Posts tagged ‘bom pastor’

O Bom Pastor e a porta das ovelhas – reflexão de São Tomás de Aquino

Resultado de imagem para imagem do bom pastor

Jesus disse: «Eu sou o Bom Pastor.» E é evidente que o título de pastor convém a Cristo porque, assim como o pastor leva o rebanho a pastar, assim também Cristo restaura os fiéis através do alimento espiritual que é o Seu próprio Corpo e o Seu próprio Sangue.
Para se distinguir do mau pastor e do ladrão, Jesus precisa que é o «bom pastor». É bom porque defende o rebanho com a dedicação com que o bom soldado defende a sua pátria. Por outro lado, Cristo afirmou que o pastor entra pela porta e que Ele é essa porta. Assim, pois quando aqui afirma ser o Pastor, temos de compreender que é Ele que entra e que entra por Si mesmo. E é bem verdade, porque Ele afirma que conhece o Pai por Si mesmo, enquanto nós entramos por meio Dele e é Ele que nos dá a felicidade. Reparemos bem que não há outro que seja a porta, porque mais ninguém é a luz, a não ser por participação. João Batista não era a luz, antes tinha vindo para dar testemunho da luz (Jo 1, 8). Mas Cristo «era a luz que ilumina todo o homem» (v. 9). Ninguém pode, por conseguinte, dizer de si mesmo que é a porta, porque Cristo reservou para Si esse título.
Mas o título de pastor, esse comunicou-o a outros, deu-o a alguns dos Seus membros. Com efeito, também Pedro o foi, e os outros apóstolos, e também o são todos os bispos. «Dar-vos-ei pastores segundo o Meu coração», diz Jeremias (3, 15). Ora, ainda que os chefes da Igreja – que são filhos da mesma Igreja – sejam todos pastores, Cristo afirma «Eu sou o Bom Pastor» para nos mostrar a singular força do Seu amor. Nenhum pastor será bom se não estiver unido a Cristo pela caridade, tornando-se assim membro do verdadeiro Pastor.

Fonte: Evangelho Quotidiano

5 de maio de 2017 at 5:47 Deixe um comentário

O Bom Pastor

Fonte: Canção Nova

Post evangelho

12 de abril de 2016 at 5:56 Deixe um comentário

Jesus, o Bom Pastor, falava a língua do povo – o Papa em Santa Marta nesta quinta-feira

 

2014-06-26 Rádio Vaticana

Na Missa em Santa Marta nesta quinta-feira o Papa Francisco baseou a sua homilia no Evangelho do dia onde podemos ler em S. Mateus, capítulo 7, versículos 28 e 29: “Quando Jesus acabou de falar, a multidão ficou vivamente impressionada com os seus ensinamentos, porque Ele ensinava-os como quem possui autoridade e não como os doutores da Lei.”.
Na sua meditação o Santo Padre chamou a atenção para o modo como Jesus falava com as pessoas, sublinhou mesmo que as multidões ficavam “maravilhadas com o seu ensinamento”. Os outros falavam, mas não chegavam ao povo. O Papa Francisco enumerou quatro grupos: os fariseus, antes de mais, faziam da religião um colar de mandamentos e os dez existentes passavam a ser trezentos, reduzindo a fé à casuística. Depois o Santo Padre citou ainda os saduceus que tinham perdido a fé e dedicavam-se aos acordos de poder, os zelotes que queriam fazer uma revolução para libertar o povo de Israel pela força e o Papa referiu ainda os essénios que eram monges que se tinham consagrado a Deus, mas que estavam longe do povo.

 

Segundo o Papa Francisco o povo seguia Jesus porque Ele era o Bom Pastor e falava a língua do povo:
“É por isto que o povo seguia Jesus, porque era o Bom Pastor. Não era nem um fariseu casuístico moralista, nem um saduceu que fazia negócios políticos com os poderosos, nem é um guerrilheiro que procurava a libertação política do seu povo, nem um contemplativo de mosteiro. Era um pastor! Um pastor que falava a língua do seu povo, fazia-se entender, dizia a verdade, as coisas de Deus: não negociava nunca as coisa de Deus! Mas dizia-as em tal modo que o povo amava as coisas de Deus. Por isso é que O seguia.”
O Papa Francisco concluiu a sua homilia exortando-nos a deixarmo-nos maravilhar por aquilo que Jesus nos diz. 

27 de junho de 2014 at 4:52 Deixe um comentário

Todos os batizados assumam o empenho de promover as vocações com consciência e convicção – Papa Francisco durante o Regina Caeli deste Domingo

2014-05-11 Rádio Vaticana

Numa Praça de S. Pedro repleta de fiéis e peregrinos para a oração do “Regina Caeli” o Papa Francisco comentou o evangelho deste quarto domingo do tempo pascal, que nos apresenta a imagem de Jesus Bom Pastor. Contemplando esta passagem do Evangelho, observou o Papa, podemos compreender o tipo de relacionamento que Jesus tinha com os seus discípulos: um relacionamento baseado na ternura, amor, conhecimento recíproco e promessa de um dom incomparável (“Eu vim – diz Jesus – para que tenham a vida e a tenham em abundância” ), e este relacionamento é o modelo das relações entre os cristãos e das relações humanas.
E o Papa continuou dizendo que muitos também hoje, como no tempo de Jesus, se propõem como “pastores” das nossas vidas; mas somente o Senhor Ressuscitado é o verdadeiro Pastor, que nos dá a vida em abundância.E convidou a todos a rezar pelos Pastores:
Neste domingo rezamos pelos pastores da Igreja, por todos os bispos, incluindo o Bispo de Roma, e por todos os sacerdotes; especialmente rezamos pelos novos sacerdotes da diocese de Roma, que eu ordenei há pouco tempo atrás na Basílica de São Pedro. Que o Senhor nos ajude a ser sempre fiéis ao Mestre e guias sábios e iluminados do povo de Deus que nos foi confiado.

E recordou a este ponto a história de S. Cesário de Arles (um Padre da Igreja dos primeiros séculos) que convidava aos fiéis a baterem sempre à porta dos pastores para estes darem o “leite” da palavra de Deus, do mesmo modo, disse o Papa, os fiéis devem sempre importunar os pastores para eles cumprirem devidamente a sua missão. E continuou:
À imitação de Jesus, cada pastor “por vezes, pôr-se-á à frente para indicar a estrada e sustentar a esperança do povo, outras vezes manter-se-á simplesmente no meio de todos com a sua proximidade simples e misericordiosa e, em certas circunstâncias, deverá caminhar atrás do povo, para ajudar aqueles que se atrasaram. Que todos os pastores sejam assim!

O Papa recordou em seguida que neste domingo que se celebra o Dia Mundial de Oração pelas Vocações e, como escreveu na sua mensagem para este ano “toda a vocação exige em qualquer caso, um êxodo de si mesmo para centrar a própria existência em Cristo e no seu Evangelho”. Por esta razão, o chamamento para seguir Jesus é ao mesmo tempo entusiasmante e desafiador e para que se realize é necessário sempre entrar em profunda amizade com o Senhor para poder viver d’Ele e para Ele.
Rezemos para que, também no nosso tempo, em que a voz do Senhor corre o risco de ser sufocada por muitas vozes, todos os baptizados, as famílias, as paróquias e os movimentos assumam o empenho de promover as vocações com consciência e convicção.

E encorajou aos presentes a confiar os próprios propósitos e intenções à Virgem Maria, mãe de toda a vocação, para que com a sua intercessão suscite e proteja numerosas e santas vocações ao serviço da Igreja e do mundo.

Depois da oração mariana do “Regina Caeli” o Papa saudou aos presentes na Praça de S. Pedro: famílias, grupos paroquiais, associações e fiéis individuais provenientes da Itália e de muitos outros Países, em particular os da Diocese de Campo Grande e Dourado (Brasil), de Nova York, Las Palmas (Canárias) e os estudantes de Miranda do Corvo (Portugal). Uma saudação também às Comunidades Neo-catecumenais que nestes domingos do tempo pascal levam o anúncio de Jesus ressuscitado em 100 praças de Roma e em muitas cidades do mundo.E também dirigiu uma bênção particular aos familiares dos sacerdotes reme-ordenados:
Uma bênção especial para as crianças e jovens que receberam ou estão para receber a Primeira Comunhão e a Confirmação. E também para os familiares e amigos dos novos sacerdotes da diocese de Roma, que foram ordenados esta manhã.
E por último o Santo Padre dedicou uma recordação especial a todas as mães, convidando aos presentes a rezarem por elas, confiando-as à Mãe de Jesus, através da oração da Ave-Maria.

11 de maio de 2014 at 10:16 Deixe um comentário

O Bom Pastor – padre Marcelo Rossi


Favor clicar abaixo e à direita para assistir.

9 de maio de 2014 at 19:35 2 comentários

“Sede pastores, não funcionários; mediadores, não intermediários!”: Papa ordenando em São Pedro dez novos presbíteros para Roma

1_0_685044[1]
2013-04-21 Rádio Vaticana
Decorreu na basílica de São Pedro, na manhã deste “domingo do Bom Pastor”a ordenação de dez novos padres para a diocese de Roma. Concelebraram com Papa Francisco o cardeal Vigário para a diocese de Roma, Agostino Valini, os bispos auxiliares, os párocos dos ordinandos e os Superiores dos respetivos Seminários (Seminário Maior de Roma, Seminário dos Oblatos, Filhos de Nossa Senhora do Amor Divino e Colégio diocesano “Redemptoris Mater”) .
Na breve homilia, toda ela em tom exortativo, a partir das palavras do rito da ordenação, Papa Francisco pediu aos novos padres que exerçam “na alegria e em caridade sincera a obra sacerdotal de Cristo, visando unicamente agradar a Deus e não a si mesmos”. “Sede pastores, não funcionários! Sede mediadores, não intermediários!” – pediu com insistência.Referindo-se especificamente ao exercício dos sacramentos da penitência e da unção dos enfermos, declarou o Papa: “Hoje peço-vos em nome de Cristo e da Igreja: por favor, não vos canseis de ser misericordiosos. Com o óleo santo dareis alívio aos enfermos e aos idosos. Não vos envergonheis de ter ternura com os idosos”.
Francisco exprimiu o desejo e a necessidade de que a doutrina transmitida pelos novos padres seja nutrimento para o Povo de Deus e que o perfume da própria vida seja alegria e apoio para os fiéis de Cristo.

21 de abril de 2013 at 10:49 Deixe um comentário

Eu sou o bom pastor – Evangelho – Jo 10, 27-30

jesus[1]
A festa da Dedicação. Jesus insiste no testemunho e os Judeus insistem em não crer. A perseguição continua e a discussão também. Jesus dispara: Eu e o Pai somos um. E esta é a gota d’água para os Judeus. Mas Jesus não se intimida e o anuncio da verdade continua. Um coração orgulhoso e cheio de conceitos próprios é incapaz de crer na palavra de Deus. Será que não nos tornamos assim dentro da igreja? Aqueles que são do grupo das ovelhas de Jesus, porém, recebem a vida eterna e a proteção poderosa do Pai.

Jesus é o bom Pastor que dá a vida por suas ovelhas. Jesus é o filho de Deus, embora eles não acreditassem e até procuraram prende-lo, Jesus não ficou intimidado pois era a confirmação da missão que o Pai tinha lhe confiado.
Fonte: Canção Nova

19 de abril de 2013 at 14:24 Deixe um comentário

As minhas ovelhas ouvem a minha voz – Quarto Domingo da Páscoa – Domingo do Bom Pastor – São João 10, 27-30

Jesus-o-bom-pastor-2[1]

27. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem.

28. Eu llhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão.

29. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém as pode arrebatar da mão de meu Pai.

30. Eu e o Pai somos um.

Iniciemos essa reflexão com as palavras do Comentário Litúrgico: “Hoje somos convidados por Jesus, Bom Pastor, a fazer parte do seu rebanho e aprender dele o jeito de ser Igreja. Ele sustenta nossa vida, e suas palavras nos dão segurança: nada poderá arrebatar-nos de sua mão. Rezamos por todos os vocacionados para o serviço do reino de Deus”.

Versículo 27: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem”.

O Papa Emérito Bento XVI explicou sobre os dois verbos utilizados por Jesus, ouvir e seguir: “Estas palavras designam as características fundamentais daqueles que vivem o seguimento do Senhor. Antes de tudo, a escuta da sua Palavra, da qual a fé nasce e se alimenta. Só quem presta atenção à voz do Senhor é capaz de avaliar na própria consciência as justas decisões para agir segundo Deus. Por conseguinte, da escuta deriva o seguir Jesus: agimos como discípulos depois de ter ouvido e aceitado interiormente os ensinamentos do Mestre, para os viver na quotidianidade”.

Versículo 28: “Eu llhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão”.

O Beato João Paulo II ensinou que “o Bom Pastor, segundo as palavras de Cristo, é precisamente aquele que, «vendo vir o lobo», não foge, mas está pronto a expor a própria vida, lutando com o ladrão a fim de que nenhuma das ovelhas se perca. Se não estivesse pronto a isto, não seria digno do nome de Bom Pastor. Seria mercenário, mas não Pastor”.

O abade Teodoro Estudita disse: “Por meio da cruz nós, ovelhinhas de Cristo, fomos congregados num único aprisco, e fomos destinados às moradas eternas”.

O Papa Emérito Bento XVI disse que “unicamente o Bom Pastor protege com imensa ternura o seu rebanho e defende-o do mal, e só nele os fiéis podem ter confiança absoluta”.

Versículo 29: “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém as pode arrebatar da mão de meu Pai”.

O Beato João Paulo II disse que “tornamo-nos de novo a propriedade do Pai por obra deste Amor, que não recuou diante da ignominia da Cruz, para poder assegurar a todos os homens: “Ninguém vos arrebatará da Minha mão” (Jo 10, 28). A Igreja anuncia-nos hoje a certeza da salvação. E cada cristão é chamado a participar nesta certeza: estou verdadeiramente comprado por grande preço! Estou verdadeiramente abraçado pelo Amor, que é mais forte que a morte e mais forte que o pecado! Conheço o meu Redentor”.

Versículo 30: “Eu e o Pai somos um”.

Padre Bantu disse que “Jesus faz uma autoproclamação expressiva de sua união com o Pai. A obra de Jesus é feita em unidade com o Pai. Esta obra, à qual somos chamados, é o dom do amor e da vida eterna”.

O Beato João Paulo II ensinou: “Não é possível, de fato, celebrar Cristo… sem se dirigir, com Ele, para Deus, seu e nosso Pai (Jo 20, 17). Também o Espírito Santo remete ao Pai e a Jesus: se o Espírito nos ensina a dizer «Jesus é o Senhor» (1 Cor 12, 3), é para nos tornar capazes de falar com Deus chamando-O «Abbá, Pai!” (Gl 4, 6). Depois da Encarnação, existe um rosto de homem no qual é possível ver a Deus: «Acreditai que estou no Pai, e o Pai em Mim», diz Jesus não só a Filipe, mas a todos aqueles que acreditarem”.

A Igreja é chamada a pastorear as ovelhas de Cristo

Santo Agostinho disse: “Oxalá não cheguem a faltar bons pastores! Longe de nós que faltem, e longe da misericórdia divina que deixe de os fazer surgir e estabelecer. Com certeza, se há boas ovelhas, haverá também bons pastores: de fato, é das boas ovelhas que derivam os bons pastores”.

O Papa Emérito Bento XVI disse que “todos os batizados são chamados a contribuir para a obra da salvação. Mas na Igreja existem algumas vocações especialmente dedicadas ao serviço da comunhão. Primeiro responsável da comunhão católica é o Papa, Sucessor de Pedro e Bispo de Roma; com ele, guardas e mestres da unidade são os Bispos, sucessores dos Apóstolos, coadjuvados pelos presbíteros. Mas ao serviço da comunhão estão também as pessoas consagradas e todos os fiéis”.

São Gregório de Nazianzeno escreveu assim ao amigo e Bispo São Basílio: “Ensina-nos o teu amor pelas ovelhas, a tua solicitude e a tua capacidade de compreensão, a tua vigilância… a severidade na doçura, a serenidade e a mansidão na atividade… as lutas em defesa da grei, as vitórias… alcançadas em Cristo”.

Conclusão

Concluímos essa reflexão com as palavras do Papa Emérito Bento XVI: “Cristo é o verdadeiro Bom Pastor que deu a vida pelas suas ovelhas, por nós, imolando-se na Cruz. Ele conhece as suas ovelhas e as suas ovelhas conhecem-no, como o Pai o conhece a Ele e Ele ao Pai ( Jo 10, 14-15). Não se trata de mero conhecimento intelectual, mas de uma relação pessoal profunda; um conhecimento do coração, próprio de quem ama e de quem é amado; de quem é fiel e de quem sabe que, por sua vez, se pode confiar; um conhecimento de amor em virtude do qual o Pastor convida os seus a segui-lo, e que se manifesta plenamente no dom que lhes faz da vida eterna”.

Oração

Oremos por todos os vocacionados:

1-       “Jesus, Bom Pastor, que chamastes os apóstolos a vos seguir, continuai chamando pessoas generosas e de mente aberta para que deem continuidade à missão por vós iniciada. A messe é grande, poucos os operários: necessitamos, Senhor, de bons e santos pastores. Isto vos pedimos, a vós que viveis e reinais para sempre. Amém.”

2-       “Ó Pai, pastor de nossa vida, cuidais de cada um de nós com amor e carinho. Caminhamos com serenidade na alegria de vossa proteção e no convíveo com nossos irmãos e irmãs. Nós vos agradecemos porque Jesus nos confiou a missão de levar vossa palavra aos povos do mundo. Vosso Filho nos disse que a messe é grande e poucos são os operários; por isso vos pedimos que envieis vocações para os vários serviços na Igreja. Por Cristo, nosso Senhor. Amém”.

Oração do Papa Emérito Bento XVI: “Dirijamo-nos agora a Maria, Mãe do Bom Pastor, Ela, que respondeu prontamente à chamada de Deus dizendo: “Eis aqui a escrava do Senhor” (Lc 1, 38), nos ajude a acolher com alegria e disponibilidade o convite de Cristo a ser seus discípulos, sempre animados pelo desejo de formar “um só coração e uma só alma” (At 4, 32). 

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

15 de abril de 2013 at 10:56 Deixe um comentário

Oração

sou%20uma%20ovelha[1]

Meu bom Jesus,

Meu Bom Pastor,

Eu sou a Tua ovelha.

Leva-me Contigo,

Estou pronto para Te seguir.

Livra-me dos perigos,

Livra-me das feras,

Livra-me dos inimigos.

Em Teu rebanho, Jesus,

Eu me sinto seguro.

Se eu me distrair,

Se eu me desviar,

Se eu me perder do rebanho,

Chama-me de volta, Jesus,

Eu ouvirei Teu chamado.

Fonte: Agapinho de Padre Marcelo Rossi

17 de março de 2013 at 23:18 Deixe um comentário

Jesus – O Bom Pastor

Oi Crianças!

Jesus é o Bom pastor que cuida com amor de suas ovelhas,

Que somos todos nós.

Ele nos carrega nos seus ombros quando estamos cansados ou doentes,

Cura as nossas feridas e protege-nos dia e noite.

Quando nos dispersamos d’Ele,

O Bom Pastor vai nos buscar e nos trazer para perto de Si novamente.

Jesus, o Bom Pastor, conhece a todos nós pelo nome.

O Bom Pastor nos ama tanto,

Que sofreu, morreu na cruz e ressuscitou

Para salvar a todos nós, suas ovelhas.

Jesus quer reunir toda a humanidade em torno de Si,

Para que haja apenas um só rebanho e um só Pastor.

Jesus é a porta por onde as ovelhas passam para entrar no céu. (S. João 10, 7-9)

 

Oração

Ó Bom Pastor

Sei que cuidas de mim dia e noite

Que saras as feridas do meu coração

Que me orientas quando me encontro perdido

Que me colocas no colo quando me sinto fraco.

 

Obrigado Jesus, porque também posso contar Contigo

Quando estou cansado e atribulado

Obrigado meu Senhor Jesus

Pelo carinho com que cuidas de mim.

Obrigado meu Bom Pastor!

          Jane Amábile

 

 

 

 
 

 

29 de agosto de 2012 at 5:43 Deixe um comentário

Posts antigos


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 341

Categorias