Na audiência jubilar Francisco reafirma a primazia da misericórdia no confessionário e encoraja os militares a serem semeadores de paz – Nada impeça a reconciliação

30 de abril de 2016 at 11:34 Deixe um comentário

2016-04-30 L’Osservatore Romano

Uma exortação a não pôr «obstáculos às pessoas que desejam reconciliar-se com Deus» foi dirigida pelo Papa Francisco aos confessores durante a audiência jubilar da manhã de sábado, 30 de abril, na praça de São Pedro apinhada sobretudo de militares que participavam na peregrinação das forças armadas e da polícia.

Refletindo sobre o vínculo entre misericórdia e reconciliação, depois da proclamação do trecho bíblico tirado da segunda carta aos Coríntios (5, 17-21), o Pontífice partiu do pressuposto que «Deus nunca deixou de oferecer o seu perdão aos homens», porque «não se resigna à possibilidade de que uma pessoa permaneça alheia ao seu amor, mas sob condição de encontrar nela algum sinal de arrependimento». De resto, observou, dado que «quando pecamos» lhe «voltamos as costas», o Senhor vem em socorro dos homens. Como? Precisamente através do confessionário, foi a resposta implícita do Papa, o qual fez votos de que «este Jubileu da misericórdia» seja «um tempo de reconciliação para todos». E a este propósito fez notar que «muitas pessoas gostariam de se reconciliar mas não sabem como fazer». Por isso, acrescentou, «a comunidade cristã deve favorecer o retorno sincero a Deus». E isto é válido sobretudo para «quantos realizam o ministério da reconciliação». Eis então o pedido, que «ninguém permaneça distante de Deus por causa de obstáculos postos pelos homens, em particular pelo confessor que – acrescentou ao texto preparado – «deve ser um pai». Aliás, «está no lugar de Deus» e por isso «deve acolher as pessoas que vão ter com ele». É – comentou o Papa com as imagens evocativas características dos seus discursos – «um ministério tão bonito: não é uma sala de tortura nem um interrogatório». Por isso, convidou a deixar-se reconciliar com Deus, mesmo na certeza de que «no mundo há mais inimigos do que amigos». Um convite a construir «pontes de reconciliação», em todos os níveis da sociedade: da família – «quantos irmãos discutiram e se afastaram só pela herança», frisou – às Nações. E sobre este último aspeto no final da catequese, Francisco dirigiu uma breve saudação aos militares fazendo votos de que sejam «semeadores de paz».

Discurso do Papa (link)

Anúncios

Entry filed under: Santo Padre. Tags: .

Ato de Consagração à Divina Misericórdia Oração _ de Santo Afonso de Ligorio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 198 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: