Archive for junho, 2010

A CONVERSÃO

A  conversão é um processo que se  inicia no nosso Batismo, com o derramamento da Água Viva (o Espírito Santo). Somos mergulhados  na morte de Cristo, por causa do nosso pecado e ressuscitamos com Ele para uma vida nova, uma vida de graça.  E o processo de conversão continua acontecendo durante toda a  vida e só termina no momento da nossa morte.

Infelizmente  no decorrer de nossa existência, nos afastamos de Deus, pois fazemos escolhas que nos levam em direção ao mal ( pecado ). Então é preciso que retornemos a Deus, urgentemente, pois a alma sem Ele não vive em paz. Fica um vazio interior tão grande, que nada, nem ninguém consegue preencher. Por isso somos tão enfermos e precisamos que Deus nos cure todo o tempo, para encontrar o caminho de volta para Ele. E o Catecismo ( 1502 ) confirma o que está na Palavra que ” a doença, de uma forma misteriosa, está ligada ao pecado e ao mal, e que a fidelidade a Deus e aos seus mandamentos dá a vida.” A nossa alma em pecado está no túmulo ( morte), mas com o arrependimento e o  perdão de Deus  ela ressuscita e retorna à vida.

A conversão é uma ruptura com o pecado, uma aversão ao mal e repugnância às  más obras de que cometemos. É o desejo de mudar de vida, de retornar a Deus. É viver a vida no espírito e não na carne. São Paulo diz em Romanos 8, 6: ” Ora, a aspiração da carne é a morte, enquanto a aspiração do espírito é  a vida e a paz.”

  Converter-se é renunciar ao homem velho e revestir-se do homem novo “criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.” ( Ef 4, 24 ). Renunciar ao pecado ( vida velha), muitas vezes exige esforço que nos trazem sofrimento, mas é preciso passar pela renúncia porque ” se o grão de trigo, caído na terra, não morrer fica só; se morrer, produz muito fruto.” ( Jo 12,24 ) É dolorido, mas é dessa forma  que chegaremos ao homem novo. E com essa  roupagem nova seremos testemunho de fé  para que muitos de nossos irmãos voltem para Deus.

 Diz S. João Batista: ” Fazei, pois, uma conversão realmente frutuosa…” ( Lc 3, 8 ) Precisamos buscar a Deus diariamente, seja na Palavra, na Eucaristia ou na oração, para que não vacilemos e continuemos nossa caminhada de conversão dando frutos bons.

Santo Agostinho diz que” o pecado é o amor de si mesmo até o desprezo de Deus.” O pecado é uma ofensa a Deus, ataca em nós a caridade e exige uma nova iniciativa da misericórdia de Deus e uma conversão do nosso  coração.( Cic) Além do pecado Mortal, que é o mais grave, há também os Veniais, os Capitais, os contra a Igreja, e muitos outros citados por Jesus nos Evangelhos e também por seus discípulos em suas cartas. Jesus nos exorta que a porta do céu é estreita, e que muitos tentarão passar por ela e não conseguirão. Isto só acontecerá conosco se relaxarmos na fé e na obediência à Palavra de Deus, porque  é por ela que seremos julgados.

 E o julgamento de Deus é reto e sua justiça é perfeita. Ele não vai privilegiar ninguém, pois não faz acepção de pessoas. Deus ama a todos igualmente.

Ele quer que todos se convertam e se salvem.Por isso é o Pai  que atrai todos nós a  seu Filho Jesus, o Salvador da humanidade e, o Espírito Santo nos faz experimentar esse amor ( do Pai e do Filho) que nos cura, liberta e salva. É a Santíssima Trindade que no seu amor inigualável age em nós, por nós e conosco.

Há muitos momentos de conversão narrados na Bíblia, mas podemos destacar:

– a de Zaqueu- Lc 19,1-10

– a da mulher adúltera- Jo 8, 1-11

– a parábola do filho pródigo- Lc 15, 11-32

– a conversão de Saulo-  At 9, 1-9

A conversão só acontece enquanto estivermos nesse mundo, por isso precisamos nos apressar e voltar logo pra Deus: ” Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora” ( Mt 25, 13) que o Senhor virá nos buscar. Se não nos arrependermos a tempo, o pecado mortal nos levará ao inferno por toda a eternidade.

O Senhor não predestina ninguém para o inferno; para que isso aconteça é preciso uma aversão voluntária ao Senhor ( pecado mortal- desrespeito aos Dez  Mandamentos ) , e persistir nela até o fim. Ele ” não quer que alguém pereça; ao contrário, quer que todos se arrependam.” ( 2 Pd 3, 9 ) O arrependimento não é algo imposto, mas sim um ato voluntário de cada um. Deus nos dá a liberdade de escolher o que queremos: o caminho do bem ou o caminho do mal. 

Mas mesmo assim Ele põe as coisas do Reino a nossa disposição para que possamos ter força para  nos arrepender, abandonar a vida de pecado e voltar para Ele. E mais: deu a maior prova de  seu amor por nós, enviando seu próprio Filho Jesus Cristo, para nos redimir de nossos pecados e nos tornar aptos a entrar no Reino dos Céus. Porque Deus nos quer junto d’Ele.

Para ajudar na caminhada de salvação, o Senhor nos dá:

– a sua Palavra, que tem os ensinamentos que precisamos para buscar a vida de santidade: “Fazei penitência e crede no Evangelho” ( Mc 1,15). 

– a sua Igreja que é fonte de salvação: O Prefácio da Missa resume bem o papel da Igreja em comunhão com a missão salvadora de Jesus: ” Elevado na cruz, entregou-se por nós com imenso amor. E, de seu lado aberto pela lança, fez jorrar, com a água e o sangue, os sacramentos da Igreja, para que todos atraídos ao seu coração,pudessem beber, com perene alegria, na fonte salvadora.” 

– os nossos pastores ( Papa, Bispo, Padres, Diáconos…), que orientam sobre a maneira correta de viver a fé, a esperança e a caridade; e que nos dá a interpretação correta da Bíblia.

– os  Anjos que cooperam conosco para não nos desviarmos do caminho da salvação: ” Não são todos os Anjos espíritos a serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a salvação?” ( Hb 1, 14 )

– a oração de  intercessão de Nossa Senhora e dos santos do céu: ” Eu vos digo, assim haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão” ( Lc 15, 6 ) .

– os sacramentos, sinais da presença de Deus em nosso meio e em nós.

Crer que Jesus é  o Filho de Deus, que morreu na cruz para nos salvar, é o primeiro passo para a nossa conversão. E é o Espírito Santo quem vai trazer essa verdade ao nosso coração. É só recorrer a Ele: Vem, Espírito Santo!.

A Palavra de Deus é muito clara quando diz que  Jesus é a porta por onde as ovelhas devem passar e que Ele é o único caminho pra se chegar ao Pai. Quando colocamos Jesus como o único Senhor de nossas vidas, aí estamos realmente nos convertendo.

 Ó Bom Pastor, ajuda-nos nessa caminhada  tão difícil rumo ao céu. Não nos deixe afastar de sua presença. Converta também nossa família, Senhor. Que não fique ninguém fora de seu redil! 

Ó Pai,  pela sua bondade e misericórdia, continue nos dando força e perseverança para lutar contra o pecado. Dai -nos o dom de orar pela nossa conversão e de nossos irmãos. Ensina-nos, Senhor, a vigiar os nossos passos para que não caiamos em tentação. Livra-nos do mal!

Dai-me, Senhor, o dom do arrependimento e o desejo de buscar frequentemente o Sacramento da Confissão com o coração contrito e humilhado, por vos ter ofendido tantas vezes, Senhor, com o meu pecado!  Amém!

Jane Amábile – Com. Divino Esp. Santo.

23 de junho de 2010 at 11:47

A ALEGRIA: FRUTO DO ESPÍRITO SANTO

 

A alegria é fruto do Espírito, como também a paz, a paciência, a afabilidade, a caridade, a bondade, a fidelidade, a brandura, a temperança.

 
O motivo da nossa reflexão , hoje, é o fruto da alegria.
 
No Batismo e na Crisma o Espírito Santo derrama sobre nós seus dons e frutos. Mas a Igreja ainda nos deu algo a mais nesses sacramentos: o óleo da alegria, o qual somos ungidos, e que muito nos ajudarão a viver num mundo cheio de decepções, doenças, perdas, traumas, separações, fracassos…Ao passarmos  por essas situações, muitas vezes, caímos na tristeza, angústia e depressão. Por isso precisamos do fruto da alegria.Ninguém está livre das situações  ruins da vida. Em Eclo 40, 1-11,  Deus nos fala que todos os homens, desde os mais ricos e poderosos aos mais humildes passam por isso em algum momento da vida.
 
Então todos nós precisamos cultivar a alegria em nosso coração. É prudente, pois Deus  continua a nos alertar em Eclo 30,25, que: “… a tristeza matou a muitos e não há nela utilidade alguma.”  e antes no versículo 23: ” … a alegria do homem torna mais longa sua vida”.A ciência tem chegado a conclusão que, em alguns casos, o bom humor e a alegria podem apressar o restabelecimento da saúde de um doente.
 
Existem sentimentos em nosso coração que denominamos alegria, mas na verdade são prazeres e sensação de bem-estar passageiros, que não sobrevivem às tempestades da vida, quando elas aparecem.
A verdadeira alegria vem do Espírito Santo e ela permanece sempre conosco em todas as circunstâncias: boas ou ruins. 
 
Como fazer então para cultivar a verdadeira alegria?
 
A Palavra de Deus e o Catecismo nos dão preciosos ensinamentos:
 
1- Fortalecer a fé em Deus: ” A fé faz nos degustar como por antecipação a alegria e a luz da visão de Deus, na eternidade” ( Cic 163 ). Isso anima a nossa alma, que está sempre buscando a Deus.
 
2- Esperar pela realização das promessas de Deus, o tempo que for necessário: ” A Esperança nos traz alegria mesmo na provação” ( Cic 1820 ). Mesmo diante dos problemas, não desistir. Esperar em Deus.
 
3- Praticar a caridade, isto é, fazer o bem a todos ( Cic 1829 ). O amor alimenta nosso ser e nos enche de  paz e alegria.
 
4- Colocar-se a serviço do Reino: ” Feliz aquele que se compraz no serviço do Senhor”…( Sl 1,2 a ). Evangelizar para que todos encontrem a salvação em Jesus.
 
5- Guardar os Mandamentos e permanecer em Deus. Jesus deu este conselho e concluiu: “…para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa” ( Jo 15, 10-11 ).  Precisamos fugir do pecado e das tentações, e buscar  uma vida de graça.
 
5- Viver a partilha e a fraternidade na Comunidade Eclesial ( Igreja ): ” Unidos de coração frequentavam todos os dias o templo. Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração” ( At 2, 46 ). Conviver com os irmãos de Comunidade é muto bom, porque Deus não nos fez para vivermos sós.
 
Se seguirmos todos esses ensinamentos teremos permanentemente, a alegria do Espírito Santo e seremos testemunhas do amor de Deus para nossos irmãos, mesmo nos momentos mais difíceis que passarmos, porque ” nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor”( Rm 8, 38-39). 
 
Mas a alegria plena só a teremos no Céu quando nossa alma então será pertença total de Deus.  
O que Santa Teresa de Jesus diz sobre a Alegria: ” Espera, ó minha alma, espera. Ignora o dia e a hora. Vigia cuidadosamente, tudo passa com rapidez, ainda que tua impaciência torne duvidoso o que é certo e longo um tempo bem curto. Considera que quanto mais pelejares, mais provarás o amor que tens a teu Deus e mais te alegrarás um dia com teu Bem – Amado em gozo e deleite que não podem ter fim”.
 
Ó Senhor, faz-nos viver a cada dia alegremente sabendo que podemos confiar todas as coisas a Ti.
 
Jane Amábile – Com. Divino Espirito Santo

17 de junho de 2010 at 14:35 Deixe um comentário

Oração de Louvor

 Quando admiramos alguém ou reconhecemos o seu valor, brota do nosso coração palavras de elogio e agradecimento para essa pessoa.O louvor é palavra de exaltação, num nível superior a qualquer elogio, pois é dirigido diretamente a Deus: Pai, Filho e Espírito Santo.Pode ser uma oração já xistente, principalmente as  extraídas dos Salmos, ou  então espontâneas.

 Podemos louvar na nossa casa, na Igreja, no trabalho, no lazer…
Já diante do Santíssimo o louvor deve ser expresso numa atitude mais contrita, se possível de joelhos e em contemplação, pois o próprio Deus se faz presente na Hóstia consagrada. Em várias passagens bíblicas encontramos muitas palavras de louvor ao nosso Deus, principalmente porque a bíblia é inspirada pelo Espírito Santo. É o Espírito quem nos impulsiona a louvar ao Senhor ” porque não sabemos o que pedir nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. ” ( Rm 8, 26 )
 
 No Antigo Testamento podemos citar alguns textos de louvor a Deus:  no livro de Samuel 2, 1-10,  Ana canta para Deus um canto lindo de louvor;  também Tobit em Tb 13, 1-23;  Judite em Jd 16, 1-7; a oração de Ester ( Est 14, 1-18 );  e todos os Salmos que são motivados pelo louvor a Deus.No Novo Testamento há muitas manifestações de louvor ao Senhor: os Anjos cantaram um hino de louvor a Jesus no seu nascimento em Belém ( Lc 2, 13-14 ); Nossa Senhora canta o Magnificat ( Lc 1, 46-55 )  ; também  os discípulos de  Jesus enchem  a Igreja de louvores agradáveis a Deus ( I Pd 1,3 ) e nos ensinam a fazer o mesmo em todos os seus escritos; e finalmente no céu, onde todos louvam a Deus diante do seu trono de graças. ( Ap 7,11-12 )
 
A liturgia da Igreja é repleta de orações, cantos e hinos de louvor ao Pai, a Jesus e ao Espírito Santo.Na missa encontramos: o Hino de Louvor, o Santo, a Eucaristia ( o maior sacrifício de louvor e ação de graças a Deus) e muito mais.Em todos os momentos em que a Igreja se reúne, com excessão da Quaresma e Semana Santa, por ser momento de luto e tristeza para nós cristãos, por causa da Paixão e Morte de nosso Salvador Jesus Cristo, há manifestação de gratidão e louvor a Deus, seja em oração, na leitura da Palavra,cantos e outras formas de expressão.Na oração de louvor nossa alma fica em estado de graça, livre,pois o motivo de nosso louvor é somente Deus; ” Por isso, meu coração se alegra e minha alma exulta…” ( Sl 15,9 )
 
O Rei Davi, nos Salmos, instrui sobre como dirigir nosso louvor a Deus:
 -Com cantos e hinos: “Cantai-lhe hinos e cânticos, anunciai todas as suas maravilhas.”( Sl 104, 2 )
 -Com dança e instrumentos musicais: ” Louvai-o com tímpanos e danças, louvai-o com a harpa e a flauta. ( Sl 150, 4 )
– Com as mãos e vozes alegres: ” Povos, aplaudi com as mãos, aclamai a Deus com vozes alegres. ( Sl 46, 2 )
  E  também louvamos a Deus com oração e canto em línguas.( I Cor 12, 10 )
 São Paulo diz: ” Aquele que fala em línguas não fala aos homens, senão a Deus: ninguém o entende, pois fala coisas misteriosas, sob a ação do Espírito.”
 
O motivo do nosso louvor  é a bondade, a misericórdia, o Nome e a justiça de nosso Deus. E tudo o mais que o Espírito Santo suscitar em nosso coração e que é agradável a Ele.
A Palavra de Deus diz:  Feliz o povo que vos sabe louvar; caminha na luz de vossa face, Senhor. ( Sl 88, 16 )
A natureza também louva, do seu jeito, ao Criador. Está no Salmo 148, 4-5″ Louvai-o, céus do céu, e vós, ó oceanos dos espaços celestes. Louvem o nome do Senhor, porque Ele mandou e tudo foi criado.”
Podemos concluir essa reflexão citando Santo Agostinho: ” A despeito de tudo, o homem, pequena parcela de Vossa criação, quer louvar-vos. Vós mesmo o incitais a isto, fazendo com que ele encontre suas delícias no Vosso louvor, porque nos fizestes para vós e o nosso coração não descansa enquanto não repousar em Vós” .
 
Vem, Espírito Santo, ensina-me a louvar, para que minha alma possa descansar em Ti e ser somente tua, Senhor! 
 
Jane Amábile – Com. Divino Esp. Santo 

12 de junho de 2010 at 10:59 Deixe um comentário

O Reino dos Céus

O Reino dos Céus se instalou no meio de nós quando Deus se fez homem, pregou, sofreu, morreu e ressuscitou  para nos salvar. Podemos ter uma idéia de como é o Reino dos Céus conhecendo Jesus, suas palavras e ações cheias de amor, poder e misericórdia. Com  a presença de Jesus entre nós  o Reino de Deus ficou bem próximo: “Cumpriu-se o tempo e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho.”( Mc 1,15 )

Para confirmar que com Ele,  foi plantada a semente do Reino aqui na terra, Jesus diz: “…os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, o Evangelho é anunciado aos pobres.” ( Mt 11, 5) 

Que tenhamos aqui na terra o gostinho de provar um pouco do Reino que Deus preparou para nós  no céu, desde toda a eternidade. Ó Pai, venha a nós o vosso Reino!

 Jesus quando esteve entre nós ensinou sobre o Reino e o que podemos fazer para entrar nele e citou inúmeras parábolas:  a do semeador, a do joio, a do grão de mostarda, a do fermento, a do tesouro, da pérola e da rede. E no sermão das Bem-Aventuranças, Jesus explica que virtudes devemos ter  para alcançarmos o céu, pois lá só  entrarão:– Os de coração puro, os pobres (como Lázaro e todo tipo de pobreza), os humildes, os perseguidos por causa de Cristo, os mansos, os justos, os misericordiosos, os que cultivam a paz. ( Mt 5, 3-11 )

 – Aqueles que sobreviveram à grande tribulação ( Ap 7,14 );

– Os que seguem Jesus e não olham para trás ( Gl 5, 21 );

– Todos nós batizados, que abandonamos a vida de pecado e buscamos viver a vida de graça. É preciso nascer de novo pelo Espírito Santo. Jesus respondeu a Nicodemos: “Na verdade eu te digo: quem não nascer da água e do Espírito Santo, não pode entrar no Reino de Deus” ( Jo 3, 5 ) ;

– Os que participam da santa Eucaristia: ” Eu sou o Pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo ” ( Jo 6, 51 ). Um dia participaremos da Ceia do Céu com Jesus, Maria, os Anjos e todos  os que lá estiverem.

-Todos os que ouvem  o Cordeiro de Deus (Jesus) e são lavados no seu sangue redentor. Esses tem seus nomes inscritos no livro que enumera os herdeiros do Reino: o Livro da Vida. E terão o nome de Deus escrito em suas frontes.

– Os que praticam a caridade com todos: ” Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso.”( Lc 6, 36 ) ” Vinde, abençoados por meu Pai! Tomai posse do Reino preparado para vós desde a criação do mundo. Porque tive fome e me destes de comer, tive sede e…” ( Mt 25, 34-40 )

– Os que entram pela porta estreita e não buscam  os prazeres terrenos; ” Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão.” ( Lc 13, 24 )

– Os que tem um coração de criança, puro, sem malícias: ” Em verdade vos declaro; se não vos transformardes e vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos céus. ” ( Mt 18, 3 )

Se queremos um dia fazer parte desse Reino é necessário que o busquemos em primeiro lugar, antes de qualquer coisa nessa vida: ” Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo” ( Mt 6,33 ).

O Pai quer que todos participem do seu Reino, pois seu Filho Jesus morreu na cruz  pela nossa salvação.É Jesus quem nos dá esse passaporte para entrar no Reino pelo perdão de nossos pecados.

 Mas infelizmente, aqueles que estiverem em pecado mortal e não se arrependerem a tempo de buscar o perdão de Deus, como fez o bom ladrão ( Lc. 23, 42-42 ),  serão excluídos do Reino de Cristo, e suas almas padecerão eternamente no inferno, já que nossa liberdade tem o poder de fazer opções para sempre sem regresso. ( Cic 1861 )

 Em Gálatas 5, 21 e  I Cor 6, 9-10 , São Paulo cita alguns dos pecados que nos impedem de entrar no Reino e pergunta:” Não sabeis que os injustos não possuirão o Reino de Deus?”  Mas só a Deus compete o julgamento, pois sua misericórdia é infinita, sua justiça é perfeita e sua verdade é absoluta.

 É como é o Reino dos Céus?

 O catecismo ensina que o nosso Sumo Sacerdote Jesus Cristo, celebra no céu o grande Banquete com a santa Mãe de Deus, os Apóstolos, todos os Santos e a multidão dos que já entraram no Reino ( a Igreja Celeste ), e os seus Anjos. Jesus diz a seus discípulos: ” E vós tendes permanecido comigo nas minhas provações; eu, pois, disponho do Reino a vosso favor, assim como meu Pai o dispôs a meu favor, para que comais e bebais à minha mesa no meu Reino e vos senteis em tronos para julgar as doze tribos de Israel” ( Lc 22,28-29 ) 

 No Céu há  música, louvor e adoração ao nosso Deus Uno e Trino;  alegria e felicidade plenas de todas as almas que lá estão. 

Há também os Anciãos vestidos de branco ” se vossos pecados forem escarlates, se tornarão brancos como a neve” ( Is. 1, 18 ). Os Anciãos, diz o Senhor, ” lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro. Por isso, estão diante do trono de Deus e o servem , dia e noite,…”( Ap 14-15 )

 No Reino dos Céus não tem morte, nem dor, nem grito, nem luto, nem lágrimas, nem escuridão,nem calor, nem sede, nem fome e nem sol, pois o próprio Deus iluminará tudo e o Cordeiro, que está no meio do trono, será o Pastor e nos levará às fontes das águas vivas. ( Ap 21, 4  e 15, 16)

São João Evangelista tem  no Livro do Apocalipse uma descrição detalhada, mas não completa,  de como é o Céu. É ornado com pedras preciosas:  jaspe, safira,calcedônia, esmeralda, sardônia, cornalina, crisólito, berilo, topázio, crisóparo, jacinto, ametista, cristal, ouro e pérola. 

 É assim o Reino dos Céus que Deus nos preparou em Jesus Cristo. E o seu Reino não tem fim. É eterno.

Ao nosso Deus três vezes Santo, toda a honra, toda a glória, todo o louvor,  toda a adoração e  toda exaltação pelos séculos dos séculos!

Jane Amábile – Comunidade Divino Esp. Santo

6 de junho de 2010 at 11:13 Deixe um comentário


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 202 outros seguidores

Categorias