Quinto Domingo da Páscoa – Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida – São João 14, 1 – 12 – Dia 14 de maio de 2017

8 de maio de 2017 at 5:19 Deixe um comentário

IMG-20170423-WA0012

“1.Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. 2.Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar. 3.Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais. 4.E vós conheceis o caminho para ir aonde vou. 5.Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho? 6.Jesus lhe respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. 7.Se me conhecêsseis, também certamente conheceríeis meu Pai; desde agora já o conheceis, pois o tendes visto. 8.Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta. 9.Respondeu Jesus: Há tanto tempo que estou convosco e não me conheceste, Filipe! Aquele que me viu, viu também o Pai. Como, pois, dizes: Mostra-nos o Pai… 10.Não credes que estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que vos digo não as digo de mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é que realiza as suas próprias obras. 11.Crede-me: estou no Pai, e o Pai em mim. Crede-o ao menos por causa destas obras. 12.Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai.”

“Como comunidade sacerdotal e servidora, aproximemo-nos do Senhor para celebrar a sua Páscoa, oferecendo por meio dele, um sacrifício agradável a Deus. O Ressuscitado apresenta-se a nós como o Caminho para chegar ao Pai, a verdade que liberta e a vida que se doa plena a toda a humanidade. Sobre nós, reunidos para esta liturgia, e particularmente sobre todas as mães, neste dia a elas dedicado, venham a graça e o amor de Deus”. (Liturgia Diária)

Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas

O Papa Francisco disse que “num momento de despedida, Jesus fala aos seus discípulos do íntimo do coração. Ele sabe que os seus discípulos estão tristes, porque se dão conta de que a situação não é boa». Eis, então, que Jesus os encoraja e anima, propondo-lhes um horizonte de esperança: «Não se perturbe o vosso coração! E começa a falar assim, como um amigo, também com a atitude de um pastor. Digo: a música destas palavras de Jesus é o comportamento do pastor, como o pastor faz com as suas ovelhas. “Não se perturbe o vosso coração. Crede em Deus, crede também em mim”. (27\04\2013)

“Ó Verdade eterna, qual é o teu ensinamento? Por que caminho é que tu queres que vamos ao Pai? Que via nos convém seguir? Não posso ver outra estrada que não seja a que pavimentaste com as virtudes verdadeiras e reais da tua ardente caridade. Tu, Verbo eterno, tu a aspergiste com o teu sangue; é ela a via”. (Santa Catarina de Sena)

Jesus lhe respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

“Eu sou caminho reto, verdade infalível, vida interminável. Eu sou caminho retíssimo, verdade suma, vida verdadeira, ditosa e inefável. Se permaneceres em meu caminho, “conhecerás a verdade, e a verdade te livrará e alcançarás a vida eterna”. (do livro “Imitação de Cristo”)

“De que modo Jesus nos revela que ele é a verdade? Dando testemunho da verdade com a sua vida e o seu ensinamento. “Para isso nasci e para isto vim ao mundo: para dar testemunho da verdade (Jo 18,37)”. Nós vivemos de acordo com a verdade, nós somos verdade, na medida em que somos a Palavra de Jesus. Mas, se Jesus é o caminho enquanto é a verdade, também é o caminho enquanto é vida para nós. “Eu vim para que tenham a vida e a tenham em abundância (Jo 10,10)”. (Com. Canção Nova)

O Padre Heitor de Menezes comentou: “Jesus é o caminho, a verdade e a vida. O que nos identifica como seus seguidores é a capacidade de amar até o dom total da vida, seguindo-o pelo caminho que Ele nos indicou. É nessa entrega radical que se cumpre a vocação cristã e que se dá testemunho do amor de Deus”. (Rede século 21)

Se me conhecêsseis, também certamente conheceríeis meu Pai

“Deus, que «habita numa luz inacessível» (1 Tm 6,16), fala também ao homem através da linguagem de todo o universo: «Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, tanto o Seu poder eterno como a Sua divindade, tornam-se reconhecíveis quando as obras por Ele realizadas são consideradas pela mente humana» (Rm 1,20). Este conhecimento indireto e imperfeito […] não é ainda «visão do Pai». «Ninguém jamais viu a Deus», escreve São João, para dar maior relevo à verdade segundo a qual «o Filho unigênito, que está no seio do Pai, é que O deu a conhecer» (1,18)”. (São João Paulo II)

“Se ficastes a conhecer-Me, conhecereis também o Meu Pai.» Vemos o homem Jesus Cristo, o Seu aspecto exterior, quer dizer, a Sua natureza humana; como é então que conhecê-Lo é também conhecer o Pai? No mistério do corpo que tomou, o Senhor manifesta a divindade que está no Pai, mantendo uma certa ordem: «se ficastes a conhecer-Me, conhecereis também o Meu Pai. E já O conheceis, pois estais a vê-Lo.» Ele distingue o tempo da vista e o do conhecimento; diz que terão de reconhecer Aquele que lhes fala e que eles vêem; é preciso que aprendam a reconhecer a natureza divina que está Nele”. (Santo Hilário)

O Papa Emérito Bento XVI explicou: “O Novo Testamento pôs fim à invisibilidade do Pai. Deus mostrou seu rosto, como confirma a resposta de Jesus ao apóstolo Felipe: ‘quem me viu, viu o Pai. O Filho de Deus, com sua encarnação, morte e ressurreição, libertou-nos da escravidão do pecado para dar-nos a liberdade dos filhos de Deus e nos fez conhecer o rosto de Deus que é amor: Deus pode ser visto e é visível em Cristo”. (22\05\11)

Conclusão:

Com a palavras de Santo Agostinho: “Queres alcançar a vida onde estarás para sempre liberto do engano? Quem não o quererá? Todos queremos a vida e a verdade. Mas como o conseguir? Que caminho seguir? É verdade que não chegamos ainda ao termo da viagem, mas vislumbramo-lo, já, aspiramos à vida e à verdade. Ambas as coisas estão em Cristo. Que direção tomar, para as alcançarmos? «Eu sou o Caminho», disse Ele. «Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14, 6)”. (Santo Agostinho)

Oração: 

“Esta é a nossa pergunta do dia, façamo-la, cinco minutinhos. Como eu sou neste caminho cristão? Parado, errante, vagando, parando diante das coisas de que gosto ou diante de Jesus ‘Eu sou o caminho’? E peçamos ao Espírito Santo que nos ensine a caminhar bem, sempre! E quando nos cansarmos, façamos uma pequena pausa e avante. Peçamos esta graça”, (Papa Francisco – 03\05\16)

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

Anúncios

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Apresentada a visita pelo centenário das aparições marianas e a canonização dos pastorinhos – Francisco peregrino em Fátima Papa: seguir Jesus Bom Pastor, único guia seguro que dá sentido à vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 202 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: