Posts tagged ‘Solenidade de Todos Santos e Santas’

Reflexão para a Solenidade do Todos os Santos

Fomos feitos à imagem do Santo, para sermos santos: “Sede santos porque eu sou Santo!” (Lev 11, 44)

Fomos feitos à imagem do Santo, para sermos santos: “Sede santos porque eu sou Santo!” (Lev 11, 44)  (© BAV, Vat. sir. 559, f.93v)

Quando falamos de santos, estamos tendo como referencial o Santo, por excelência, Deus.

Padre César Augusto dos Santos – Cidade do Vaticano

A Igreja no Brasil celebra, neste domingo, o Dia de Todos os Santos. Fomos criados à imagem do Santo, isto é, de Deus. Sendo assim nosso modo de ser e de pensar é afinado com o modo de pensar e de agir de Deus. O contrário é aberração, é antinatural. A natureza humana foi feita para receber a divina.

Quando falamos de santos, estamos tendo como referencial o Santo, por excelência, Deus. É santa aquela pessoa que amou, que fez o bem, que foi feliz. Exatamente por isso soube perdoar, interessou-se pelos demais. Podemos ter como ideário dos santos as Bem-Aventuranças. Viveram seu agir especialmente a partir dos valores apontados nesse discurso de Jesus.

Celebramos três momentos de santidade: o momento passado, o momento presente e o momento futuro.

A Santidade do tempo presente é medida pela vivência das Bem-Aventuranças. Por isso hoje é nosso dia também, dia daqueles que tem em cada uma das bem-aventuranças de Jesus os mandamentos de seu dia a dia.

Quando homenageamos alguém e o intitulamos santo, queremos reconhecer nele a ação da Graça Divina que se concretizou na configuração da imagem do Criador nessa criatura.

E nossa devoção vai muito além do que colocar flores e acender velas. Nossa devoção será imitar suas virtudes, seu testemunho de seguir Jesus Cristo.

Pouco importa a época em que tenham vivido e qual a vocação que Deus lhes tenha dado. Importa como viveram, como responderam aos chamados, como enfrentaram as dificuldades, como superaram seus próprios limites, como vivenciaram a fé, a esperança e o amor.

Fomos feitos à imagem do Santo, para sermos santos: “Sede santos porque eu sou Santo!” (Lev 11, 44).

3 de novembro de 2019 at 15:56 Deixe um comentário

Solenidade de Todos os Santos

Santos, ícones, sensus fidei

Santos, ícones, sensus fidei

A Igreja celebra, nesta sexta-feira, 1° de novembro, a Solenidade de Todos os Santos, que, no Brasil, será celebrada no próximo domingo.

Cidade do Vaticano

Nesta solenidade, a Igreja exulta pela glória e honra de todos os Santos, que contemplam eternamente o rosto de Deus e vivem plenamente a sua visão beatífica.

Para alguns, na Europa, este dia é chamado também “Páscoa do outono”, uma solenidade importante para os membros ativos da Igreja, que olham e aspiram ao Céu.

A santidade é um caminho que todos somos chamados a trilhar, seguindo o exemplo dos nossos irmãos, que nos foram propostos como modelos de vida cristã, por terem encontrado Jesus e a ele confiado sua vida, fraquezas e sofrimentos.

Significado da Solenidade

A memória litúrgica dedica um dia especial a todos aqueles que estão unidos a Cristo na glória eterna e intercedem por nós como nossos protetores.

Os Santos são os filhos de Deus que chegaram à meta da salvação e vivem na eternidade a condição da bem-aventurança; os santos são também aqueles que nos acompanham no caminho da imitação de Jesus, que nos leva a ser pedras angulares na construção do Reino de Deus.

Comunhão dos Santos

Em nossa profissão de fé, afirmamos que cremos na Comunhão dos Santos, uma expressão que nos faz entender a vida e a eterna contemplação de Deus, motivo e finalidade da verdadeira Comunhão, mas também com as “coisas” sagradas.

O dom da Eucaristia permite a antecipação da liturgia que o Senhor celebra no santuário celestial, com todos os Santos. A grandeza da redenção é medida pelos seus frutos, isto é, pelos que foram redimidos pela santidade. Por meio deles, a Igreja contempla a sua vocação e a condição da humanidade transfigurada a caminho do Reino.

Origem e história

A origem desta festa da esperança, objetivo da nossa vida, tem raízes antigas. No século IV, teve início a comemoração dos fiéis mártires. Os primeiros sinais desta celebração encontramos em Antioquia, no domingo após o dia de Pentecostes, sobre os quais fala São João Crisóstomo.

Entre os séculos VIII e IX, esta festa começou a se espalhar pela Europa e em Roma, onde o Papa Gregório III (731-741) escolheu o dia 1º de novembro como a data que coincidia com a consagração de uma capela, na Basílica de São Pedro, dedicada às relíquias “dos santos Apóstolos e de todos os Santos mártires e confessores, e a todos os justos, que descansam em paz no mundo”.

2 de novembro de 2019 at 5:37 Deixe um comentário

Solenidade de Todos os Santos e Santas – As Bem-Aventuranças – São Mateus 5, 1-12 – Dia 03 de Novembro de 2019

Te Deum

(© Biblioteca Apostolica Vaticana)

“1.Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele. 2.Então, abriu a boca e lhes ensinava, dizendo: 3.“Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos Céus! 4.Bem-aventurados os que cho­ram, porque serão consolados! 5.Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! 6.Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! 7.Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão miseri­córdia! 8.Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! 9.Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! 10.Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus! 11.Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. 12.Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós”.”
Fonte- Bíblia Católica Online

“Alegremo-nos no Senhor, celebrando a festa de Todos os Santos e Santas, reunidos dentre todos os povos e nações. Vocacionados à santidade, somos convidados a fortalecer e sustentar nosso testemunho de Jesus em meio às tribulações. Esta Eucaristia nos ajude a viver as bem-aventuranças, a fim de seguirmos o caminho daqueles que já foram glorificados em Cristo”. (Liturgia Diária)

” As  bem-aventuranças estão inseridas no Sermão da Montanha, resumo do ensinamento de Jesus a respeito do Reino e da transformação que esse Reino produz. Aos discípulos Jesus promete a felicidade, não apenas no céu, mas também a que se pode experimentar ao longo desta vida. Jesus une a felicidade a seu seguimento a uma série de valores sobre as quais se assenta o Reino de Deus: pobreza, humildade, justiça, misericórdia, pureza de coração, sofrimento por causa da justiça”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

O Papa Francisco disse assim: “O estilo cristão é o das Bem-aventuranças: mansidão, humildade, paciência no sofrimento, amor à justiça, capacidade de suportar perseguições, não julgar os outros … E esse é o espírito cristão, o estilo cristão. Se você quer saber como é o estilo cristão, para não cair neste estilo acusatório, no estilo mundano e no estilo egoísta, leia as Bem-aventuranças. E este é o nosso estilo, as Bem-aventuranças são os odres novos, são o caminho para chegar. Para ser um bom cristão devemos ter a capacidade de recitar o credo com o coração, mas também de recitar com o coração o Pai Nosso”. (21 janeiro 2019)

Os Santos e as Santas

O Papa Emérito Bento XVI explicou: “Os santos não são uma exígua casta de eleitos, mas uma multidão inumerável, para a qual a liturgia de hoje nos exorta a levantar o olhar. Em tal multidão não estão somente os santos oficialmente reconhecidos, mas os batizados de todas as épocas e nações, que procuraram cumprir com amor e fidelidade a vontade divina. De uma grande parte deles não conhecemos os rostos e nem sequer os nomes, mas com os olhos da fé vêmo-los resplandecer, como astros repletos de glória, no firmamento de Deus”.  (1 de Novembro de 2006)

“Na vida eterna, contemplaremos com os olhos da inteligência a glória de Deus, de todos os anjos e de todos os santos, assim como a recompensa e a glória de cada um em particular, das maneiras que quisermos. No último dia, no julgamento de Deus, quando pelo poder de Nosso Senhor ressuscitarmos com os nossos corpos gloriosos, esses corpos serão resplandecentes como a neve, mais brilhantes que o sol, transparentes como cristal. Cristo, nosso chantre e mestre de coro, cantará com a sua voz triunfante e doce um cântico eterno, elogio e homenagem a seu Pai celeste; e todos nós entoaremos esse cântico, com espírito alegre e voz clara, para todo o sempre”. (Beato Jan van Ruysbroeck)

Conclusão:

“As bem-aventuranças questionam os nossos critérios habituais e os critérios de uma sociedade que caminha exatamente na direção contrária e que se funda em pseudo-valores: ganância exploração e várias outras formas de injustiça. Em outro discurso, Jesus recomenda: “Busquem primeiro o Reino de Deus e sua justiça” (Mt 5, 33).” (Dia a Dia – Ed. Paulus)

Oração: (Oração a Todos os Santos)

Ó, Deus, Onipotente e Eterno, que pela força do teu Espírito Santo santificastes a vida de tantos fiéis que vos serviram ao longo de todos os tempos e em todos os lugares, testemunhando a vossa grandeza, amor e bondade, fazei que, pela poderosa intercessão de Todos os Santos, que vós bem conheceis, cheguemos nós também à graça da vida eterna junto de vós, na companhia de Vosso Santíssimo Filho Jesus Cristo, Nossa Senhora e Todos os Santos e Santas. Todos os Santos de Deus, rogai por nós. Amém. (Site da Rede Vida)

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

28 de outubro de 2019 at 5:44 Deixe um comentário

Reflexão para o Dia de Todos os Santos

Todos os SantosTodos os Santos

Fomos feitos à imagem do Santo, para sermos santos: “Sede santos porque eu sou Santo!”» (Lev 11, 44).

Padre Cesar Augusto dos Santos – Cidade do Vaticano

A Igreja no Brasil celebra, neste domingo, o Dia de Todos os Santos. Fomos criados à imagem do Santo, isto é, de Deus. Sendo assim nosso modo de ser e de pensar é afinado com o modo de pensar e de agir de Deus. O contrário é aberração, é antinatural. A natureza humana foi feita para receber a divina.

Quando falamos de santos, estamos tendo como referencial o Santo, por excelência, Deus. É santa aquela pessoa que amou, que fez o bem, que foi feliz. Exatamente por isso soube perdoar, interessou-se pelos demais. Podemos ter como ideário dos santos as Bem-Aventuranças. Viveram seu agir especialmente a partir dos valores apontados nesse discurso de Jesus.

Celebramos três momentos de santidade: o momento passado, o momento presente e o momento futuro.

A Santidade do tempo presente é medida pela vivência das Bem-Aventuranças. Por isso hoje é nosso dia também, dia daqueles que tem em cada uma das bem-aventuranças de Jesus os mandamentos de seu dia a dia.

Quando homenageamos alguém e o intitulamos santo, queremos reconhecer nele a ação da Graça Divina que se concretizou na configuração da imagem do Criador nessa criatura.

E nossa devoção vai muito além do que colocar flores e acender velas. Nossa devoção será imitar suas virtudes, seu testemunho de seguir Jesus Cristo.

Pouco importa a época em que tenham vivido e qual a vocação que Deus lhes tenha dado. Importa como viveram, como responderam aos chamados, como enfrentaram as dificuldades, como superaram seus próprios limites, como vivenciaram a fé, a esperança e o amor.

Fomos feitos à imagem do Santo, para sermos santos: “Sede santos porque eu sou Santo!”» (Lev 11, 44).

3 de novembro de 2018 at 9:57 1 comentário

Solenidade de Todos os Santos e Santas – As Bem-Aventuranças- São Mateus 5, 1-12 – Dia 4 de Novembro

Imagem relacionada

“1.Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele. 2.Então abriu a boca e lhes ensinava, dizendo: 3.Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus! 4.Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! 5.Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! 6.Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! 7.Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! 8.Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! 9.Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! 10.Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! 11.Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. 12.Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós.”
Fonte: Bíblia Ave Maria

“Alegremo-nos no Senhor, celebrando a Solenidade de todos os Santos e Santas de Deus. Em comunhão com  a multidão dos que já vivem em plenitude  as bem-aventuranças, rezemos uns pelos outros, pois somos todos vocacionados à santidade. Felizes por seguir os passos de Jesus, invocamos aqueles que nos deixaram exemplos de fidelidade, amor e compromisso com o projeto do Pai”. (Liturgia Diária)

O Papa Francisco disse que “hoje é a festa daqueles que alcançaram a meta indicada por este mapa: não somente os santos do calendário, mas tantos irmãos e irmãs ‘da porta ao lado’, que talvez encontramos e conhecemos. É uma festa de família, de tantas pessoas simples e escondidas que realmente ajudam Deus a levar adiante o mundo. E há tantos também hoje!”. (1º\11\17)

“Para a sociedade moderna, felizes são os ricos, os poderosos, os bem de vida e os que podem consumir à vontade. Jesus, ao contrário, nos diz: felizes os pobres, os que choram, os mansos, os que tê fome e sede de justiça, os misericordiosos, os puros de coração, os que promovem a paz, os perseguidos por causa da justiça. Essas são as instâncias de felicidade propostas por Jesus para toda a humanidade, não apenas para alguns grupos específicos”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

O Papa Francisco disse assim: “São bem-aventurados os simples, os humildes que dão lugar a Deus, que sabem chorar pelos outros e pelos próprios erros, permanecem mansos, lutam pela justiça, são misericordiosos com todos, preservam a pureza do coração, trabalham sempre pela paz e permanecem na alegria, não odeiam e, mesmo quando sofrem, respondem ao mal com o bem. Eis as bem-aventuranças. Não requerem gestos extraordinários, não são para super-homens, mas para quem vive as provações e as fadigas de todos os dias”. (1º\11\17)

“Jesus oferece aos discípulos um panorama do Reino de Deus que Ele está implantando…Os pobres são pessoas que sofrem privações graves. No setor econômico: os que têm fome. No plano afetivo: os que choram. No plano social: os que são odiados e rejeitados pela sociedade injusta que recusa o projeto de Jesus”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

Conclusão:

“Proclamadas por Jesus no inicio de sua missão, as bem-aventuranças são o retrato do maior dos bem-aventurados, o próprio Jesus. Elas definem em que consiste o Reino de Deus. O reino deste mundo, já o sabemos, esta assentado na injustiça com seus reflexos: opressão, ganancia, egoismo, falta de paz. O Reino de Deus, ao invés, é formado por pessoas pobres, isto é, desapegadas dos bens terrenos, que poem sua total confiança em Deus”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

Oração:

“A Mãe de Deus, Rainha dos Santos e Porta do Céu, interceda pelo nosso caminho de santidade e pelos nossos queridos que nos precederam e já partiram para a Pátria celeste”. (Papa Francisco)

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

29 de outubro de 2018 at 5:40 Deixe um comentário

Solenidade de Todos os Santos

Quarta-feira, dia 01 de Novembro de 2017

Hoje a Igreja universal celebra a festa daqueles que se comprometeram com Deus Pai, com o seu Reino de bondade, de justiça e de amor e, em nome Jesus Cristo, se comprometeram de maneira radical, também, com os seus semelhantes. Por isso, nesta festa, todo o povo cristão é convidado a entrar em comunhão com Deus e com todo o homem de boa vontade.

Como Jesus de Nazaré, somos convidados a fazer de nossa vida uma eucaristia, uma oferenda viva. Na Igreja antiga, os santos eram entregues às chamas, às feras, às torturas cruéis. Hoje, também, milhares de santos são entregues à morte, são torturados pela fome, pelo desemprego, pela doença, e silenciados pela repressão, pela intimidação, pelas ameaças de morte dos que se julgam senhores deste mundo. Mas é nas entranhas dos que sofrem, dos aflitos, dos esquecidos, que germinam, nascem e dão fruto as sementes do Evangelho de Jesus Cristo. Desta maneira, a festa de hoje é também a festa dos santos dos nossos dias, essa numerosa multidão cujo testemunho vivo é fonte perene de renovação para a Igreja.

Fonte: Evangelho Quotidiano

1 de novembro de 2017 at 11:32 Deixe um comentário

Solenidade de Todos os Santos – As Bem-Aventuranças – São Mateus 5, 1-12 – Dia 05 de novembro de 2017

“1.Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele. 2.Então abriu a boca e lhes ensinava, dizendo: 3.Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus! 4.Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! 5.Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! 6.Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! 7.Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! 8.Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! 9.Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! 10.Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! 11.Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. 12.Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós”. 

Fonte: Bíblia Ave Maria

“Alegremo-nos no Senhor, celebrando a Solenidade de Todos os Santos, reunidos dentre todos os povos e nações. Filhas e filhos de Deus vocacionados à santidade, somos convidados a procurar o Senhor e buscar a sua face. Acolhendo a proposta das bem-aventuranças, formamos comunhão com a multidão dos que já foram glorificados com Cristo”. (Liturgia Diária)

Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele. Então abriu a boca e lhes ensinava, dizendo:

O Papa Francisco disse que “no Evangelho ouvimos Jesus que ensina os seus discípulos e a multidão reunida na colina nos arredores do lago da Galileia (Mt5, 1-12). A palavra do Senhor ressuscitado e vivo indica-nos, também a nós hoje, o caminho para alcançar a verdadeira felicidade, a vereda que conduz para o Céu. Trata-se de um caminho difícil de compreender, porque vai contra a corrente; contudo, o Senhor diz-nos que quem percorre esta estrada é feliz, mais cedo ou mais tarde será feliz”. (01\11\15)

“O gesto de Jesus de subir o monte (a exemplo de Moisés) e sentar-se (na qualidade de Mestre) é sinal de que Ele tem algo  importante para nos dizer. As bem-aventuranças são a abertura do grande discurso que Jesus vai pronunciar. São o caminho da felicidade e da santidade proposto por Ele. Se nos parece difícil as vivências das bem-aventuranças, olhemos para Jesus, que as viveu em plenitude”. (Liturgia Diária)

O Papa Emérito Bento XVI disse que “as bem-aventuranças são um novo programa de vida para se livrar dos falsos valores do mundo e abrir-se aos verdadeiros bens presentes e futuros. Quando Deus conforta, sacia a fome de justiça, enxuga as lágrimas dos que choram, isso significa que, além de recompensar cada um de forma sensível, abre o Reino do Céu”. (30\01\11)

Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus!

O Papa Francisco ensinou: “Jesus é Deus que Se despoja da sua glória. Vemos aqui a escolha da pobreza feita por Deus: sendo rico, fez-Se pobre para nos enriquecer com a sua pobreza (2 Cor 8, 9). É o mistério que contemplamos no presépio, vendo o Filho de Deus numa manjedoura; e mais tarde na cruz, onde o despojamento chega ao seu ápice”.

Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados!

O Papa Francisco disse assim: “Como podem ser felizes as pessoas que choram? Quem na vida nunca sentiu tristeza, angústia e dor, nunca conhecerá a força da consolação. Ao invés, podem ser felizes aqueles que têm a capacidade de se comover, a capacidade de sentir no coração a dor existente em suas vidas e na vida dos outros. Estes serão felizes! Porque a mão tenra de Deus os consolará e os acariciará”. (02\11\15)

Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! Padre Adroaldo Palaoro disse assim: “Aqueles que tem misericórdia e fome de justiça são mansos. A mera indignação pode torná-los violentos, mas a misericórdia os faz mansos, não violentos. E também, precisamente por essa mansidão, serão atores de paz, serão pacificadores”. (Rede Século 21)

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! “Esta fome nada tem de corpóreo. Esta sede não busca nada de terreno. Mas deseja ser saciada com a justiça e, introduzida no segredo mais oculto, anseia por ser repleta do próprio Senhor”. (São Leão Magno)

Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia!

O Papa Francisco disse que são “felizes aqueles que sabem perdoar, que têm misericórdia para com os outros, que não julgam tudo e todos, mas buscam se colocar no lugar dos outros. O perdão é algo que todos nós precisamos, ninguém está excluído. Por isso, no início da missa reconhecemos o que somos, pecadores. Não é uma maneira de dizer, uma formalidade: é um ato verdadeiro. Se sabemos perdoar os outros somos bem-aventurados”. (02\11\15)

Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus.» Age de forma a que O vejas. Comparando com as realidades materiais, como poderás contemplar o sol nascente se os teus olhos estiverem doentes? Se os teus olhos estiverem sãos, essa luz será para ti um prazer; se estiverem doentes, será um suplício. Naturalmente que não te será permitido ver com um coração impuro o que só se pode ver com um coração puro. Serás afastado, desviado; não verás”. (Santo Agostinho)

Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!

O Papa Francisco explicou: “Olhemos o rosto daqueles que semeiam cizânia: são felizes? Aqueles que buscam sempre as ocasiões para enganar, aproveitar dos outros, são felizes? Não, não podem ser felizes. Aqueles que a cada dia, com paciência, buscam semear a paz, estes são artesãos da paz, de reconciliação. Estes são bem-aventurados, porque são verdadeiros filhos de nosso Pai do Céu, que semeia sempre e somente a paz, que mandou seu filho ao mundo como semente de paz para a humanidade”.

Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! 

O Papa Francisco também disse: “Felizes os perseguidos pela justiça”. Quantas pessoas  são perseguidas, foram perseguidas, simplesmente por terem lutado pela justiça! Isto das bem-aventuranças é o programa de vida que Jesus nos propõe – sublinhou. “Tão simples, mas tão difícil”. (09\06\14)

Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós”.

“Por causa dos que nos olham, quando somos submetidos a provações por amor a Cristo, suportemo-las corajosamente, mais ainda, com alegria: se jejuamos, espelhemos alegria, como se estivéssemos em delícias; se nos ultrajam, dancemos alegremente como se estivéssemos a ser cumulados de elogios; se sofremos algum mal, consideremo-lo um ganho; se damos alguma coisa a um pobre, persuadamo-nos de que recebemos. Antes de tudo, lembra-te de que combates pelo Senhor Jesus. Assim, entrarás na luta com gosto e viverás sempre na alegria, porque nada nos torna mais felizes que uma boa consciência”. (São João Crisóstomo)

Os Santos de Deus

“Hoje a Igreja universal celebra a festa daqueles que se comprometeram com Deus Pai, com o seu Reino de bondade, de justiça e de amor e, em nome Jesus Cristo, se comprometeram de maneira radical, também, com os seus semelhantes. Por isso, nesta festa, todo o povo cristão é convidado a entrar em comunhão com Deus e com todo o homem de boa vontade. Como Jesus de Nazaré, somos convidados a fazer de nossa vida uma eucaristia, uma oferenda viva”. (Evangelho Quotidiano)

“Eis que a alma se eleva acima das nuvens, acima do firmamento e de todas as estrelas: entra no Céu. Que dirá ao penetrar pela primeira vez nessa pátria bem-aventurada, ao lançar o primeiro olhar sobre essa cidade de delícias? Os Anjos e os Santos saem-lhe ao encontro e lhe dão, jubilosos, as boas vindas. Que consolação experimentará ao encontrar ali os parentes e amigos que a precederam, e os seus gloriosos protetores! A alma quererá prostrar-se diante deles; mas os Santos lhe dirão: Guarda-te de o fazer; porque somos servos como tu: “Vide ne feceris; conservus tuus sum” . (Santo Afonso de Ligório)

A Intercessão dos Santos

Catecismo (§956): “Obem-aventurados, estando mais intimamente unidos com Cristo, consolidam mais firmemente a Igreja na santidade. Eles não cessam de interceder a nosso favor, diante do Pai, apresentando os méritos que na terra alcançaram, graças ao Mediador único entre Deus e os homens, Jesus Cristo. A nossa fraqueza é assim grandemente ajudada pela sua solicitude fraterna”.

Conclusão: 

“Quem são os santos? Todos os que, animados pela caridade, vivem e morrem na graça de Deus podem ser chamados santos; em sentido especial, porém, são os que a Igreja elevou às honras dos altares por terem praticado as virtudes de maneira heroica ou por terem dado a vida pela causa da fé…As bem-aventuranças constituem o caminho proposto por Jesus para uma vida coerente com o Reino de Deus nesta terra, com vista à comunhão eterna com Deus no céu”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

Oração:  

De Santo Afonso de Ligório: “Meu Deus, aqui tendes a vossos pés um ingrato, que foi criado por Vós para o Céu, mas que muitas vezes, na vossa presença, o renunciou por indignos prazeres, consentindo em ser condenado ao inferno. Espero que já me haveis perdoado todas as injúrias que Vos fiz e de que de novo me arrependo e quero arrepender-me até à morte. Quero também que Vós sempre as torneis a perdoar-me. Mas, ó Jesus, embora já me tenhais perdoado, sempre ficará sendo verdade que tive a audácia de amargurar-Vos, meu Redentor, que, para me conduzir ao vosso reino, sacrificastes a própria vida. Para sempre seja louvada e abençoada a vossa misericórdia, ó meu Jesus, que me haveis aturado com tamanha paciência, e que, em vez de me punir, multiplicastes para comigo as graças, as luzes e os convites”. Amém!

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

30 de outubro de 2017 at 5:36 Deixe um comentário

Posts antigos


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 318 outros seguidores

Categorias