Posts tagged ‘Pentecostes’

Domingo de Pentecostes

O tema deste Domingo é, evidentemente, o Espírito Santo. Dom de Deus a todos os crentes, o Espírito dá vida, renova, transforma, constrói comunidade e faz nascer o Homem Novo.

O Evangelho apresenta-nos a comunidade cristã, reunida à volta de Jesus ressuscitado. Para João, esta comunidade passa a ser uma comunidade viva, recriada, nova, a partir do dom do Espírito. É o Espírito que permite aos crentes superar o medo e as limitações e dar testemunho no mundo desse amor que Jesus viveu até à últimas consequências.

Na primeira leitura, Lucas sugere que o Espírito é a lei nova que orienta a caminhada dos crentes. É ele que cria a nova comunidade do Povo de Deus, que faz com que os homens sejam capazes de ultrapassar as suas diferenças e comunicar, que une numa mesma comunidade de amor, povos de todas as raças e culturas.

Na segunda leitura, Paulo avisa que o Espírito é a fonte de onde brota a vida da comunidade cristã. É ele que concede os dons que enriquecem a comunidade e que fomenta a unidade de todos os membros; por isso, esses dons não podem ser usados para benefício pessoal, mas devem ser postos ao serviço de todos.

Fonte: Evangelho Quotidiano

Anúncios

13 de maio de 2016 at 5:02 Deixe um comentário

Pentecostes

Celebramos neste domingo a festa de Pentecostes que comemora a vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos, cinquenta dias depois da Páscoa. O acontecimento do Pentecostes só pode ser entendido em ligação com a Páscoa e com a Ascensão: Cristo morreu para a salvação do mundo, ressuscitou e voltou ao Pai; depois, enviou aos homens o seu Espírito, revelando assim a terceira pessoa da Trindade. É por isso que esta festa encerra o tempo pascal que dura sete semanas.

O Pentecostes marca também o nascimento da Igreja. Com efeito, os Apóstolos, tendo recebido a força do Espírito, tiveram a coragem de dar testemunho de Cristo, de fazer conhecer os seus ensinamentos e de batizar. Tal como os Apóstolos, somos chamados a não ficar apenas uns com os outros mas, pelo contrário, a proclamar corajosamente o Evangelho. Peçamos ao Senhor que nos dê essa força para testemunhar à nossa volta Nosso Senhor Jesus Cristo, vivendo no e do seu Amor.

Neste dia de festa, queremos partilhar convosco a alegria da proximidade de abertura dos serviços em coreano, estónio e turco e o bom caminho em que se encontram as versões hebraica, chinesa e russa. Contamos convosco na divulgação destas boas notícias.

Desejamo-vos uma boa e santa festa de Pentecostes!

Fonte: Evangelho Quotidiano

 

12 de maio de 2016 at 5:47 Deixe um comentário

Pentecostes – Vinde Espírito Santo!

Pentecostes, do grego, pentekosté, é o qüinquagésimo dia após a Páscoa. Comemora-se o envio do Espírito Santo à Igreja. A partir da Ascensão de Cristo, os discípulos e a comunidade não tinham mais a presença física do Mestre. Em cumprimento à promessa de Jesus, o Espírito foi enviado sobre os apóstolos. Dessa forma, Cristo continua presente na Igreja, que é continuadora da sua missão.

A origem do Pentecostes vem do Antigo Testamento, uma celebração da colheita (Êxodo 23, 14), dia de alegria e ação de graças, portanto, uma festa agrária. Nesta, o povo oferecia a Deus os primeiros frutos que a terra tinha produzido. Mais tarde, tornou-se também a festa da renovação da Aliança do Sinai (Ex 19, 1-16).

No Novo Testamento, o Pentecostes está relatado no livro dos Atos dos Apóstolos 2, 1-13. Como era costume, os discípulos, juntamente com Maria, mãe de Jesus, estavam reunidos para a celebração do Pentecostes judaico. De acordo com o relato, durante a celebração, ouviu-se um ruído, “como se soprasse um vento impetuoso”. “Línguas de fogo” pousaram sobre os apóstolos e todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em diversas línguas.

Pentecostes é a coroação da Páscoa de Cristo. Nele, acontece a plenificação da Páscoa, pois a vinda do Espírito sobre os discípulos manifesta a riqueza da vida nova do Ressuscitado no coração, na vida e na missão dos discípulos.

Vamos rezar juntos nesse dia. Vinde Espírito Santo…

Fonte: Canção Nova

2 de julho de 2015 at 8:52 Deixe um comentário

Pentecostes – Atos 2, 1-11 – para todos nós da língua portuguesa e para os irmãos de língua espanhola

1.Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.

1.Al llegar el día de Pentecostés, estaban todos reunidos en el mismo lugar.

2.De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.

2.De pronto, vino del cielo un ruido, semejante a una fuerte ráfaga de viento, que resonó en toda la casa donde se encontraban.

3.Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles.

3.Entonces vieron aparecer unas lenguas como de fuego, que descendieron por separado sobre cada uno de ellos.

4.Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

4.Todos quedaron llenos del Espíritu Santo, y comenzaron a hablar en distintas lenguas, según el Espíritu les permitía expresarse.

5.Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu.

5.Había en Jerusalén judíos piadosos, venidos de todas las naciones del mundo.

6.Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua.

6.Al oírse este ruido, se congregó la multitud y se llenó de asombro, porque cada uno los oía hablar en su propia lengua.

7.Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: Não são, porventura, galileus todos estes que falam?

7.Con gran admiración y estupor decían: «¿Acaso estos hombres que hablan no son todos galileos?

8.Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?

8.¿Cómo es que cada uno de nosotros los oye en su propia lengua?

9.Partos, medos, elamitas; os que habitam a Macedônia, a Judéia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia,

9.Partos, medos y elamitas, los que habitamos en la Mesopotamia o en la misma Judea, en Capadocia, en el Ponto y en Asia Menor,

10.a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos,

10.en Frigia y Panfilia, en Egipto, en la Libia Cirenaica, los peregrinos de Roma,

11.judeus ou prosélitos, cretenses e árabes; ouvimo-los publicar em nossas línguas as maravilhas de Deus!

11.judíos y prosélitos, cretenses y árabes, todos los oímos proclamar en nuestras lenguas las maravillas de Dios».

Fonte: Bíblia Ave Maria

24 de maio de 2015 at 9:15 Deixe um comentário

Congresso Internacional de Pentecostes na Terra Santa

monsenhor Jonas Abib

Monsenhor Jonas Abib ora clamando o Espírito Santo no Congresso Internacional de Pentecostes na Terra Santa:

Nesta noite o Senhor quer derramar sobre nós o Seu Espírito Santo. Temos o Espírito de Deus em nosso interior porque fomos batizados; e também há uma graça a mais com a qual o Senhor nos preenche com o Seu Espírito Santo. E com essa graça nossa vida se transforma a exemplo do que aconteceu com os apóstolos.

Diga comigo: O Senhor quer me batizar no Espírito Santo. Eu creio nisso. Ele quer derramar sobre mim o Espírito de forma nova. Senhor, eu quero! Vem e batiza-me no Seu Espírito.

Uma coisa importante é que os apóstolos receberam os dons do Espírito no Pentecostes, e o primeiro deles, o dom menor, foi o de línguas. Isso que o Senhor quer, para nós, a partir do dom de línguas. O Senhor quer que recebamos Seus dons para que possamos ministrar e pregar com esses dons carismáticos.

É isso que o Senhor tem para nós nesta noite: o batismo no Espírito Santo.

Nós, sacerdotes, impomos as mãos sobre Seu povo, Senhor. Nós, sacerdotes, queremos receber esse derramamento novo do Espírito Santo para que estejamos ainda mais envolvidos e impulsionados por Ele.

Pedimos que o Seu povo seja repleto do Espírito Santo, Senhor, para que sejam criaturas novas. E que a primeira coisa a acontecer na vida deles seja a vitória sobre o pecado e sobre tudo aquilo que impede a Sua graça de alcançá-los. Faça um por um, Senhor, criaturas novas! E que todos tenham a audácia de Seu Santo Espírito!

Jesus, conceda a cada de nossos irmãos uma porção dobrada do Seu Espírito para que sejam evangelizadores! Dai a eles os Seus dons, Senhor!

24 de maio de 2015 at 9:08 Deixe um comentário

Papa: O mundo precisa de homens e mulheres repletos do Espírito Santo

2015-05-24 Rádio Vaticana

Perante milhares de fiéis reunidos na Basílica de São Pedro, o Papa Francisco presidiu à santa Missa neste Domingo de Pentecostes. Na sua homilia, recordando as palavras do Senhor no Evangelho de hoje «Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós (…) Recebei o Espírito Santo»,  o Papa falou da efusão do Espírito, que já teve lugar na tarde da Ressurreição, mas que se repete, e com sinais extraordinários, no dia de Pentecostes. Como resultado, disse Francisco, os apóstolos receberam uma força tal que os impeliu a anunciar, nas diferentes línguas, o evento da Ressurreição de Cristo:

«Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas». Juntamente com eles, estava Maria, a Mãe de Jesus, primeira discípula, Mãe da Igreja nascente. Com a sua paz, com o seu sorriso e com a sua maternalidade, acompanhava a alegria da jovem Esposa, a Igreja de Jesus”.

Em seguida, Francisco falou das três acções do Espírito nas pessoas e comunidades que estão repletas d’Ele: é guia para a verdade completa, renova a terra e produz os seus frutos (fá-los ‘capazes de  receber Deus’, como diziam os Santos Padres).

Na verdade, explicou o Papa, no Evangelho Jesus promete aos seus discípulos o Espírito Santo que os «há-de guiar para a verdade completa»,  dizendo-lhes que a sua acção será introduzi-los sempre mais na compreensão daquilo que Ele, o Messias, disse e fez:

“Aos Apóstolos, incapazes de suportar o escândalo da Paixão do seu Mestre, o Espírito dará uma nova chave de leitura para os introduzir na verdade e beleza do evento da Salvação. Estes homens, antes temerosos e bloqueados, fechados no Cenáculo para evitar repercussões da Sexta-feira Santa, já não se envergonharão de ser discípulos de Cristo, já não tremerão perante os tribunais humanos. Graças ao Espírito Santo, de que estão repletos, compreendem «a verdade completa», ou seja, que a morte de Jesus não é a sua derrota, mas a máxima expressão do amor de Deus; um amor que, na Ressurreição, vence a morte e exalta Jesus como o Vivente, o Senhor, o Redentor do homem, da história e do mundo. E esta realidade, de que são testemunhas, torna-se a Boa Notícia que deve ser anunciada a todos”.

O Espírito Santo, além de ser guia, renova a terra, prosseguiu o Papa, reiterando que Espírito que Cristo enviou do Pai e o Espírito que tudo vivifica são uma só e mesma pessoa. E por isso, o respeito pela criação é uma exigência da nossa fé: o «jardim» onde vivemos é-nos confiado, não para o explorarmos, mas para o cultivarmos e guardarmos com respeito. Mas isto só será possível, se o homem se deixar renovar pelo Espírito Santo, se se deixar re-plasmar pelo Pai segundo o modelo de Cristo, novo Adão, para podermos viver a liberdade dos filhos em harmonia com toda a criação e, em cada criatura, podermos reconhecer o  reflexo da glória do Criador.

Por último, o Espírito “dá os seus frutos, disse ainda o Papa, citando a Carta aos Gálatas na qual São Paulo mostra  o «fruto» que se manifesta na vida daqueles que caminham segundo o Espírito:

“Temos, duma parte, a «carne» com o cortejo dos seus vícios elencados pelo Apóstolo, que são as obras do homem egoísta, fechado à acção da graça de Deus; mas, doutra, há o homem que, com a fé, deixa irromper em si mesmo o Espírito de Deus e, nele, florescem os dons divinos, resumidos em nove radiosas virtudes que Paulo chama o «fruto do Espírito»”.

O mundo tem necessidade de homens e mulheres que não estejam fechados, mas repletos de Espírito Santo, disse ainda o Papa, acrescentando que o fechamento ao Espírito não apenas é falta de liberdade, mas também pecado, e elencando os modos como nos podemos fechar ao Espírito:

“Há muitas maneiras de fechar-se ao Espírito Santo: no egoísmo do próprio benefício, no legalismo rígido – como a atitude dos doutores da lei que Jesus chama de hipócritas –, na falta de memória daquilo que Jesus ensinou, no viver a existência cristã não como serviço mas como interesse pessoal, e assim por diante. O mundo necessita da coragem, da esperança, da fé e da perseverança dos discípulos de Cristo. O mundo precisa dos frutos do Espírito Santo: «amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, autodomínio»”.

O dom do Espírito Santo foi concedido em abundância à Igreja e a cada um de nós, para podermos viver com fé genuína e caridade operosa, para podermos espalhar as sementes da reconciliação e da paz, disse o Papa a concluir, invocando para que, fortalecidos pelo Espírito e seus múltiplos dons, nos tornemos capazes de lutar, sem abdicações, contra o pecado e a corrupção e dedicar-nos, com paciente perseverança, às obras da justiça e da paz. (BS)

24 de maio de 2015 at 9:03 Deixe um comentário

Pentecostes

  

23 de maio de 2015 at 8:11 Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 309 outros seguidores

Categorias