Décimo Quinto Domingo do Tempo Comum – Parábola do Semeador – São Mateus 13, 1 – 23 – Dia 16 de julho de 2017

10 de julho de 2017 at 5:28 Deixe um comentário

Resultado de imagem para imagem do semeador - em site católico

“1.Naquele dia, saiu Jesus e sentou-se à beira do lago. 2.Acercou-se dele, porém, uma tal multidão, que precisou entrar numa barca. Nela se assentou, enquanto a multidão ficava à margem. 3.E seus discursos foram uma série de parábolas. 4.Disse ele: Um semeador saiu a semear. E, semeando, parte da semente caiu ao longo do caminho; os pássaros vieram e a comeram. 5.Outra parte caiu em solo pedregoso, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque a terra era pouco profunda. 6.Logo, porém, que o sol nasceu, queimou-se, por falta de raízes. 7.Outras sementes caíram entre os espinhos: os espinhos cresceram e as sufocaram. 8.Outras, enfim, caíram em terra boa: deram frutos, cem por um, sessenta por um, trinta por um. 9.Aquele que tem ouvidos, ouça. 10.Os discípulos aproximaram-se dele, então, para dizer-lhe: Por que lhes falas em parábolas? 11.Respondeu Jesus: Porque a vós é dado compreender os mistérios do Reino dos céus, mas a eles não. 12.Ao que tem, se lhe dará e terá em abundância, mas ao que não tem será tirado até mesmo o que tem. 13.Eis por que lhes falo em parábolas: para que, vendo, não vejam e, ouvindo, não ouçam nem compreendam. 14.Assim se cumpre para eles o que foi dito pelo profeta Isaías: Ouvireis com vossos ouvidos e não entendereis, olhareis com vossos olhos e não vereis, 15.porque o coração deste povo se endureceu: taparam os seus ouvidos e fecharam os seus olhos, para que seus olhos não vejam e seus ouvidos não ouçam, nem seu coração compreenda; para que não se convertam e eu os sare (Is 6,9s). 16.Mas, quanto a vós, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem! Ditosos os vossos ouvidos, porque ouvem! 17.Eu vos declaro, em verdade: muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não o viram, ouvir o que ouvis e não ouviram. 18.Ouvi, pois, o sentido da parábola do semeador: 19.quando um homem ouve a palavra do Reino e não a entende, o Maligno vem e arranca o que foi semeado no seu coração. Este é aquele que recebeu a semente à beira do caminho. 20.O solo pedregoso em que ela caiu é aquele que acolhe com alegria a palavra ouvida, 21.mas não tem raízes, é inconstante: sobrevindo uma tribulação ou uma perseguição por causa da palavra, logo encontra uma ocasião de queda. 22.O terreno que recebeu a semente entre os espinhos representa aquele que ouviu bem a palavra, mas nele os cuidados do mundo e a sedução das riquezas a sufocam e a tornam infrutuosa. 23.A terra boa semeada é aquele que ouve a palavra e a compreende, e produz fruto: cem por um, sessenta por um, trinta por um.”

“Semeador da semente do Reino, Jesus deseja fazer do nosso coração terreno fértil para a mensagem de vida e liberdade por Ele anunciada. Dispostos a gerar continuamente, em nosso ser e em nossa comunidade, os frutos do Espírito, acolhamos nesta Eucaristia, com alegria e generosidade,  a boa semente que o Senhor nops concede”. (Liturgia Diária)

O Semeador 

O Padre Heitor de Menezes disse que “a ação do semeador desperta, em cada um de nós, luzes para a nossa ação de batizados. O anúncio do Reino, a semente, deve ser semeada sem a preocupação com  a colheita. O cristão deve buscar atingir o maior número de pessoas e estar consciente de que a Palavra será recebida das mais variadas formas, pois tudo dependerá do coração no qual vai cair”. (Rede Século 21)

“Para falar sobre o Reino de Deus, Jesus usa comparações a partir da realidade dos ouvintes. Primeiro se dirige às multidões. Caem três porções de semente em terreno fraco e nada produzem. Mas há esperança: um punhado cai em terreno bom e tem produção abundante. À parte, Jesus esclarece aos discípulos: “A vocês é dado conhecer os mistérios do Reino dos Céus”. (Dia  a Dia – Ed. Paulus)

“Na parábola do semeador, Cristo mostra-nos que a Sua palavra se dirige a todos indistintamente. Com efeito, tal como o semeador da parábola não faz qualquer distinção entre os terrenos, mas semeia em todas as direções, também o Senhor não distingue entre o rico e o pobre, o sábio e o tolo, o negligente e o aplicado, o corajoso e o cobarde, mas dirige-Se a todos e, apesar de conhecer o porvir, pelo Seu lado empenha-se totalmente, de modo a poder dizer: «Que devia eu fazer que não tenha feito?» (Is 5, 4). (São João Crisóstomo)

A Semente da Palavra

O Papa Francisco disse que “o verdadeiro protagonista é justamente a semente, que produz mais ou menos fruto de acordo com a terra sobre a qual caiu. Os primeiros três terrenos são improdutivos: à beira do caminho, os pássaros comem a semente; no terreno pedregoso, as mudas secam imediatamente porque não têm raízes; em meio aos arbustos, a semente é sufocada pelos espinhos. A quarta terra é a boa, e somente ali a semente produz fruto”. (2014-07-13)

O Padre Emílio Carlos disse que “Jesus explicou que a semente é a Palavra de Deus semeada no coração humano. Os diversos tipos de terreno correspondem aos diversos tipos de coração, com os respectivos modos de acolher a Palavra. É ingênuo pensar que todas as pessoas acolherão a Palavra de igual maneira”.

O Papa Francisco explicou: “A Palavra de Deus ouvida e celebrada, sobretudo na Eucaristia, alimenta e reforça interiormente os cristãos e torna-os capazes de um autêntico testemunho evangélico na vida diária. Superamos já a velha contraposição entre Palavra e Sacramento: a Palavra proclamada, viva e eficaz, prepara a recepção do Sacramento e, no Sacramento, essa Palavra alcança a sua máxima eficácia”.

Conclusão:

Com as palavras do Papa Emérito Bento XVI: “Toda a evangelização está fundada sobre esta Palavra escutada, meditada, vivida, celebrada e testemunhada. A Sagrada Escritura é fonte da evangelização. Por isso, é preciso formar-se continuamente na escuta da Palavra. A Igreja não evangeliza, se não se deixa continuamente evangelizar. É indispensável que a Palavra de Deus «se torne cada vez mais o coração de toda a atividade eclesial» .

Oração:

“As nossas palavras podem fazer tão bem, mas também tão mal! Podem curar e podem ferir; podem encorajar e podem deprimir. Lembrem-se que o que não é o que entra, mas o que sai da boca e do coração. Que Nossa Senhora nos ensine, com o seu exemplo, a acolher a Palavra, protegê-la e fazê-la fecundar em nós e nos outros”. (Papa Francisco)

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Nossa Senhora dos Anjos Oração a São Bento para alcançar alguma graça

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 199 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: