Posts tagged ‘Nossa Senhora das dores’

Virgem das Dores – de Eliana Ribeiro

Anúncios

16 de setembro de 2018 at 5:33 Deixe um comentário

Oração – de São João Paulo II

Ó Maria, Vós que percorrestes
o caminho da cruz juntamente com o Filho,
sentindo vosso coração de mãe despedaçado pela dor,
mas sempre recordada do vosso fiat
e intimamente confiante de que Aquele
para quem nada é impossível
saberia dar cumprimento às suas promessas,
implorai para nós e para as futuras gerações
a graça do abandono ao amor de Deus.
Fazei com que em presença do sofrimento, do desprezo, da prova,
ainda que prolongada e dura,
nunca duvidemos do seu amor.
A Jesus, vosso Filho,
honra e glória para sempre.
R. Amém.

15 de setembro de 2018 at 5:35 Deixe um comentário

Papa: contemplar Nossa Senhora das Dores aos pés da Cruz

2017-09-15 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O primeiro compromisso do Papa Francisco na manhã desta sexta-feira (15/09) foi a celebração da missa na capela da Casa Santa Marta.

 

Em sua homilia, o Pontífice convidou os fiéis a contemplarem Nossa Senhora das Dores, aos pés da Cruz, no dia em que a Igreja recorda a sua memória:

“Contemplar a Mãe de Jesus, contemplar este sinal de contradição, porque Jesus é o vencedor, mas sobre a Cruz, sobre a Cruz. É uma contradição, não se compreende… É preciso fé para entender, pelo menos para se aproximar deste mistério”.

Maria sabia disso e “toda a vida viveu com a alma traspassada”. Seguia Jesus e ouvia os comentários das pessoas, às vezes a favor, às vezes contra, mas sempre esteve atrás de seu Filho. E “por isso dizemos que é a primeira discípula”, destacou Francisco. Maria tinha a inquietação que fazia nascer no seu coração este “sinal de contradição”.

No final, ficava ali, em silêncio, sob a Cruz olhando o Filho. Talvez, ouvia comentários do tipo:  “Olha, aquela é a Mãe de um dos três delinquentes”. Mas Ela “mostrou o rosto pelo Filho”:

“Aquilo que digo agora são pequenas palavras para ajudar a contemplar, em silêncio, este mistério. Naquele momento, Ela deu à luz a todos nós: deu à luz a Igreja. ‘Mulher’ – Lhe diz o Filho – ‘eis os teus filhos’. Não diz ‘mãe’: diz ‘mulher’. Mulher forte, corajosa; mulher que estava ali para dizer: ‘Este é meu Filho: não O renego’”.

Portanto, o trecho do Evangelho é mais para contemplar do que para refletir. “Que seja o Espírito Santo  – conclui – a dizer a cada um de nós aquilo de que precisamos”.

17 de setembro de 2017 at 5:37 Deixe um comentário

«Uma espada trespassará a tua alma» – comentário de São Romano, o Melodista

Resultado de imagem para imagem de nossa senhora das dores

Ovelha contemplando o seu cordeiro levado ao matadouro (Is 53,7), consumida de dor, Maria segue com as outras mulheres, chorando: «Para onde vais, meu Filho? Por que percorres assim depressa o teu caminho? (Sl 18,6) Há outra boda em Caná, e é para lá que Te diriges tão depressa, para transformar a água em vinho? Posso acompanhar-Te, meu Filho, ou será melhor esperar por Ti? Diz-me uma palavra que seja, Tu que és o Verbo, não passes diante de mim em silêncio, Tu, que és o meu Filho e o meu Deus.

»Encaminhas-Te para uma morte injusta e ninguém partilha o teu sofrimento. Não Te acompanha Pedro, que dizia: “Mesmo que tenha de morrer contigo, não Te negarei” (Mt 26,35). Abandonou-Te Tomé, que exclamara: “Vamos nós também, para morrermos com Ele” (Jo 11,16). E os outros, os íntimos, aqueles que hão de julgar as doze tribos (Mt 19,28), onde estão eles? Não está cá nenhum; mas Tu, sozinho, meu Filho, Tu morres por todos. É o salário que recebes por teres salvado todos os homens, por os teres servido, meu Filho e meu Deus.»

Voltando-Se para Maria, Aquele que saiu dela exclama: «Porque choras, Mãe? Eu, não sofrer, não morrer? Como salvaria Adão? Não habitar o túmulo? Como devolveria à vida aqueles que moram na mansão dos mortos? Porque choras? Exclama antes: “Sofre voluntariamente, o meu Filho e meu Deus.” Virgem prudente, não te tornes semelhante às insensatas (Mt 25,1ss.): tu estás no banquete de núpcias, não ajas como se tivesses ficado de fora.  Não chores, pois, diz antes: “Tem piedade de Adão, sê misericordioso com Eva, meu Filho e meu Deus.”

»Descansa, Mãe, serás tu a primeira a ver-Me sair do túmulo. Virei mostrar-te de que males resgatei Adão, que suores derramei por ele. Revelarei aos meus amigos as marcas que trarei nas mãos. Então, verás Eva viva como foi outrora, e exclamarás cheia de alegria: “Ele salvou os meus pais, o meu Filho e meu Deus!”»

15 de setembro de 2017 at 5:09 Deixe um comentário

Oração

Mãe das dores, roga ao Teu amado Filho Jesus, que derrame a consolação do Espírito Santo à todas mães que choram pelos seus filhos! Amém.

49f31-6dbcc29e

15 de setembro de 2016 at 10:30 1 comentário

Nossa Senhora das Dores, rogai por nós!

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Faze, ó Mãe, fonte de amor,
que eu sinta em mim tua dor,
para contigo chorar.

Faze arder meu coração,
partilhar tua paixão
e teu Jesus consolar.

Ó santa Mãe, por favor,
faze que as chagas do amor
em mim se venham gravar.

O que Jesus padeceu
venha a sofrer também eu,
causa de tanto penar.

Ó dá-me, enquanto viver,
com Jesus Cristo sofrer,
contigo sempre chorar!

Quero ficar junto à cruz,
velar contigo a Jesus,
e o teu pranto enxugar.

Quando eu da terra partir,
para o céu possa subir,
e então contigo reinar.

Salmodia

Ant. 1 Minha alma se agarra em vós, ó Senhor!

Fonte: Liturgia das Horas

15 de setembro de 2015 at 6:09 Deixe um comentário

Nossa Senhora das Dores – 15 de Setembro

A festa de hoje liga-se a uma antiga tradição cristã. Contam que, na Sexta-feira da Paixão, Maria Santíssima voltou a encontrar-se com Jesus, seu filho. Foi um encontro triste e muito doloroso, pois Jesus havia sido açoitado, torturado e exposto à humilhação pública. Coroado de espinhos, Jesus arrastava até ao Calvário a pesada cruz, para aí ser crucificado. Sua Mãe, ao vê-lo tão mal tratado, com a coroa de espinhos, sofre de dor. Perdendo as forças, caiu por terra, vergada pela dor e pelo sofrimento de ver Jesus prestes a morrer suspenso na cruz. Recobrando os sentidos, reuniu todas as suas forças, acompanhou o filho e permaneceu ao pé da Cruz até o fim.
Inicialmente, esta festa foi celebrada com o título de “Nossa Senhora da Piedade” e “Compaixão de Nossa Senhora”. Depois, Bento XIII (1724-1730) promulgou a festa com o título de “Nossa Senhora das Dores”.
Somos convidados, hoje, a meditar os episódios mais importantes que os Evangelhos nos apresentam sobre a participação de Maria na paixão, morte e ressurreição de Jesus: a profecia do velho Simeão (Lucas 2,33ss.); a fuga para o Egipto (Mateus 2,13ss.); a perda de Jesus aos doze anos, em Jerusalém (Lucas 2,41ss.); o caminho de Jesus para o Calvário (João 19:12ss.); a crucificação (João 19,17ss.); a deposição da cruz e o sepultamento (Lucas 23,50ss.).

Fonte: Evangelho Quotidiano

11 de setembro de 2015 at 6:37 Deixe um comentário

Posts antigos


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 306 outros seguidores

Categorias