Archive for fevereiro, 2014

Papa canonizará Beato Anchieta em abril

 

Quinta, 27 Fevereiro 2014 15:05
cnbb

O arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, comunicou na manhã de hoje, 27, que o papa Francisco irá declarar santo o beato José de Anchieta, missionário que viveu no Brasil.

Dom Raymundo Damasceno esteve em reunião com o papa, no Vaticano, para dar início à preparação da celebração de canonização. Em entrevista à Rádio Vaticano, o cardeal explicou que o papa Francisco optou por uma cerimônia simples que consistirá na assinatura de um decreto no qual será declarado santo o apóstolo José de Anchieta. O evento ocorrerá no próximo mês de abril, com data e local a serem definidos.

De acordo com dom Damasceno, a missa de canonização será celebrada em uma igreja de Roma. Na ocasião o papa Francisco irá declarar santos o missionário brasileiro e dois beatos canadenses.

“José de Anchieta deixou marcas profundas no início da colonização do Brasil, como também na sua evangelização. Eu creio que ele mereça ser cultuado por toda a Igreja”, disse o cardeal.

O arcebispo explicou que no Brasil haverá uma celebração mais solene, em âmbito nacional, possivelmente durante a 53ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em Aparecida (SP), no período de 30 de abril a 09 de maio, com a presença do episcopado brasileiro. Serão propostas outras celebrações nos estados onde o beato José de Anchieta percorreu em sua caminhada missionária como o Espírito Santo, Bahia, Rio de Janeiro.

 

28 de fevereiro de 2014 at 10:25 Deixe um comentário

São Simplício – Papa dos primeiros séculos- 02 de Março

 

 

São Simplício - Papa dos primeiros séculosPapa da Igreja, pertencente ao Clero de Roma, o santo viveu mergulhado num contexto de grande instabilidade, seja por parte das heresias que rondavam a Igreja, como também por parte externa, da sociedade e do Império que estava para ruir.

Foi escolhido para sucessor de São Pedro no ano de 468. Um homem de testemunho e oração, sensível aos ataques internos que a Igreja sofria por parte do Nestorianismo – que buscava espalhar a mensagem entre os cristãos de que Cristo não teria nenhuma ligação com Deus, negando o mistério da Encarnação – e também o Monofisismo, onde pregravam como verdade que a natureza divina suprimiu a natureza humana de Cristo.

Simplício se deparava com essa realidade, mas com autoridade, cheio do Espírito Santo e em comunhão com o Clero, se tornou cada vez mais canal da luz, que é Cristo, para essas situações.

São Simplício demonstrou com a vida que vale a pena caminharmos com o coração fixo na recompensa que o Senhor quer nos dar na Glória.

Faleceu em 483, e hoje intercede por nós.

São Simplício, rogai por nós!

28 de fevereiro de 2014 at 9:37 Deixe um comentário

A armadilha da casuística – o Papa falou sobre o amor matrimonial na missa em Santa Marta

 

2014-02-28 Rádio Vaticana

Por trás da casuística está sempre uma armadilha contra nós e contra Deus – esta a mensagem do Papa Francisco na homilia em Santa Marta nesta sexta-feira em que o Evangelho de S. Marcos nos propõe a pergunta ardilosa dos fariseus a Jesus sobre o divórcio. Segundo o Santo Padre eles procuravam através de um pequeno caso criar uma armadilha a Jesus: “Sempre o pequeno caso. E esta é a armadilha: por trás da casuística, por trás do pensamento casuístico, sempre há uma armadilha. Sempre! Contra a gente, contra nós e contra Deus, sempre! Mas é lícito fazer isto? Repudiar a própria mulher? E Jesus respondeu, perguntando-lhes o que dizia a lei e explicando porque Moisés fez aquela lei assim. Mas não pára ali: da casuística vai ao centro do problema e aqui vai mesmo aos dias da Criação. É tão bela aquela referência do Senhor: ‘Desde o início da Criação, Deus fê-los homem e mulher, por isto o homem deixará o seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher e os dois serão uma só carne. Assim, não dois, mas uma só carne’.”
O Papa Francisco desenvolveu, assim, a sua homilia falando sobre a beleza do matrimónio considerando que, mesmo quando este tem problemas, deve ser acompanhado e nunca condenado. E recordou a obra-prima da Criação: o homem e a mulher que devem ser uma só carne: “O Senhor toma este amor da obra-prima da Criação para explicar o amor que tem com o seu povo. É um passo a mais: quando Paulo tem necessidade de explicar o mistério de Cristo, fá-lo também em relação e em referência à sua Esposa: porque Cristo é casado, Cristo é casado, casou com a sua Igreja, o seu povo. Como o Pai tinha casado com o povo de Israel, Cristo casou com o seu povo. Esta é a história do amor, esta é a história da obra-prima da Criação! E perante este percurso de amor, perante este ícone, a casuística cai e torna-se em dor. Mas quando este deixar o pai a a mãe e unir-se a uma mulher, faz-se uma só carne e irá em frente e se este amor entra em falência, devemos sentir a dor da falência, acompanhar aquelas pessoas que tiveram esta falência no próprio amor. Não condenar! Caminhar com eles! E não fazer casuística com a situação deles.” (RS)

 

28 de fevereiro de 2014 at 9:31 Deixe um comentário

Das Homilias de São Gregório de Nissa, bispo, sobre o Eclesiastes

 

Feliz a alma que levanta os olhos para a sua Cabeça, que é Cristo, como interpreta Paulo, porque a luz penetrante do seu olhar está voltada para onde não existem as trevas do mal. […] Aquele que não põe a sua lâmpada sobre o candelabro, mas debaixo da cama, faz com que a sua luz se transforme em trevas. Mas há muitos, felizmente, que se entregam à competição pelas realidades superiores e à contemplação dos verdadeiros valores. Esses homens são considerados cegos e inúteis por aqueles que não têm a verdadeira sabedoria; e é nesse sentido que Paulo se gloriavade ser louco por Cristo. […]

Quem não o consideraria miserável, vendo-o preso, açoitado e ultrajado; vendo-o naufragado, debatendo-se no meio das vagas depois de desmantelada a nau; vendo-o levado em cadeias de um para outro lado? E no entanto, embora fosse esta a sua vida entre os homens, nunca deixou de ter os olhos fixos na sua Cabeça, como ele próprio afirmava: Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo ou a espada? É como se dissesse: «Quem desviará os meus olhos da Cabeça e mos fará voltar para o que é desprezível?».

Também a nós ele nos manda fazer o mesmo, quando nos exorta a saborear as coisas do alto, quer dizer, a «ter os olhos postos na Cabeça», isto é, em Cristo.

Fonte: Site do Vaticano

27 de fevereiro de 2014 at 9:03 Deixe um comentário

chuva31

27 de fevereiro de 2014 at 9:01 Deixe um comentário

Papa Francisco no Twitter

27/02/2014
Numa família, é normal cuidar de quem está necessitado. Não tenhais medo da fragilidade!
25/02/2014
Todos nós, batizados, somos discípulos missionários. Somos chamados a nos tornar um Evangelho vivo no mundo.
24/02/2014
Nossa Senhora está sempre ao nosso lado, sobretudo quando o peso da vida se faz sentir com todos os seus problemas.
22/02/2014
Nunca percamos a esperança! Deus nos ama sempre, mesmo com os nossos erros e pecados.

27 de fevereiro de 2014 at 9:00 Deixe um comentário

Jesus acolhe a todos

Jesus acolhe os enfermos para cura-los (Mt 12, 15); os pecadores para converte-los (Lc 19, 1-10); os pobres para levar-lhes a riqueza de seus ensinamentos (Mt 11, 5); simples pecadores para transforma-los em discípulos (Lc 5, 10); Ele quer que todos sejam salvos (Lc 19, 10).

Jesus acolhe com muita ternura as crianças (Mt 19, 13; 15). Jesus abraçava as crianças e as abençoava impondo-lhes as mãos (Mc 10,16).

( Um trecho do capítulo 24 do livro: “No Coração de Cristo é o meu lugar”, de Fenando e Luciano Dalvi Norbim).

26 de fevereiro de 2014 at 8:51 Deixe um comentário

São Gabriel das Dores – Jovem sacerdote da Congregação dos Passionistas – 27 de Fevereiro

 

 
Grande devoto da Virgem Maria, São Gabriel das Dores foi dócil ao deixar tudo e assumir sua vocação

São Gabriel das DoresNascido a 1838 em Assis, na Itália, dentro de uma família nobre e religiosa, recebeu o nome de batismo Francisco, em homenagem a São Francisco.

Na juventude andou desviado por muitos caminhos, e era dado a leitura de romances, festas e danças. Por outro lado, o jovem se sentiu chamado a consagrar-se totalmente a Deus, no sacerdócio ministerial. Mas vivia ‘um pé lá, outro cá’. Ou seja, nas noitadas e na oração e penitência.

Aos 18 anos, desiludido, desanimado e arrependido, entrou numa procissão onde tinha a imagem de Nossa Senhora. Em meio a tantos toques de Deus, ouviu uma voz serena, a voz da Virgem Maria, que dizia que aquele mundo não era para ele, e que Deus o queria na religião.

Obediente a Santíssima Virgem, na fé, entrou para a Congregação dos Padres Passionistas. Ali, na radicalidade ao Evangelho, mudou o nome para Gabriel, e de acordo também com a sua devoção a Nossa Senhora, chamou-se então: Gabriel da Dores.

Antes de entrar para a Congregação, já tinha a saúde fraca, e com apenas 23 anos partiu para a glória, deixando o rastro da radicalidade em Deus.

Em meios as dores, São Gabriel viveu o santo Evangelho.

São Gabriel das Dores, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova

26 de fevereiro de 2014 at 8:40 Deixe um comentário

Unção dos Enfermos: presença de Jesus na doença e na velhice

 

2014-02-26 Rádio Vaticana

Na audiência geral desta quarta-feira o Papa Francisco propôs uma catequese sobre o Sacramento da Unção dos Enfermos. Um sacramento que nos fala da compaixão de Deus pelo homem no momento da doença e da velhice. “Há um ícone bíblico que exprime em toda a sua profundidade o mistério que transparece na Unção dos Enfermos: é a parábola do bom samaritano no Evangelho de Lucas.” A parábola do “bom samaritano” oferece-nos uma imagem desse mistério – afirmou o Papa Francisco – o bom samaritano cuida de um homem ferido, derramando sobre as suas feridas óleo e vinho, recordando o óleo dos enfermos. Em seguida, sem olhar a gastos, confia o homem ferido aos cuidados do dono de uma pensão: este representa a Igreja, a quem Jesus confia os atribulados no corpo ou no espírito. “Este mandato é repetido em modo explícito e preciso na Carta de Tiago, onde recomenda que: ‘Quem está doente, chame para si o presbítero da Igreja e esse reze por ele, ungindo-o com o óleo no nome do Senhor. A oração feita com fé salvará o doente: o Senhor o aliviará e os seus pecados serão perdoados’.” Também a Carta de S. Tiago – continuou o Santo Padre – recomenda que os doentes chamem os presbíteros, para que rezem por eles ungindo-os com o óleo. De fato, Jesus ensinou aos seus discípulos a mesma predileção que Ele tinha pelos doentes e atribulados, difundindo alívio e paz. O problema – considerou ainda o Santo Padre – é que cada vez menos se pede para celebrar este Sacramento. “Há um pouco a ideia que depois da visita do sacerdote a um doente chega o caixão da funerária” Segundo o Papa em muitas famílias cristãs chegou-se a uma situação em que, debaixo do influxo da cultura e da sensibilidade moderna, considera-se  o sofrimento e a própria morte como um tabú, como algo que se deve esconder e falar o menos possível. Assim – considerou ainda o Santo Padre – é preciso lembrar a todos aqueles que consideram o sofrimento e a morte como um tabu, que, na unção dos enfermos, Jesus nos mostra que pertencemos a Ele e que nem a doença, nem a morte, poderão separar-nos d’Ele. No final da catequese o Papa Francisco, nas saudações, dirigiu-se também aos peregrinos de língua portuguesa: “Queridos peregrinos de língua portuguesa: sede bem-vindos! Em cada um dos sacramentos da Igreja, Jesus está presente e nos faz participar da sua vida e da sua misericórdia. Procurem conhecê-Lo sempre mais, para poderem servi-Lo nos irmãos, especialmente nos doentes. Sobre vós e sobre as vossas comunidades, desça a benção do Senhor!” No final da audiência o Papa Francisco fez um apelo para a paz e reconciliação nacional na Venezuela: “Sigo com particular apreensão o que está a acontecer nestes dias na Venezuela. Desejo vivamente que acabem o mais depressa possível as violências e as hostilidades e que todo o povo venezuelano, a partir dos responsáveis políticos e institucionais, favoreçam a reconciliação nacional, através do perdão recíproco e de um diálogo sincero, respeitoso da verdade e da justiça, capaz de enfrentar temas concretos para o bem comum. Ao mesmo tempo assegura a minha constante oração, em particular, para todos quantos perderam a vida nos confrontos e pelas suas famílias, convido todos os crentes a elevar suplicas a deus, pela materna intercessão de Nossa Senhora de Coromoto, por forma a que o país reencontre prontamente paz e concórdia.” O Papa Francisco a todos deu a sua benção! (RS)
Na audiência geral o Papa apelou para a paz e reconciliação na Venezuela.

26 de fevereiro de 2014 at 8:37 Deixe um comentário

A Oração do Terço

rezando terco_restau_familia_capa (2)

Catequese

No Terceiro Mistério Luminoso Contemplamos:

“O anúncio do Reino de Deus e convite à conversão”.

Jesus andava por todos os lugares, pregando o Reino de Deus. Jesus também hoje faz um convite a todos nós, para que nos convertamos, isto é, para que deixemos a vida de pecado, e sigamos seus ensinamentos que são: Caminho, Verdade e Vida.

 

Orando com as Crianças

Senhor Jesus, fortaleça-me com Teu Espírito:

Para que eu não me afaste nunca de vós

Para que eu O coloque como Senhor da minha vida

Para que eu creia sempre na Tua Palavra

Para que eu busque o Teu perdão no sacramento da Confissão

Para que eu busque na Eucaristia a força e o sustento.

Amém.

 

Poesia

Meu amigo e amado Jesus,

No Teu caminho quero andar

Quero a minha conversão buscar

E ao meu pecado Tu vais perdoar.

 

Meu amigo e amado Jesus,

Transforma o meu coração

E dá-me força para resistir à tentação

E ensina-me a amar o irmão.

Do Livro “Rezando o Terço, Restaurando as Famílias”, de Jane Amábile.

 

25 de fevereiro de 2014 at 10:40 Deixe um comentário

Posts antigos


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 341

Categorias