Décimo Terceiro Domingo do Tempo Comum – Eu te seguirei para onde quer que fores – São Lucas 9, 51 – 62 – Dia 26 de junho de 2016

20 de junho de 2016 at 5:18 Deixe um comentário

51.Aproximando-se o tempo em que Jesus devia ser arrebatado deste mundo, ele resolveu dirigir-se a Jerusalém.

52.Enviou diante de si mensageiros que, tendo partido, entraram em uma povoação dos samaritanos para lhe arranjar pousada.

53.Mas não o receberam, por ele dar mostras de que ia para Jerusalém.

54.Vendo isto, Tiago e João disseram: Senhor, queres que mandemos que desça fogo do céu e os consuma?

55.Jesus voltou-se e repreendeu-os severamente. [Não sabeis de que espírito sois animados.

56.O Filho do Homem não veio para perder as vidas dos homens, mas para salvá-las.] Foram então para outra povoação.

57.Enquanto caminhavam, um homem lhe disse: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que vás.

58.Jesus replicou-lhe: As raposas têm covas e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.

59.A outro disse: Segue-me. Mas ele pediu: Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai.

60.Mas Jesus disse-lhe: Deixa que os mortos enterrem seus mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus.

61.Um outro ainda lhe falou: Senhor, seguir-te-ei, mas permite primeiro que me despeça dos que estão em casa.

62.Mas Jesus disse-lhe: Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino de Deus.

 

“A Eucaristia fortalece nossa decisão de seguir os passos de Jesus, que inicia sua caminhada rumo à glória. Deixando-nos conduzir pelo seu Espírito, viveremos a adesão e a obediência a Ele com atitudes libertadoras. Somos convidados a nos desapegar de qualquer proposta que nos desvie do caminho de nosso Senhor”. (Liturgia Diária)

 

Aproximando-se o tempo em que Jesus devia ser arrebatado deste mundo, ele resolveu dirigir-se a Jerusalém.  Enviou diante de si mensageiros que, tendo partido, entraram em uma povoação dos samaritanos para lhe arranjar pousada. Mas não o receberam, por ele dar mostras de que ia para Jerusalém. Vendo isto, Tiago e João disseram: Senhor, queres que mandemos que desça fogo do céu e os consuma? Jesus voltou-se e repreendeu-os severamente. [Não sabeis de que espírito sois animados. O Filho do Homem não veio para perder as vidas dos homens, mas para salvá-las.] Foram então para outra povoação.

“O itinerário de Jesus para a Cidade Santa recapitula o caminho de Israel através do Antigo Testamento. Resume, pois, as experiências do povo eleito e leva a cumprimento as suas expectativas. Jerusalém representa, além disso, a última etapa da missão de Jesus. Ali serão levados a cabo os acontecimentos pascais que desembocarão na salvação”. (Comentário no site da Rede Século 21)

O Catecismo ensina: “Deus, infinitamente perfeito e bem-aventurado em si mesmo, num desígnio de pura bondade, criou livremente o homem para o tornar participante da sua vida bem-aventurada. Na plenitude dos tempos, Deus Pai enviou o seu Filho, como Redentor e Salvador dos homens caídos no pecado, convocando-os à sua Igreja e tornando-os filhos adotivos por obra do Espírito Santo e herdeiros da sua eterna bem – aventurança”. (Compêndio de 1-25)

“O nosso amantíssimo Redentor, movido de compaixão para com os pecadores, baixou do céu para salvá-los da morte eterna, à custa do seu sangue. Jesus Cristo declarou que Ele era aquele bom Pastor que tinha vindo à terra para dar vida a suas ovelhas. Que maior sinal de amor podia dar aos homens o Filho de Deus? Voltemo-nos com confiança para Jesus Cristo, se porventura o temos abandonado”. (Santo Afonso de Ligório)

 

Enquanto caminhavam, um homem lhe disse: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que vás. Jesus replicou-lhe: As raposas têm covas e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. A outro disse: Segue-me. Mas ele pediu: Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai. Mas Jesus disse-lhe: Deixa que os mortos enterrem seus mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus. Um outro ainda lhe falou: Senhor, seguir-te-ei, mas permite primeiro que me despeça dos que estão em casa. Mas Jesus disse-lhe: Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino de Deus.

O Papa Emérito Bento XVI disse que seguir a Cristo é uma “vocação cristã que nasce de uma proposta de amor do Senhor, e que pode realizar-se só graças a uma nossa resposta de amor. Jesus convida os seus discípulos ao dom total da própria vida, sem cálculo e vantagem humana, com uma confiança sem reservas em Deus. Os santos aceitam este convite exigente, e põem-se com humilde docilidade no seguimento de Cristo crucificado e ressuscitado”.

O Papa Francisco disse assim aos bispos: “A maior parte das pessoas consegue identificar-se imediatamente com Jesus, que era pobre e marginalizado, que não dispunha de um lugar onde reclinar a cabeça. Respondendo a estas exigências pastorais, peço-vos que ofereçais, além do vosso auxílio material, mais ajuda espiritual e uma sólida orientação moral, recordando que a ausência de Cristo é a maior de todas as formas de pobreza”. (25\04\14)

«Quem olha para trás, depois de deitar a mão ao arado, não está apto para o Reino de Deus”. Quanto a nós, tendo em consideração estes perigos para a alma, que são muito superiores aos do corpo, pensamos que é mais seguro e evidente enfrentar os perigos corporais”.  (São Francisco Xavier)

“Que ninguém olhe para trás como a mulher de Lot (Gn 19,26), porque o Senhor disse: “Quem mete a mão ao arado e olha para trás não é apto para o Reino dos Céus.” Olhar para trás mais não é do que alterar o próprio objetivo e retomar o gosto pelas coisas deste mundo”. (Santo Atanásio)

“O próprio Jesus nos adverte: « Quem, depois de deitar a mão ao arado, olha para trás, não é apto para o Reino de Deus » (Lc 9,62). Na causa do Reino, não há tempo para olhar para trás, menos ainda para dar-se à preguiça. Há muito trabalho à nossa espera; por isso, devemos pôr mãos a uma eficaz programação pastoral…”. (São João Paulo II)

 

Conclusão:

Com as palavras de São João Crisóstomo: “Bem sabemos que, antes da encarnação de Cristo e da Sua vinda a este mundo, tudo estava perdido e corrompido; mas, depois de Ele Se ter humilhado, tudo restabeleceu. Aboliu a maldição, destruiu a morte, abriu o paraíso, acabou com o pecado, escancarou as portas do céu para levar para lá as primícias da nossa humanidade. Propagou a fé em todo o mundo. Expulsou o erro e restabeleceu a verdade”.

Oração:

De Santo Afonso de Ligório: “Meu doce Jesus, que reconhecimento Vos devo! Graças aos méritos do vosso sangue, nutro confiança de estar na vossa amizade. Se até hoje os perdi muitas vezes, não quero mais perder-Vos para o futuro. Vós mereceis todo o meu amor; não quero mais viver separado de Vós. Mas, meu Jesus, conheceis a minha fraqueza; dai-me a graça de Vos ser fiel até à morte e de recorrer a Vós na tentação. — Santíssima Virgem Maria, assisti-me, pois que sois a Mãe da santa perseverança; em vós ponho toda a minha esperança”.

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

 

Anúncios

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Audiência Jubilar: abrir à misericórdia para mudar de vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 221 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: