Archive for dezembro, 2019

Mensagem de Fim de Ano

Que o ano de 2020 seja de paz, alegria e esperança

para todos os seguidores do “ideeanunciai”!

31 de dezembro de 2019 at 17:16 Deixe um comentário

Reflexão para o fim de ano

Ano Novo

Ano Novo

Fim de Ano é momento de ação de graças a Deus por todas as nossas realizações!

Padre Cesar Augusto dos Santos – Cidade do Vaticano

Fim de ano! Na mente de muitas pessoas, a virada do ano significa jogar fora, se despedir de tudo aquilo que não foi bom, que causou frustração e sofrimento. Olha-se para o Ano Novo com muita esperança, com fascínio e por vezes até mesmo com um arzinho de presunção, como que dizendo: não importam a coisas que não deram certo, agora começaremos com o pé direito. Muitos até, cheios de crendices e superstições, procurarão realizar certos ritos de passagem de ano, ritos às vezes ridículos e sem sentido, como se o futuro, a felicidade dependesse desses gestos.

O homem atento e prudente jamais despreza o que não deu certo, mas após perguntar o porquê do erro, integra o resultado do que fez de modo errado e aí tira proveito disso. Aprende com o erro. Segundo São Paulo “Tudo colabora para o bem dos que são amados por Deus”! Portanto o final de ano deve ser marcado especialmente pela ação de graças a Deus por TUDO que nos possa ter acontecido. Para o filhos queridos de Deus só existe bom tempo, não no sentido de que tudo correu às mil maravilhas, mas no sentido de que tudo está integrado.

O cristão é, por natureza, otimista. Para ele serve aquele canto da MPB que diz: “Reconhece a queda e não desanima, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”!

Por outro lado, o cristão não precisa de nenhum gesto particular para lhe dar sorte durante o ano que se inicia. Ele crê em Deus, crê em seu Amor, crê que Deus o criou por Amor e por amor a ele morreu numa cruz e ressuscitou. Crê que Deus é Todo-Poderoso, e por isso nenhum mal lhe poderá acontecer. Aos que se comportam de modo pagão, que creem em forças da natureza, que desconhecem serem filhos de Deus e terem em Maria a Mãe que vela – Nossa Senhora, como disse ao índio azteca sob o título de Guadalupe: Não sou eu sua mãe, não estou eu aqui com você?” Para que temer? “Se Deus é por nós, quem poderá ser contra nós”, dirá, por sua vez, São Paulo Apóstolo.

O cristão começa bem o ano rezando, celebrando a Eucaristia, programando repetir esses dois gestos durante todo o novo ano, programando ser caridoso, solidário e fraterno, sendo sinal do compromisso de Deus com o homens.

Que você, querida irmã, querido irmão, tenha uma boa passagem de ano, com saúde, na alegria e na paz, ao lado dos entes queridos e dos amigos mais próximos! Feliz Ano novo a todos!

31 de dezembro de 2019 at 9:22 Deixe um comentário

Papa convida a retomar a comunicação em família, um tesouro precioso

1577363395165.jpg

No Angelus deste domingo, Festa da Sagrada Família, o Papa fez os votos que todos terminem o ano em paz, paz do coração, e comunicando-se em família, um com o outro.

Jackson Erpen – Cidade do Vaticano

A família é um tesouro precioso que precisa ser apoiado e tutelado, disse o Papa neste domingo, 29, Festa da Sagrada Família, quando deu uma tarefa: retomar a comunicação em família: os pais, os pais com os filhos, com os avós, os irmãos entre eles.

No último Angelus do ano de 2019, Francisco propôs a Sagrada Família de Nazaré como modelo para nossas famílias. “O termo “sagrada” – começou explicando – insere essa família no âmbito de santidade que é dom de Deus mas, ao mesmo tempo, é uma adesão livre e responsável ao projeto de Deus. Assim foi para a família de Nazaré: foi totalmente disponível à vontade de Deus.”

Maria ouve a Palavra de Deus e a coloca em prática

Falando aos milhares de peregrinos e turistas presentes na Praça São Pedro em um domingo ensolarado, com a temperatura por volta dos 9º C, Francisco chamou a atenção para o fato de que “os três componentes da Família de Nazaré, ajudam-se um ao outro a descobrir e realizar o plano de Deus”, e explicou brevemente o papel desempenhado por cada um nesta missão divina, a começar por Maria:

“Como não ficar maravilhados, por exemplo, com a docilidade de Maria à ação do Espírito Santo, que pede a ela para se tornar mãe do Messias?”

Maria, como toda jovem do seu tempo, estava para concretizar seu projeto de vida, isto é, casar-se com José. Mas quando percebe que Deus a chama para uma missão particular, não hesita em proclamar-se sua “serva”.

“E quando não compreende bem os eventos que a envolvem, Maria medita no silêncio, reflete e adora a iniciativa divina. A sua presença aos pés da Cruz consagra essa total disponibilidade”.

José, homem do silêncio e da obediência

Quanto a José, ele “não fala, mas age obedecendo”, “é o homem do silêncio, o homem da obediência” – ressalta Francisco – sob a condução de Deus, representada pelo anjo:

A página do Evangelho de hoje recorda três vezes essa obediência de José, relacionada à fuga para o Egito e ao retorno à terra de Israel. Sob a guia de Deus, representada pelo anjo, José distancia sua família das ameaças de Herodes, e a salva. A Sagrada Família solidariza assim com todas as famílias do mundo forçadas ao exílio, solidariza com todos aqueles que são forçados a abandonar a própria terra por causa da repressão, da violência, da guerra.

Jesus, a vontade do Pai

Por fim Jesus, a terceira pessoa da Sagrada Família. Jesus, em quem – explica o Papa – houve somente “sim”, o que é manifestado em tantos momentos de sua vida terrena, citando o episódio em que seus pais aflitos o acharam no templo pregando aos doutores da lei, sua oração de entrega ao Pai no Jardim das Oliveiras, todos eventos que são a perfeita realização das próprias palavras de Cristo que diz: “Não quiseste sacrifício nem oblação […]. Então disse: “Eis que eu venho […] fazer vossa vontade, Meu Deus”.

Uma tarefa: retomar a comunicação em família

Assim, disse Francisco, “Maria, José e Jesus, a Família de Nazaré, representam uma resposta uníssona à vontade do Pai. Os três componentes dessa família singular se ajudam reciprocamente a descobrir e realizar o plano de Deus. Eles rezavam, trabalhavam, se comunicavam”E então o Papa se pergunta:

Tu, em tua família, sabes te comunicar, ou és como aqueles jovens na mesa, cada um com o telefone celular, [que] estão [trocando mensagens] em chats? Naquela mesa parece um silêncio, como se estivessem na Missa … Mas não se comunicam. Devemos retomar a comunicação em família: os pais, os pais com os filhos, com os avós, mas comunicar-se, com os irmãos, entre eles… Esta é uma tarefa a ser feita hoje, precisamente no dia da Sagrada Família.

“Devemos retomar a comunicação em família: os pais, os pais com os filhos, com os avós, mas comunicar-se, com os irmãos, entre eles… Esta é uma tarefa a ser feita hoje, precisamente no dia da Sagrada Família”

Sagrada Família, modelo para as famílias

“Que a Sagrada Família possa ser modelo para nossas famílias, para que pais e filhos se apoiem mutuamente na adesão ao Evangelho, fundamento da santidade da família.”

Confiemos a Maria “Rainha da família” – disse o Papa ao concluir – todas as famílias do mundo, especialmente aquelas provadas pelo sofrimento, e invoquemos sobre elas a sua materna proteção.

Família, um tesouro a ser protegido

Ao saudar os peregrinos e turistas presentes na Praça São Pedro, o Papa dirigiu uma saudação às famílias:

“Hoje dirijo uma saudação especial às famílias aqui presentes e àquelas que participam de casa através da televisão e do rádio. A família é um tesouro precioso: é preciso sempre apoiá-la, protegê-la: em frente!”

Acabar o ano com paz no coração

Antes de despedir-se com o tradicional bom domingo, bom almoço e não se esqueçam de rezar por mim, o Papa fez votos de que todos terminem o ano em paz:

Saúdo a todos, e a todos desejo um bom domingo e um final de ano sereno. Terminemos o ano em paz, paz de coração: esses são meus votos a vocês. E em família, se comunicando. Agradeço novamente a vocês pelas felicitações [de Natal] e pelas orações. E por favor continue rezando por mim. Bom almoço e até logo!

31 de dezembro de 2019 at 5:39 Deixe um comentário

Papa às crianças: como Jesus, construir pontes entre os homens

1576494555915.JPG

O Papa Francisco deu um “dever de casa” às crianças da Ação Católica Italiana: no dia de Natal, recolher-se em oração e, com o mesmo estupor dos pastores, olhar para o Menino Jesus.

Cidade do Vaticano

Em sua série de audiências no Vaticano nesta segunda-feira, o Papa recebeu também as crianças da Ação Católica Italiana por ocasião do Natal.

Em seu discurso, o Pontífice agradeceu pela visita e comentou algumas iniciativas realizadas neste ano que a Ação Católica completou 50 anos. Entre elas, os “jovens em sínodo”.

Francisco deu um “dever de casa” no dia de Natal: recolher-se em oração e, com o mesmo estupor dos pastores, olhar para o Menino Jesus. Olhar para Aquele que veio ao mundo para trazer o amor de Deus, que se fez ponte entre Deus e os homens.

“E hoje Ele pede também a vocês que sejam pequenas ‘pontes’ lá onde vivem: vocês percebem a necessidade de construir pontes, justo? Às vezes não é fácil, mas se estivermos unidos a Jesus, podemos fazê-lo.”

A última recomendação do Papa foi que as crianças aprendam com Maria o que significa “Natal”. “Ela e São José podem realmente nos ensinar como se acolhe Jesus, como adorá-Lo e segui-Lo dia após dia.”

30 de dezembro de 2019 at 5:50 Deixe um comentário

Frases sobre Santa Maria, Mãe de Deus

1-Papa Francisco: “Hoje é também o dia para nos maravilharmos diante da Mãe de Deus: Deus é um bebé nos braços duma mulher, que alimenta o seu Criador”.

2-Santo Alberto Magno: “Deus conferiu à Santíssima Virgem o que há de mais alto possível para uma criatura: a maternidade divina”.

3-Papa Emérito Bento XVI: “Maria, a Virgem, esposa de José, que Deus escolheu desde o primeiro instante da sua existência para ser a mãe do seu Filho feito homem. Ela é a bendita entre as mulheres (Lc 1,42) – como a saúda Santa Isabel”.

4-Santo Afonso Maria de Ligório: “Esqueçam-me, pois, todas as criaturas, vós, porém, não me esqueçais, ó Mãe de Deus onipotente”.

5-Papa Emérito Bento XVI: “Pedimos a Maria, Mãe de Deus, que nos ajude a acolher o Filho e, n’Ele, a verdadeira paz”.

6-Santo Agostinho: “Entre todas as mulheres, Maria é a única a ser ao mesmo tempo Virgem e Mãe, não somente segundo o espírito, mas também pelo corpo”.

7-São João Paulo II: “O amor da Mãe do Salvador chega até onde quer que se estenda a obra da salvação”.

8-São Bernadino: “Por amor de Maria (sua Mãe), Deus não destruiu o homem depois do pecado de Adão”.

9-Santo Afonso Maria de Ligório: “Esta Divina Mãe é infinitamente inferior a Deus, mas é imensamente superior a todas as criaturas”.

10-São Tomás de Aquino: “Tendo Maria sido feita Mãe de Deus, em razão dessa união tão estreita com o Bem Infinito, recebeu certa dignidade infinita”.

11-São João Paulo II: “A solicitude da Mãe do Salvador, identifica-se com a solicitude pela obra da salvação: a obra do Seu Filho”.

12-Santo Agostinho: “Somente Maria, portanto, é mãe e virgem, no espírito e no corpo. É Mãe de Cristo e também Virgem de Cristo”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

30 de dezembro de 2019 at 5:41 Deixe um comentário

Papa Francisco – Oracão do Angelus 2019-12-29

29 de dezembro de 2019 at 9:51 Deixe um comentário

Reflexão para a Festa da Sagrada Família

Tela de Lorenzo Lotto exposta no Museu do Louvre: Sagrada Família, Anjos e Santos

Tela de Lorenzo Lotto exposta no Museu do Louvre: Sagrada Família, Anjos e Santos

A Família de Nazaré nos ensina a cristianizar a família pós moderna, recolocando Deus ao centro para reencontrar a verdadeira felicidade.

Padre César Augusto dos Santos SJ – Cidade do Vaticano

O perdão dos pecados acontece por causa de uma atitude de amor para com os pais, pois o lar, Igreja doméstica, voltou a ser o local do encontro com Deus.

A misericórdia em todos os relacionamentos, mas especialmente para com os pais, está em referência ao próprio Deus que é o Pai por excelência. Portanto, honrar os pais, respeitá-los, é prestar culto a Deus.

Tanto a primeira leitura quanto a segunda, da liturgia de hoje, não escondem as falhas no relacionamento familiar e humano, mas nos dizem que o importante aos olhos de Deus não está em ser sem defeitos, em ter uma família perfeita, mas sim na capacidade de amar sem medidas, apesar dos limites e das falhas pessoais. Claro que Deus deseja que sejamos perfeitos, mas mais importante para Ele é que nos amemos e nos perdoemos como Ele nos amou e nos perdoou, sem limites, sem restrições.

Dentro desse pensamento sobre o relacionamento familiar, será importante refletir sobre a realidade da família deste início de século, onde e como vive. Certamente a maioria mora em grandes centros urbanos e é constituída pelo casal e por um ou dois filhos. Um terceiro já faz considerá-la família numerosa.

Também a mãe trabalha fora e pais e filhos se encontram à noite, cansados, muitas vezes diante da televisão, ou durante o jantar. Se isso acontece já poderão se classificar felizes, pois em outros lares, muitas vezes quando pais saem para o trabalho, os filhos ainda dormem e quando voltam eles já estão deitados. O encontro, nesse caso, só se dá no final de semana.

Rezar juntos, passar para os filhos a vivência de uma oração em família, mesmo que seja apenas à mesa, só excepcionalmente, pois em muitos casos, para que possam descansar, não cozinham em casa e vão comer fora, em um restaurante ou na casa de parentes ou de amigos.

É difícil passar valores, enfim, formar os filhos. A sociedade pós moderna penetra em suas entranhas e é muito custoso prepará-los para o futuro, para que sejam filhos e irmãos como Deus quer. Só com a graça divina e com a disposição dos pais para uma autêntica renúncia e sacrifício.

28 de dezembro de 2019 at 13:51 Deixe um comentário

O Papa: a santidade é a palavra de Deus encarnada na história

Papa Francisco saúda o cardeal Angelo Becciu, prefeito da Congregação das Causas dos Santos

Papa Francisco saúda o cardeal Angelo Becciu, prefeito da Congregação das Causas dos Santos  (Vatican Media)

Francisco manifestou a alegria de encontrar-se com “a grande família da Congregação das Causas dos Santos, que desempenha o seu trabalho a serviço da Igreja universal, reconhecendo a santidade daqueles que seguiram Cristo fielmente”.

Mariangela Jaguraba – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta quinta-feira (12/12), na Sala Clementina, no Vaticano, os membros da Congregação das Causas dos Santos por ocasião de seus 50 anos de fundação.

Francisco manifestou sua alegria de se encontrar com “a grande família da Congregação das Causas dos Santos, que desempenha o seu trabalho a serviço da Igreja universal, reconhecendo a santidade daqueles que seguiram Cristo fielmente”.

Todo santo é uma missão

Em 8 de maio de 1969, São Paulo VI decidiu substituir a Congregação dos Ritos Sagrados com dois dicastérios: a Congregação das Causas dos Santos e a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. “Com essa decisão, ele permitiu dedicar recursos adequados de pessoas e trabalhar em duas grandes áreas claramente distintas, para corresponder melhor às solicitações cada vez mais numerosas das Igrejas particulares e à sensibilidade conciliar.”

Neste meio século de atividade, sua Congregação examinou um grande número de perfis biográficos e espirituais de homens e mulheres, para apresentá-los como modelos e guias da vida cristã. As várias beatificações e canonizações que foram celebradas nas últimas décadas significam que os santos não são seres humanos inacessíveis, mas estão próximos de nós e podem nos ajudar no caminho da vida. De fato, «são pessoas que experimentaram a fadiga cotidiana da existência com seus sucessos e fracassos, encontrando no Senhor a força para se levantar sempre e prosseguir o caminho». É importante medir nossa coerência evangélica com diferentes tipos de santidade, pois «todo santo é uma missão; é um projeto do Pai para refletir e encarnar, num momento específico da história, um aspecto do Evangelho».

Ver a santidade no povo de Deus

Segundo o Papa, “o testemunho dos beatos e dos santos nos ilumina, nos atrai e nos coloca em questão, porque é “palavra de Deus” encarnada na história e próxima de a nós. A santidade permeia e acompanha sempre a vida da Igreja peregrina, muitas vezes de maneira oculta e quase imperceptível.

“Portanto, devemos aprender a «ver a santidade no povo de Deus paciente: nos pais que crescem seus filhos com tanto amor, nos homens e mulheres que trabalham para levar comida para casa, nos doentes, nas religiosas idosas que continuam sorrindo. […] Isso é muitas vezes a santidade “da porta ao lado”, daqueles que vivem perto de nós e são um reflexo da presença de Deus».”

“A santidade é a verdadeira luz da Igreja: como tal, deve ser colocada no candelabro para que possa iluminar e guiar o caminho em direção a Deus do povo redimido. Trata-se de uma verificação cotidiana realizada por esse Dicastério, que desde a antiguidade foi realizada com diligência e precisão na pesquisa investigativa, com seriedade e competência no estudo das fontes processuais e documentais, com objetividade e rigor no exame e em todos os graus de julgamento, relativo ao martírio, virtudes heroicas, oferta da vida e milagre. Esses são critérios fundamentais, exigidos pela gravidade do assunto tratado, pela legislação e pelas justas expectativas do povo de Deus, que confia na intercessão dos santos e se inspira em seu exemplo de vida”, disse ainda Francisco.

Os postuladores devem ter atitude de serviço à verdade

O Papa disse ainda que “seguindo este caminho, o trabalho da Congregação permite limpar o campo de toda ambiguidade e dúvida, obtendo uma certeza plena na proclamação da santidade. Os consultores, no âmbito histórico, teológico e médico são chamados a cumprir com liberdade de consciência o seu trabalho, estudando atentamente os casos que lhes foram confiados e formulando os julgamentos com uma reflexão amadurecida, imparcial e sem condicionamentos”.

Segundo o Papa, “os postuladores devem estar mais conscientes de que sua função exige uma atitude de serviço à verdade e de cooperação com a Santa Sé. Eles não devem ser guiados por visões materiais e interesses econômicos. Não devem buscar sua afirmação pessoal e, acima de tudo, devem fugir de tudo aquilo que contradiz o significado do trabalho eclesial que desempenham”.

“Que os postuladores tenham consciência de que as Causas de beatificação e canonização são realidades espirituais. Portanto, devem ser tratadas com sensibilidade evangélica e rigor moral”, concluiu o Papa.

28 de dezembro de 2019 at 5:43 Deixe um comentário

Santos Inocentes Mártires

«Senhor nosso Deus, que neste dia fostes glorificado, não pelas palavras, mas pelo sangue dos Mártires Inocentes» (oração coleta da Missa)

O crime hoje cometido mostra-nos aonde conduz a inveja: o medo de um rival que lhe disputasse o reino encheu Herodes de angústia. Decidiu então suprimir o «Rei que acaba de nascer» (Mt 2,2), o Rei eterno; lutando contra o seu Criador, decidiu matar crianças inocentes […]. Que mal tinham aquelas crianças praticado? Nada haviam dito as suas línguas mudas, nada os seus olhos haviam visto, os seus ouvidos escutado, as suas mãos feito. Foi-lhes dada a morte sem terem conhecido a vida. […] E porque foi que Cristo, que lê o futuro e conhece os segredos dos corações, julga os pensamentos e escrutina as intenções (Sl 138), as abandonou? […] Porque negligenciou o Rei do Céu que acabava de nascer estes companheiros de inocência, porque esqueceu as sentinelas de serviço em redor do seu berço, permitindo ao inimigo, com a intenção de atingir o Rei, devastar por completo o exército? Irmãos, Cristo não abandonou os seus soldados, antes os encheu de glória, permitindo-lhes triunfar antes de viverem, conquistar a vitória sem terem de combater. […] Ele preferiu que possuíssem o Céu à Terra […], enviou-os à sua frente como arautos. Não os abandonou: salvou a sua guarda avançada e não a esqueceu […]. Bem-aventurados os que trocaram os trabalhos pelo repouso, as dores pelo alívio, o sofrimento pela alegria. Eles estão vivos, vivem realmente os que sofreram a morte por Cristo. […] Felizes as lágrimas que as mães verteram por seus filhos, pois lhes valeram a graça do batismo. […] Que Aquele que Se dignou repousar no nosso estábulo queira também conduzir-nos aos prados do Céu.

Sermão de São Pedro Crisólogo

Fonte: Evangelho Quotidiano

28 de dezembro de 2019 at 5:39 Deixe um comentário

Nossa Senhora do Desterro, rogai por nós!

27 de dezembro de 2019 at 20:50 Deixe um comentário

Posts antigos


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 341

Categorias