Trigésimo Terceiro Domingo do Tempo Comum – É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida – São Lucas 21, 5-19 – Dia 13 de novembro de 2016

7 de novembro de 2016 at 5:58 Deixe um comentário

Resultado de imagem para imagem do final dos tempos - site católico

5.Como lhe chamassem a atenção para a construção do templo feito de belas pedras e recamado de ricos donativos, Jesus disse:

6.Dias virão em que destas coisas que vedes não ficará pedra sobre pedra: tudo será destruído.

7.Então o interrogaram: Mestre, quando acontecerá isso? E que sinal haverá para saber-se que isso se vai cumprir?

8.Jesus respondeu: Vede que não sejais enganados. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu; e ainda: O tempo está próximo. Não sigais após eles.

9.Quando ouvirdes falar de guerras e de tumultos, não vos assusteis; porque é necessário que isso aconteça primeiro, mas não virá logo o fim.

10.Disse-lhes também: Levantar-se-ão nação contra nação e reino contra reino.

11.Haverá grandes terremotos por várias partes, fomes e pestes, e aparecerão fenômenos espantosos no céu.

12.Mas, antes de tudo isso, vos lançarão as mãos e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e aos cárceres, levando-vos à presença dos reis e dos governadores, por causa de mim.

13.Isto vos acontecerá para que vos sirva de testemunho.

14.Gravai bem no vosso espírito de não preparar vossa defesa,

15.porque eu vos darei uma palavra cheia de sabedoria, à qual não poderão resistir nem contradizer os vossos adversários.

16.Sereis entregues até por vossos pais, vossos irmãos, vossos parentes e vossos amigos, e matarão muitos de vós.

17.Sereis odiados por todos por causa do meu nome.

18.Entretanto, não se perderá um só cabelo da vossa cabeça.

19.É pela vossa constância que alcançareis a vossa salvação.

20.Quando virdes que Jerusalém foi sitiada por exércitos, então sabereis que está próxima a sua ruína.

21.Os que então se acharem na Judéia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade retirem-se; os que estiverem nos campos não entrem na cidade.

“Somos convidados a permanecer firmes na fé em meio aos desafios que nos rodeiam. Animados pela liturgia, levantemos a cabeça e não nos deixemos vencer pelo medo, mas trabalhemos com confiança pela justiça e pelo bem  num mundo imerso em conflitos. Celebremos a Páscoa de Jesus, que nos traz a salvação e nos faz participantes da vida sem fim”. (Liturgia Diária)

O Papa Francisco disse assim: “O Evangelho deste domingo (Lc 21, 5-19) consiste na primeira parte de um discurso de Jesus: sobre os últimos tempos. Jesus pronuncia-o Em Jerusalém, nos arredores do templo; e a oportunidade é-lhe proporcionada pelas pessoas que falavam do templo e da sua beleza, porque aquele templo era bonito! Então, Jesus disse: «Dias virão em que destas coisas que vedes não ficará pedra sobre pedra» (Lc 21, 6). Naturalmente, perguntam-lhe: quando acontecerá isto? Quais serão os sinais? Mas Jesus desvia a atenção destes aspectos secundários — quando será? como será? — desvia para as questões verdadeiras. E são duas. Primeira: não se deixar enganar pelos falsos messias e não se deixar paralisar pelo medo”. (17 de Novembro de 2013)

Vede que não sejais enganados. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu

O Papa Francisco explicou: “Este discurso de Jesus é sempre atual, também para nós que vivemos no século XXI. Ele repete-nos: «Prestai atenção para não serdes enganados. Muitos virão em meu nome» (v. 8). Trata-se de um convite ao discernimento, aquela virtude cristã de compreender onde se encontra o espírito do Senhor e onde está o espírito maligno. Com efeito, também hoje existem «salvadores» falsos, que procuram substituir-se a Jesus…”  (17 de Novembro de 2013)

 

Quando ouvirdes falar de guerras e de tumultos, não vos assusteis; porque é necessário que isso aconteça primeiro, mas não virá logo o fim.

“Nosso Senhor Jesus Cristo virá dos céus e virá no fim deste mundo, no último dia; porque este mundo terá um fim, e este mundo criado será renovado. Efetivamente, uma vez que a corrupção, o roubo, o adultério e toda a espécie de faltas se espalharam sobre a terra e «derramam sangue sobre sangue» (Os 4,2), para que esta admirável morada não permaneça cheia de injustiça, este mundo desaparecerá e surgirá outro mais belo”. (São Cirilo de Jerusalém)

“É preciso termos sempre em consideração uma dupla vinda de Cristo: uma, quando Ele vier e nós tivermos de prestar contas de tudo o que tivermos feito; a outra, quotidiana, quando Ele visita sem cessar a nossa consciência e vem a nós a fim de nos encontar prontos por ocasião da sua vinda definitiva. Com efeito, para que me serve conhecer o dia do juizo, se estou consciente de tantos pecados?” (São Pascácio Radbert)

“Também hoje, cada um dos fiéis de Cristo deseja acolhê-Lo no seu próprio tempo, tanto mais que Jesus não disse claramente quando apareceria. Assim, ninguém poderá imaginar que Cristo esteja submetido a uma lei do tempo, a uma hora qualquer, Ele que domina os números e o tempo”. (Santo Efrém)

É pela vossa constância que alcançareis a vossa salvação.

O Papa Francisco concluiu: “No final, Jesus fez uma promessa que é garantia de vitória: «É pela vossa constância que alcançareis a salvação» (v. 19). Quanta esperança há nestas palavras! Elas são um hino à esperança e à paciência, ao saber esperar os frutos seguros da salvação, confiando no sentido profundo da vida e da história: as provações e as dificuldades fazem parte de um desígnio maior; o Senhor”,

Conclusão:

O Evangelho exprime “o aspecto escatológico despertando nos fieis o sentido da espera pela segunda vinda de Jesus ao mundo. Nas leituras bíblicas das missas se fala da vinda definitiva e gloriosa de Jesus e dos últimos acontecimentos que consumarão a humanidade. O universo atingirá sua plenitude de perfeição e serão destruídos o pecado e a morte. A linguagem figurada das leituras bíblicas fortalece nossa coragem de sermos cristãos, carregando a cruz com Cristo, na certeza da vitória da ressurreição. Deus é amor. Cristo nos garante que não seremos maltratados por Deus que nos ama como filhos queridos. Só Deus é eterno; a humanidade e o universo têm uma origem e um fim, ambos em Deus” (Padre G ildeo) .

 

Oração:

Salmo 97, 1-9: “Cantai ao Senhor um cântico novo, porque ele operou maravilhas. Sua mão e seu santo braço lhe deram a vitória. O Senhor fez conhecer a sua salvação. Manifestou sua justiça à face dos povos. Lembrou-se de sua bondade e de sua fidelidade em favor da casa de Israel. Os confins da terra puderam ver a salvação de nosso Deus. Aclamai o Senhor, povos todos da terra; regozijai-vos, alegrai-vos e cantai. Salmodiai ao Senhor com a cítara, ao som do saltério e com a lira. Com a tuba e a trombeta elevai aclamações na presença do Senhor rei. Estruja o mar e tudo o que contém, o globo inteiro e os que nele habitam. Que os rios aplaudam, que as montanhas exultem em brados de alegria diante do Senhor que chega, porque ele vem para governar a terra. Ele governará a terra com justiça, e os povos com equidade”.

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

 

 

Anúncios

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Mostrar a quem erra o seu valor, o bem que tem em si – Papa no Angelus São Leão Magno – 10 de novembro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 214 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: