Archive for junho, 2014

Evangelho de São Mateus 16, 13 – 19 – para os irmãos de língua Inglesa

13.8 When Jesus went into the region of Caesarea Philippi 9 he asked his disciples, “Who do people say that the Son of Man is?”

14.They replied, “Some say John the Baptist, 10 others Elijah, still others Jeremiah or one of the prophets.”

15.He said to them, “But who do you say that I am?”

16.11 Simon Peter said in reply, “You are the Messiah, the Son of the living God.”

17.Jesus said to him in reply, “Blessed are you, Simon son of Jonah. For flesh and blood 12 has not revealed this to you, but my heavenly Father.

18.And so I say to you, you are Peter, and upon this rock I will build my church, 13 and the gates of the netherworld shall not prevail against it.

19.I will give you the keys to the kingdom of heaven. 14 Whatever you bind on earth shall be bound in heaven; and whatever you loose on earth shall be loosed in heaven.”

28 de junho de 2014 at 6:22 Deixe um comentário

“Especulações sem fundamento” – P. Lombardi sobre a saúde do Papa em entrevista à redacção brasileira da RV

2014-06-28 Rádio Vaticana

  
“Especulações completamente sem fundamento” – foi assim que o Padre Federico Lombardi, Director da Rádio Vaticano e da Sala de Imprensa da Santa Sé, respondeu às notícias publicadas recentemente pela imprensa de que o Papa Francisco estaria doente depois de cancelar ou reduzir alguns compromissos da sua agenda. Foi numa entrevista ao programa brasileiro da Rádio Vaticano conduzida por Silvonei José:
“São especulações completamente sem fundamento. Em parte, essas especulações se devem ao facto que publicamos qual é a actividade do Papa durante o período de verão europeu, portanto, a redução de seus compromissos habituais neste período. Isso significa que não haverá as audiências gerais do mês de Julho e as missas na Casa Santa Marta nos meses de Julho e agosto. Isso foi interpretado por alguns como redução dos compromissos por motivo de saúde. Isso é absolutamente desprovido de razão, porque é exactamente a mesma coisa que se fez no ano passado. Então isso é normal, não há nenhum motivo particular de saúde do Papa. Uma redução dos compromissos do Papa é também uma redução do trabalho de seus colaboradores. O Papa não está sozinho no Vaticano ou na Igreja: toda iniciativa do Papa envolve muitas pessoas que trabalham em função dos compromissos do Santo Padre. O Papa sabe que também essas pessoas precisam repousar de vez em quando. O Papa e seus colaboradores devem ter um ritmo humano de trabalho. É justo que, durante o período de verão, haja uma redução dos compromissos. É algo absolutamente normal e não há nenhum motivo de saúde. Agora, sabemos que está sendo preparada uma nova Encíclica, da qual falou, sobre a protecção da criação, sobre a ecologia. Há inúmeros empenhos importantes do Papa para o próximo outono, há o Sínodo sobre a Família, outras viagens. Há pouco anunciou a viagem à Albânia. Depois há viagem à Ásia e assim por diante. Os compromissos são numerosos e também a preparação para esses empenhos requer concentração e tempo.”
“Não cabe a nós fazer a agenda do Papa e ditar quais trabalhos que ele tem que fazer. O Papa certamente é muito activo, prepara documentos, faz reflexões. Não há as grandes audiências na Praça no mês de Julho, porém o Papa igualmente trabalha, reza, estuda, escreve e encontra pessoas como faz habitualmente. Gostaria de acrescentar outra pequena consideração: houve dias em que o Papa suspendeu algumas audiências previstas e as adiou para outro momento. Isso aconteceu porque havia naquele dia um motivo para descansar um pouco, devido a uma leve indisposição ou outra razão. Também isso deve ser considerado absolutamente normal para uma pessoa que tem um ritmo de actividade incrível, como o Papa tem, que trabalha de manhã, à tarde, quase sempre sem interrupção. Se ele tivesse uma actividade muito mais reduzida, isso não aconteceria. Mas ao invés, como sabemos, tem uma actividade realmente muito intensa. Ele não tem uma enfermidade; caso contrário, absolutamente não seria capaz de fazer tudo o que ele faz.”
Nesta entrevista à redacção brasileira da Rádio Vaticano o Padre Lombardi salientou não existirem elementos que nos possam dar a ideia de estarmos perante uma pessoa cansada ou doente. Pelo contrário o Papa Francisco tem uma intensidade da sua actividade e da criatividade impressionantes – declarou o Padre Lombardi na conclusão desta entrevista:
“É verdadeiramente impressionante a intensidade da sua actividade e da criatividade. A contínua produção de novas ideias, a vivacidade com que vive a relação com as pessoas que encontra… Não existem absolutamente elementos que dêem a ideia de uma pessoa cansada ou doente. Estamos diante de uma pessoa que nos impressiona continuamente pela intensidade de seus compromissos, da sua vida, da sua vivacidade espiritual.” (RS/SJ)

28 de junho de 2014 at 6:09 Deixe um comentário

Deus, Pai terno que nos ama e leva pela mão – o Papa em Santa Marta nesta sexta-feira

 

2014-06-27 Rádio Vaticana

No dia da Solenidade do Sagrado Coração de Jesus o Papa Francisco em Santa Marta afirmou que Deus é um Pai que nos ama ternamente. Ele dá-nos a graça e a alegria de celebrarmos no coração do Seu Filho as grandes obras do seu amor. E na sua meditação o Santo Padre salientou dois traços característicos do amor:
“Há dois traços do amor. Primeiro, o amor está mais no dar que no receber. O segundo traço: o amor está mais nas obras do que nas palavras. Quando nós dizemos que é mais no dar que no receber, é que o amor comunica-se: sempre se comunica. E é recebido pelo amado. E quando dizemos que é mais nas obras do que nas palavras, o amor sempre dá vida, faz crescer.”
Segundo o Papa Francisco aquilo que Deus procura no homem é uma relação de um pai para com a sua criança, acariciando-a e dizendo-lhe com ternura “eu estou contigo”:
“Esta é a ternura do Senhor, no seu amor; isto é aquilo que Ele nos comunica e nos dá força à nossa ternura. Mas se nós nos sentimos fortes, nunca teremos a experiência do carinho do Senhor e as Suas carícias são tão belas.. ‘Não temas, eu estou contigo, eu levo-te pela mão…’ São todas palavras do Senhor que nos fazem entender aquele misterioso amor que Ele tem por nós. E quando Jesus fala de si próprio diz: ‘Eu sou manso e humilde de coração’. Também Ele, o Filho de Deus, baixa-se para receber o amor do Pai.”
O Papa Francisco concluiu a sua homilia afirmando que Deus nos leva pela mão nos caminhos da vida, Ele está sempre presente antes de nós e à nossa frente, pois sempre nos espera:
“Quando nós chegamos, Ele está. Quando nós procuramos, Ele procurou-nos antes. Ele está sempre à nossa frente, espera-nos para nos receber no seu coração, no seu amor. E estas duas coisas podem ajudar-nos a perceber este mistério do amor de Deus connosco. Para exprimir-se tem necessidade da nossa pequenez, do nosso baixarmo-nos. E também tem necessidade da nossa admiração quando procuramos e encontramo-Lo alí que nos espera.” (RS)

27 de junho de 2014 at 10:36 Deixe um comentário

Jesus, o Bom Pastor, falava a língua do povo – o Papa em Santa Marta nesta quinta-feira

 

2014-06-26 Rádio Vaticana

Na Missa em Santa Marta nesta quinta-feira o Papa Francisco baseou a sua homilia no Evangelho do dia onde podemos ler em S. Mateus, capítulo 7, versículos 28 e 29: “Quando Jesus acabou de falar, a multidão ficou vivamente impressionada com os seus ensinamentos, porque Ele ensinava-os como quem possui autoridade e não como os doutores da Lei.”.
Na sua meditação o Santo Padre chamou a atenção para o modo como Jesus falava com as pessoas, sublinhou mesmo que as multidões ficavam “maravilhadas com o seu ensinamento”. Os outros falavam, mas não chegavam ao povo. O Papa Francisco enumerou quatro grupos: os fariseus, antes de mais, faziam da religião um colar de mandamentos e os dez existentes passavam a ser trezentos, reduzindo a fé à casuística. Depois o Santo Padre citou ainda os saduceus que tinham perdido a fé e dedicavam-se aos acordos de poder, os zelotes que queriam fazer uma revolução para libertar o povo de Israel pela força e o Papa referiu ainda os essénios que eram monges que se tinham consagrado a Deus, mas que estavam longe do povo.

 

Segundo o Papa Francisco o povo seguia Jesus porque Ele era o Bom Pastor e falava a língua do povo:
“É por isto que o povo seguia Jesus, porque era o Bom Pastor. Não era nem um fariseu casuístico moralista, nem um saduceu que fazia negócios políticos com os poderosos, nem é um guerrilheiro que procurava a libertação política do seu povo, nem um contemplativo de mosteiro. Era um pastor! Um pastor que falava a língua do seu povo, fazia-se entender, dizia a verdade, as coisas de Deus: não negociava nunca as coisa de Deus! Mas dizia-as em tal modo que o povo amava as coisas de Deus. Por isso é que O seguia.”
O Papa Francisco concluiu a sua homilia exortando-nos a deixarmo-nos maravilhar por aquilo que Jesus nos diz. 

27 de junho de 2014 at 4:52 Deixe um comentário

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro = 27 de Junho

Hoje, 27 de junho, é uma das festas mais antigas e belas de Nossa Senhora; “Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro”. Jesus é o Perpétuo Socorro. E esta festa é celebrada no mesmo dia do grande  S. Cirilo de Alexandria (330-442), bispo e doutor da Igreja, que presidiu o importantíssimo Concílio  de Éfeso que no ano de 431 proclamou solenemente Nossa Senhora como Mãe de Deus (Theotókos), diante da heresia de Nestório, patriarca de Constantinopla, que negava esta verdade.

A devoção à Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro é uma devoção universal, conhecida e venerada em todos os continentes do mundo, talvez a mais ampla e conhecida devoção de Nossa Senhora, especialmente no Oriente. No mundo todo são realizadas as famosas Novenas Perpétuas em honra de Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro. Esta novena começou em  11 de julho de 1922 nos EUA.

O famoso e conhecido quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi pintado em estilo bizantino e representa Nossa Senhora, Mãe de Deus, a Senhora das Dores, que socorre seu Filho ainda Menino assustado diante da visão de S. Miguel com o vaso de vinagre à esquerda e S. Gabriel com a Cruz à direita. A Criança divina assustada diante desses instrumentos de sua Paixão se refugia nos braços de sua Mãe, agarra em suas mãos e deixa cair a sandália do pé direito. A Mãe a acolhe e a prepara para um dia viver a Paixão redentora da humanidade.

Nossa Senhora tem o semblante coberto de tristeza e resignação e traz na cabeça a coroa de Rainha.

O quadro tem origem desconhecida; segundo um antiga tradição teria sido pintado por S. Lucas, o que não é garantido. Mas com certeza se sabe que desde 1499 é venerado em Roma. Em 1866, o Papa Pio IX o entregou aos Padres Redentoristas para que divulgassem essa devoção, o que eles fazem ainda hoje. Ela é a Patrona dos Redentoristas. Atualmente o quadro original se encontra na igreja de S. Afonso de Ligório em Roma.

Maria é a Senhora que nos apresenta Jesus, o Perpétuo Socorro da humanidade. Cada cristão precisa te-la como mãe. Aos pés da Cruz Jesus a entregou ao discípulo amado João, que representa toda a humanidade, cada um de nós, amados de Jesus. “Mãe, eis ai o teu filho; filho, eis ai a tua Mãe”. E o evangelista S. João diz que “ele a levou para a sua casa” (Jo 19, 25s).

S. João levou Nossa Senhora para morar com ele naquela casinha no alto das montanhas de Éfeso que existe ainda hoje, na Turquia. Eu já tive a oportunidade de estar ali em peregrinação. Éfeso era a capital da Província Romana da Ásia; ali havia cerca de 300 mil pessoas no tempo em que Nossa Senhora viveu com S. João.

Cada um de nós precisa também “levar Maria para sua casa” como Mãe, como Jesus mandou. Se Jesus no-la deu aos pés da Cruz, com lábios de sangue, é porque nós precisamos dela para nos ajudar na difícil caminhada da vida em busca da nossa salvação. Desprezar Nossa Senhora como mãe, seria, então, uma ofensa muito grave a Jesus; seria desprezar a última dádiva que Ele nos deixou antes de morrer por nós.

Prof. Felipe Aquino

27 de junho de 2014 at 4:47 Deixe um comentário

Sagrado Coração de Jesus – 27 de Junho

O Catecismo (§478) ensina: “Jesus conheceu-nos e amou-nos, a todos e a cada um, durante a sua vida, a sua agonia e a sua paixão, entregando-Se por cada um de nós: «O Filho de Deus amou-me e entregou-Se por mim» (Gl 2, 20). Amou-nos a todos com um coração humano. Por esse motivo, o Sagrado Coração de Jesus, trespassado pelos nossos pecados e para nossa salvação, é considerado sinal e símbolo por excelência… daquele amor com que o divino Redentor ama sem cessar o eterno Pai e todos os homens”.

26 de junho de 2014 at 17:57 Deixe um comentário

Hino do Vaticano


Favor clicar abaixo e à direita para assistir no Youtube.

26 de junho de 2014 at 8:02 Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 319 outros seguidores

Categorias