das Diretrizes é a Igreja como casa da iniciação cristã. A Assembleia deste ano pretende trabalhar de maneira especial esta urgência”, comenta o purpurado.

Assuntos como o Ano Mariano, os 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, o caminho ecumênico, as Novas Formas de consagração e Novas Comunidades, os 10 anos da Conferência de Aparecida e o Sínodo dos Jovens estarão em pauta durante o evento. Temas relacionados à realidade socioeconômica e política do Brasil também devem ser tratados.

Outro ponto importante para os trabalhos da Assembleia será a apresentação de documentos sobre os ritos católicos. Ao menos dois subsídios que tratam do tema devem ser apreciados e debatidos pelos bispos ao longo do encontro.

O primeiro deles será lançado pela Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB e oferece reflexões sobre exorcismos, rituais de cura e libertação. Já o outro passará pela apreciação dos bispos e trata sobre a atualização da celebração da Palavra de Deus, rito que consiste na reflexão das leituras bíblicas e da comunhão eucarística. Esta prática acontece sobretudo em locais que não contam com a presença de um sacerdote.

A 55ª Assembleia Geral da CNBB inicia na manhã desta quarta-feira, com uma missa no Santuário Nacional de Aparecida, presidida pela Presidência da CNBB. A cerimônia de inauguração da AG será no auditório do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho e será aberta à imprensa.

Todos os dias, exceto no domingo, dia 30, serão celebradas missas com a oração do Ofício Divino, das 7h30 às 8h45, no Santuário Nacional de Aparecida. Haverá transmissão ao vivo pelas emissoras católicas de rádio e televisão.

A programação conta ainda com uma celebração Ecumênica no dia 2 de maio, recordando os 500 anos da Reforma Protestante. Na quinta-feira, dia 4 de maio, será realizada uma Sessão Mariana, em comemoração pelos 300 anos do Encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida e 100 anos das Aparições de Fátima.

De Aparecida para a Rádio Vaticano, Silvonei José

 

 

28 de abril de 2017 at 9:16 Deixe um comentário

Fica Conosco, Senhor! – Oração do Papa Emérito Bento XVI (13 Maio de 2007)

Resultado de imagem para imagem dos discípulos de emaús com Jesus

“Fica conosco, Senhor, nos acompanhe embora não sempre tenhamos sabido te reconhecer. Fica conosco, porque em torno de nós se vão fazendo mais densas as sombras, e você é a Luz; em nossos corações se insinua a desesperança, e você os faz arder com a certeza da Páscoa. Estamos cansados do caminho, mas você nos conforta na fração do pão para anunciar a nossos irmãos que na verdade você ressuscitaste e que nos deste a missão de ser testemunhas de sua ressurreição.

Fica conosco, Senhor, quando em torno de nossa fé católica surgem as névoas da dúvida, do cansaço ou da dificuldade: você, que é a Verdade mesma como revelador do Pai, ilumina nossas mentes com sua Palavra; ajude-nos a sentir a beleza de acreditar em ti.

Fica em nossas famílias, as ilumine em suas dúvidas, apóia em suas dificuldades, as console em seus sofrimentos e na fadiga de cada dia, quando em torno delas se acumulam sombras que ameaçam sua unidade e sua natureza.

Você que é a Vida, fica em nossos lares, para que sigam sendo ninhos onde nasça à vida humana abundante e generosamente, onde se acolha, ame-se, respeite-se a vida desde sua concepção até seu término natural.

Fique, Senhor, com aqueles que em nossas sociedades são mais vulneráveis; fica com os pobres e humildes, com os indígenas e afro americanos, que não sempre encontraram espaços e apoio para expressar a riqueza de sua cultura e a sabedoria de sua identidade.

Fique, Senhor, com nossas crianças e com nossos jovens, que são a esperança e a riqueza de nosso Continente, protege os de tantas insídias que atentam contra sua inocência e contra suas legítimas esperanças.Ó bom Pastor, fica com nossos idosos e com nossos doentes. Fortalece a todos em sua fé para que sejam seus discípulos e missionários!”

28 de abril de 2017 at 5:46 Deixe um comentário

Protomártires do Brasil serão canonizados em 15 de outubro próximo

2017-04-20 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco presidiu, nesta quinta-feira (20/04), o Consistório Ordinário Público realizado na Sala do Consistório, no Vaticano, em que foram definidas as datas de novas canonizações.

Os protomártires do Brasil serão canonizados pelo Papa Francisco, em 15 de outubro próximo, na Basílica de São Pedro.

Os futuros santos são: André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, sacerdotes diocesanos, e Mateus Moreira e seus vinte e sete companheiros leigos, que em 1645, no Rio Grande do Norte, derramaram seu sangue por amor a Cristo.

Conhecidos como mártires de Cunhaú e Uruaçu foram beatificados no ano 2000.

Em 16 de julho de 1645, o Pe. André de Soveral e outros 70 fiéis foram cruelmente mortos por 200 soldados holandeses e índios potiguares. Os fiéis estavam participando da missa dominical, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú – no município de Canguaretama (RN).

Em 03 de outubro de 1645, três meses depois, houve o massacre de Uruaçú. Padre Ambrósio Francisco Ferro foi torturado e o camponês Mateus Moreira, morto.

Os invasores calvinistas não admitiam a prática da religião católica.

28 de abril de 2017 at 5:25 Deixe um comentário

Papa aos carismáticos italianos: permanecer unidos no Espírito

2017-04-23 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco enviou uma mensagem aos participantes da 40ª Convocação Nacional dos grupos e das comunidades da Renovação no Espírito Santo. Assinado pelo Secretário de Estado, Card. Pietro Parolin, o telegrama é destinado ao Presidente da Renovação, Salvatore Martinez.

Para que ninguém fique sem a luz da força do Evangelho

No texto, o Papa exorta todos os participantes a permanecerem unidos no amor e na oração ao Espírito Santo, que possibilita esta unidade. “A Igreja espera este testemunho, para que ninguém fique sem a luz da força do Evangelho.”

Realizado em Rimini, de 22 a 25 de abril, o tema do evento é “Exultai: o Senhor agiu! Retumbai com júbilo: o Senhor manifestou a sua glória!”.

Trata-se de um encontro de evangelização no qual se alternam testemunhos, conferências, momentos de oração comunitária e celebrações eucarísticas. A Convocação antecede o Jubileu de Ouro que a Renovação celebrará com o Papa Francisco na vigília de Pentecostes.

27 de abril de 2017 at 5:53 Deixe um comentário

Jacinta e Francisco serão canonizados em 13 de maio em Fátima

2017-04-20 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Jacinta e Francisco Marto, os dois pastorzinhos que tiveram visões de Nossa Senhora, serão canonizados pelo Papa Francisco em Fátima, em 13 de maio. A confirmação deu-se na manhã desta quinta-feira (20/04) durante o Consistório Ordinário Público, presidido pelo Santo Padre no Vaticano. Serão as primeiras crianças não-mártires a serem proclamadas Santas. Na mesma data, há 17 anos, os dois irmãos eram beatificados por João Paulo II.

Jacinta e Francisco Marto, os dois irmãos de apenas nove e dez anos, junto com a prima Lúcia dos Santos, tiveram visões de Nossa Senhora. A primeira vez em 13 de maio de 1917, seguindo-se em todos os dias 13 de cada mês, até chegar ao mês de outubro. Nos “encontros celestiais” Maria deixou mensagens sobre acontecimentos futuros e recomendações aos pequenos, entre estas, a de rezar o Rosário diariamente.

A fama de santidade dos dois pastorzinhos logo após as suas mortes já havia se difundido por todo o mundo. Francisco morreu em 4 de abril de 1919, de febre espanhola. Jacinta, dez meses mais tarde, em 20 de fevereiro de 1920.

Jacinta, após muitos sofrimentos oferecidos pela conversão dos pecadores, morreu sozinha em um hospital de Lisboa, sendo sepultada em Vila Nova de Ourém, o município ao qual pertence o Santuário de Fátima.

De Francisco – chamado de “o consolador” pelo seu desejo de consolar com a oração Nossa Senhora – perdeu-se o local preciso de seu sepultamento. Somente anos mais tarde seus restos mortais foram reconhecidos pelo pai, por um detalhe muito particular, o terço que ele tinha nas mãos.

Em setembro de 1935, o corpo incorrupto de Jacinta foi traslado de Vila Nova de Ourém a Fátima. O corpo foi fotografado e o Bispo de Leiria-Fátima, José Alvez Correia da Silva, enviou uma cópia à Lúcia, que havia se tornado uma Irmã dorotéia. Na ocasião, o prelado pediu a Lúcia que escrevesse tudo o que sabia sobre a vida de Jacinta. Nascia assim a Primeira memória, que ficou pronta no Natal de 1935.

Sucessivamente o bispo pediu que Lúcia escrevesse também suas recordações a respeito de Francisco e os fatos ocorridos em Fátima.

Não fossem estes relatos deixados sobre a breve vida dos dois irmãos, talvez ninguém poderia ter pensado em abrir uma Causa de canonização, mesmo porque naquele tempo ainda não havia sido decretado o reconhecimento de “exercício das virtudes em grau heróico” também para os pequenos.

O pedido para investigar a santidade dos dois foi iniciado pela Diocese de Leiria somente em 1952 e concluída em 1989, com o decreto sobre a prática das virtudes, em consideração à idade das crianças.

O obstáculo, era ainda uma uma questão de fundo debatida no decorrer do século XX, em relação à possibilidade ou não de levar em consideração duas crianças como candidatos à canonização. Questão que foi resolvida em 1981 por meio de um um documento emitido com este propósito pela Congregação da Causa dos Santos.

O milagre atribuído à intercessão das duas crianças, e que levou à beatificação, foi reconhecido em 1999. Já o que abriu o caminho para a canonização, foi reconhecido em 23 de março passado, e diz respeito a uma criança brasileira, que na época tinha seis anos.

Esta criança estava na casa do avô, brincando com a irmãzinha, quando caiu por acidente de uma janela de cerca sete metros de altura, sofrendo um grave traumatismo crânio-encefálico, com a perda de material cerebral.

Levada ao hospital em coma, foi operada. Caso sobrevivesse, viveria em estado vegetativo ou, no máximo, com graves deficiências cognitivas.

Milagrosamente, após três dias, a criança recebeu alta, não sendo constatado nenhum dano neurológico ou cognitivo.

Em 2 de fevereiro de 2007, uma equipe médica deu parecer positivo unânime sobre o caso, como “cura inexplicável do ponto de vista científico”.

No momento do incidente, o pai da criança havia invocado Nossa Senhora de Fátima e os dois pequenos beatos. Na mesma noite, os familiares e uma comunidade de irmãs de clausura haviam rezado com insistência, perdindo a intercessão dos pastorzinhos de Fátima. (JE)

 

27 de abril de 2017 at 5:22 Deixe um comentário

Misericórdia Divina – oração de Santa Faustina Kowalska

img_20160918_055709177.jpg

Misericórdia divina, que nos acompanhais por toda a vida, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que nos envolveis de modo particular na hora da morte, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que nos concedeis a vida imortal, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que nos acompanhais em cada momento da vida, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que nos protegeis do fogo do inferno, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, na conversão dos pecadores endurecidos, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, assombro para os anjos, inconcebível para os santos, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, insondável em todos os mistérios de Deus, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que nos ergueis de toda a miséria, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, fonte da nossa felicidade e alegria, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que do nada nos chamastes à existência, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que abraçais todas as obras das Vossas mãos, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que coroais tudo o que existe e que venha a existir, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, na qual todos estamos mergulhados, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, doce consolação dos corações angustiados, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, única esperança das almas desesperadas, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, repouso dos corações e paz em tempo de ansiedade, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, delícia e êxtase das almas santas, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que inspirais confiança mesmo contra toda a esperança, eu confio em Vós.

Misericórdia divina, que brotais do seio do Pai, eu confio em Vós.

Ó Deus eterno, cuja misericórdia é infinita e cujo tesouro de compaixão não tem limites, olhai-nos propício e aumentai a vossa misericórdia para connosco para que nos momentos difíceis não desesperemos, nem desanimemos, mas com grande confiança nos conformemos à vossa santa vontade, que é o amor e a própria misericórdia.

26 de abril de 2017 at 10:09 Deixe um comentário

Posts antigos


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 341

Categorias