Archive for dezembro, 2018

Solenidade de Maria, Mãe de Deus – São Lucas 2, 16-21 – Dia 1º de janeiro de 2019

16.Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura.

17.Vendo-o, contaram o que se lhes havia dito a respeito deste menino.

18.Todos os que os ouviam admi­ravam-se das coisas que lhes contavam os pastores.

19.Maria conservava todas essas palavras, meditando-as no seu coração.

20.Voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, e que estava de acordo com o que lhes fora dito.

21.Completados que foram os oito dias para ser circuncidado o menino, foi-lhe posto o nome de Jesus, como lhe tinha chamado o anjo, antes de ser concebido no seio materno.

“Reunidos pela Eucaristia para iniciar o novo ano civil, somos acolhidos por Maria com carinho e amor materno nesta solenidade em que a invocamos como Mãe de Deus e nossa. Neste Dia Mundial da Paz, peçamos à Virgem, nossa Mãe, que nos acompanhe ao longo do ano e nos ajude a ser promotores da paz”. (Liturgia Diária)

O Papa Francisco disse assim: “O Ano tem início sob o nome da Mãe de Deus. Mãe de Deus é o título mais importante de Nossa Senhora. Mas a alguém poderia vir a pergunta: por que dizemos «Mãe de Deus», e não Mãe de Jesus? Alguns, no passado, pediram para nos cingirmos a isto, mas a Igreja afirmou: Maria é Mãe de Deus. Devemos estar-lhe agradecidos, porque, nestas palavras, se encerra uma verdade esplêndida sobre Deus e sobre nós mesmos, ou seja: desde que o Senhor Se encarnou em Maria – desde então e para sempre –, traz a nossa humanidade agarrada a Ele”. (1° de janeiro de 2018)

O Papa Emérito Bento XVI disse que os “pastores de Belém, que aparecem ainda no Evangelho de hoje. Eles fizeram a experiência de estar na presença de Deus e da sua benção, não na sala de um majestoso palácio, na presença de um grande soberano, mas sim em um estábulo, diante de um menino colocado em uma manjedoura…A primeira a ser preenchida por essa benção foi Maria, a Virgem, esposa de José, que Deus escolheu desde o primeiro instante da sua existência para ser a mãe do seu Filho feito homem. Ela é a bendita entre as mulheres (Lc 1,42) – como a saúda Santa Isabel”. (01 de janeiro de 2012)

“Os pastores vão às pressas a Belém para confirmar o anúncio do nascimento de um menino. Pessoas desprezadas, são as primeiras a receber a boa notícia e ir ao encontro do Salvador, a grande alegria do povo. Lá não encontram nada de pomposo; ao contrário, numa estrebaria deparam com os pais e com o menino, deitado numa manjedoura. Jesus nasce pobre e se solidariza com os pobres. E são justamente estes os primeiros anunciadores do grande acontecimento”. (Liturgia Diária)

Conclusão:

Com as palavras do Papa Francisco: “Maria é como Deus nos quer, como quer a sua Igreja: Mãe terna, humilde, pobre de coisas e rica de amor, livre do pecado, unida a Jesus, que guarda Deus no coração e o próximo na vida. Para recomeçar, ponhamos os olhos na Mãe. No seu coração, bate o coração da Igreja. Para avançar – diz-nos a festa de hoje –, é preciso recuar: recomeçar do presépio, da Mãe que tem Deus nos braços”.

Oração:

“A Mãe, autógrafo de Deus sobre a humanidade, guarde este Ano e leve a paz de seu Filho aos corações, aos nossos corações, e ao mundo inteiro. E, como filhos d’Ela, convido-vos a saudá-La hoje, simplesmente, com a saudação que os cristãos de Éfeso pronunciavam diante dos seus Bispos: «Santa Mãe de Deus!» Com todo o coração, digamos três vezes, todos juntos, fixando-A [voltados para a sua imagem posta ao lado do altar]: «Santa Mãe de Deus!” (Papa Francisco)

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

28 de dezembro de 2018 at 5:53 Deixe um comentário

Viagem do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos

Logotipo da viagem apóstolia do Papa Francisco aos Emirados ÁrabesLogotipo da viagem apóstolia do Papa Francisco aos Emirados Árabes

Francisco acolheu o convite do xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi, e também da Igreja Católica nos Emirados Árabes Unidos.

Cidade do Vaticano

O Papa visitará Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, de 3 a 5 de fevereiro de 2019, para participar do Encontro Inter-religioso Internacional sobre “Fraternidade Humana”.

Francisco acolheu o convite do xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi, e também da Igreja Católica nos Emirados Árabes Unidos. A notícia foi divulgada, nesta quinta-feira (06/12), pelo diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke.

Tema da visita

O tema da visita é “Fazei de mim um instrumento de vossa paz”, extraído da Oração de São Francisco de Assis. Espera-se que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos possa difundir a paz de Deus no coração de todos os homens de boa vontade.

O Papa escolheu o nome de São Francisco de Assis, um santo que colocou em prática as palavras de Jesus Cristo: “Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus”, (Mt 5, 9). A paz de Deus cura na pessoa toda forma de hostilidade e acompanha a Boa Nova, proclamada por Jesus Cristo, de um Deus que reconcilia o mundo consigo.

Logotipo da visita

O logotipo da visita é uma pomba que carrega no bico um ramo de oliveira. As cores da pomba, branca e amarela, retomam as cores da bandeira vaticana.

As cores da bandeira dos Emirados Árabes Unidos estão inseridas no corpo da pomba, simbolizando que o Papa visita o país árabe como um arauto da paz.

28 de dezembro de 2018 at 5:30 Deixe um comentário

Clipe de Natal dos seminaristas do Seminário Nossa Senhora da Penha – Vitória (E.S.)

27 de dezembro de 2018 at 15:02 Deixe um comentário

Frases sobre a Sagrada família

1-Papa Francisco: “O Filho de Deus faz-se Menino, aceita crescer, fortificar-se, é cheio de sabedoria, e a graça de Deus está sobre Ele. Maria e José têm a alegria de ver tudo isto no seu Filho.”

2-Papa Emérito Bento XVI: “As primeiras testemunhas do nascimento de Cristo, os pastores, encontraram-se diante não só do Menino Jesus, mas de uma pequena família:  mãe, pai e filho recém-nascido”.

3-Padre Paulo Ricardo: “Eis a família: a obediência total de Jesus, de Maria e de José. A família existe porque existe uma obediência a Deus e é neste Pai do Céu que a família será estruturada”.

4-São João Paulo II: “A Família de Nazaré, que a Igreja, sobretudo na Liturgia hodierna, apresenta aos olhos de todas as famílias, constitui efetivamente o ponto de referência culminante para a santidade de todas as famílias humanas.”

5-O Catecismo (§437): “José foi convidado por Deus a «levar para sua casa Maria, sua esposa», grávida d’«Aquele que nela foi gerado pelo poder do Espírito Santo» (Mt 1, 20), para que Jesus, «chamado Cristo», nascesse da esposa de José, na descendência messiânica de David (Mt 1, 16) (33)”.

6-Papa Francisco: “Celebramos a Sagrada Família de Nazaré, e o Evangelho convida-nos a refletir sobre a experiência vivida por Maria, José e Jesus, enquanto crescem juntos como família no amor recíproco e na confiança em Deus”.

7-Papa Emérito Bento XVI: “A Sagrada Família é ícone da Igreja doméstica, chamada a rezar unida”.

8-São João Paulo II: “Por intercessão da Sagrada Família de Nazaré, que a Igreja, em todas as nações da Terra, possa cumprir frutiferamente sua missão na família e por meio da família”.

9-O Catecismo (§564): Pela sua submissão a Maria e a José, assim como pelo seu trabalho humilde em Nazaré durante longos anos, Jesus dá-nos o exemplo da santidade na vida quotidiana da família e do trabalho”. 

10-Padre Paulo Ricardo: “A Família de Nazaré não é uma família convencional: temos um pai que não é biológico, uma mãe que é virgem e um filho que é Deus”.

 

27 de dezembro de 2018 at 5:34 Deixe um comentário

São João Evangelista, rogai por nós!

Resultado de imagem para imagem de são joão evangelista

27 de dezembro de 2018 at 5:34 Deixe um comentário

Angelus: “Entregar-se a Deus e saber perdoar”, como S. Estêvão

Quarta-feira, 26 de dezembro, iverno com sol na Praça São PedroQuarta-feira, 26 de dezembro, inverno com sol na Praça São Pedro  (Vatican Media)

Antes de rezar a oração mariana do Angelus, nesta quarta-feira de sol na praça São Pedro, o Papa falou aos fiéis sobre as analogias na vida de Estêvão e de Jesus.

Cristiane Murray – Cidade do Vaticano

Ainda no clima de alegria pelo anúncio do nascimento de Cristo, a Igreja celebra neste dia 26 de dezembro a festividade de Santo Estêvão, diácono e primeiro mártir, perseguido e morto em Jerusalém.

Antes de rezar a oração mariana do Angelus, nesta quarta-feira de sol na Praça São Pedro, o Papa falou aos fiéis sobre as analogias na vida de Estêvão e do próprio Jesus. Ambos entregaram seu espírito a Deus no momento da morte: Estêvão ao ser lapidado, e Jesus na cruz.

Entregar-se a Deus com confiança

“O comportamento de Estêvão que imita fielmente o gesto de Jesus é um convite a cada um de nós a receber com fé, das mãos do Senhor, aquilo que a vida nos oferece de positivo e de negativo”.

Saber perdoar e rezar sempre

A segunda atitude indicada por Francisco como comum entre Estêvão e Jesus foi o perdão. Nenhum dos dois maldisse seus perseguidores, mas rezaram por eles.

“O perdão engradece o coração, gera partilha, doa serenidade e paz. O protomártir Estêvão nos aponta o caminho a percorrer nas relações interpessoais de família, na escola e no trabalho, na paróquia e nas comunidades”.

“ A lógica do perdão e da misericórdia é sempre vitoriosa e abre horizontes de esperança; mas o perdão se cultiva com a oração, que nos permite fixar o olhar em Jesus ”

Terminando, o Pontífice lembrou que é a oração que nos fortalece, e por isso, temos que pedir sempre ao Espírito Santo para que derrame sobre nós o dom da força, que cura nossos medos, nossas fraquezas, nossa pequenez.

“Invoquemos a intercessão de Maria e de Santo Estêvão. Que nos ajudem a entregarmo-nos sempre mais a Deus, especialmente nos momentos difíceis, e nos ampare no propósito de sermos homens e mulheres capazes de perdoar”.

Após conceder a bênção a todos os presentes e a nós, que a recebemos pelo rádio e TV, Francisco agradeceu as mensagens e votos pelas festividades de Natal chegadas de todas as partes do mundo, pediu a todos que rezem por ele e, desejando como sempre ‘bom almoço’, se despediu dos féis.

 

26 de dezembro de 2018 at 14:31 Deixe um comentário

Sagrada Família de Jesus, Maria e José – São Lucas 2, 41-52

Resultado de imagem para jesus aos 12 anos no templo - imagem

“41.Seus pais iam todos os anos a Jerusalém para a festa da Páscoa. 42.Tendo ele atingido doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa. 43.Acabados os dias da festa, quando voltavam, ficou o menino Jesus em Jerusalém, sem que os seus pais o percebessem. 44.Pensando que ele estivesse com os seus companheiros de comitiva, andaram caminho de um dia e o buscaram entre os parentes e conhecidos. 45.Mas não o encontrando, voltaram a Jerusalém, à procura dele. 46.Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. 47.Todos os que o ouviam estavam maravilhados da sabedoria de suas respostas. 48.Quando eles o viram, ficaram admirados. E sua mãe disse-lhe: “Meu filho, que nos fizeste?! Eis que teu pai e eu andávamos à tua procura, cheios de aflição”. 49.Respondeu-lhes ele: “Por que me procurá­veis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?”.* 50.Eles, porém, não compreen­deram o que ele lhes dissera. 51.Em seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas essas coisas no seu coração. 52.E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens. (= Mt 3,1-12 = Mc 1,1-8)”
Fonte: Bíblia Ave Maria

“Como pessoas amadas e eleitas de Deus, celebramos esta festa em comunhão com todas as nossas famílias. Convidados a imitar as virtudes de Jesus, Maria e José, queremos contemplar a Sagrada Família, modelo de amor e cuidado mútuos e de obediência a vontade divina. O mandamento do amor aos pais hoje nos inspire a acolher, a amar e valorizar todos os idosos, com seu legado de vida e de bons exemplos”. (Liturgia Diária)

O Papa Francisco disse assim: “Neste primeiro domingo depois do Natal, celebramos a Sagrada Família de Nazaré, e o Evangelho convida-nos a refletir sobre a experiência vivida por Maria, José e Jesus, enquanto crescem juntos como família no amor recíproco e na confiança em Deus. Desta confiança é expressão o rito cumprido por Maria e José com a oferta do Filho Jesus a Deus. O Evangelho diz: «Levaram o Menino a Jerusalém para o apresentar ao Senhor» (Lc 2, 22), como exigia a lei mosaica. Os pais de Jesus vão ao templo para atestar que o Filho pertence a Deus, e que eles são os guardiões da sua vida e não os donos. E isto leva-nos a refletir. Todos os pais são guardiões da vida dos filhos, não donos, e devem ajudá-los a crescer, a amadurecer”. (31/12/17)

O Papa Emérito Bento XVI disse que “a liturgia de hoje propõe o célebre episódio evangélico de Jesus aos 12 anos que permanece no Templo, em Jerusalém, sem que os seus pais o soubessem, os quais, admirados e preocupados, ali o encontram depois de três dias que discute com os doutores. Quando a mãe lhe pede explicações, Jesus responde que deve “estar na propriedade”, na casa do seu Pai, isto é, de Deus (cf. Lc 2, 49). Neste episódio o jovem Jesus demonstra-se cheio de zelo por Deus e pelo Templo”. (27/12/2009)

O Evangelho apresenta a narrativa sobre Jesus, aos 12 anos, no templo de Jerusalém. Como todo adolescente, ele realiza seus primeiros passos de independência, perturbando um pouco a tranquilidade familiar. Esse episodio já revela o caminho que ira seguir, de total atenção a vontade do Pai. Do inicio ao fim de sua missão, Jesus sempre foi obediente ao projeto de Deus”. (Liturgia Diária)

Sagrada Família de Nazaré

“Ao celebrar a Família de Nazaré-Jesus, Maria e José- a Igreja nos convida a celebrar também nossas famílias e mostrar que também nossas famílias são santas e sagradas. A Família de Nazaré nos é proposta como modelo a ser seguido pelas nossas. O Papa Francisco nos diz que a “grande missão da família é dar lugar a Jesus, que vem acolhê-lo na família, na pessoa dos filhos, do marido, da esposa, dos avós. Jesus está ali a acolhê-lo para que cresça espiritualmente naquela família”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

Conclusão:

“O episódio do encontro de Jesus no templo é o evangelho proposto para este dia da Sagrada Família. Desde sua adolescência, o evangelista apresenta Jesus sintonizado com o Pai. Vivendo sua humanidade, como qualquer adolescente, Jesus manifesta sua condição de Filho de Deus. Mesmo tendo pais terrenos, Jesus mostra, desde pequeno, sua relação filial com Deus, seu Pai. Seguir a vontade de Deus pode significar ir além dos limitados horizontes da família, da cidade ou até da própria nação. Jesus volta com sua família e convive com ela até o dia em que assumirá sua missão profética e missionária”. (Dia a Dia – Ed. Paulus)

Oração:

“Gostaria de convidar-vos a redescobrir a beleza de rezar juntos como família na escola da Sagrada Família de Nazaré, e assim a tornar-vos um só coração e uma só alma, uma verdadeira família. Obrigado!” (Papa Emérito Bento XVI)

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

26 de dezembro de 2018 at 5:55 Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 319 outros seguidores

Categorias