Papa Francisco exorta as testemunhas de Cristo a serem humildes, não triunfalistas

6 de abril de 2014 at 10:17 Deixe um comentário

 

2014-04-05 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – A entrevista que o Papa Francisco concedeu em 31 de março passado, no Vaticano, a alguns jovens belgas, cujos trechos principais foram transmitidos nesta quinta-feira pela televisão pública flamenga da Bélgica VRT, tem tido ampla repercussão em várias partes do mundo. Neste sábado foi publicada integralmente. Já na sexta-feira, dia 4, a Rádio Vaticano trouxe boa parte da entrevista, e agora propomos alguns trechos inéditos da mesma.
Os pobres são uma bandeira do Evangelho, não do comunismo: essa tem sido uma das expressões do Papa de maior repercussão na mídia internacional.
Em sua reflexão mais ampla, agora publicada integralmente, o Papa Francisco fazia referência também a outra pobreza. De fato, no Evangelho lê-se que Jesus tinha “certa preferência pelos marginalizados”:
“Os leprosos, as viúvas, as crianças órfãs, os cegos… as pessoas marginalizadas. E também os grandes pecadores… e essa é a minha consolação! Sim, porque Ele não se assusta nem mesmo com o pecado! Quando encontrou uma pessoa como Zaqueu, que era um ladrão, ou como Mateus, que por causa do dinheiro era um traidor da pátria, Ele não se assustou! Olhou para eles e os escolheu. Também esta é uma pobreza: a pobreza do pecado.”
Respondendo a outra pergunta, Francisco afirma encontrar Deus, sobretudo, nos doentes: mas também na leitura da Bíblia, na celebração dos Sacramentos, no trabalho cotidiano e, obviamente, na oração. Mas, e como o Papa reza a Deus?
“Deixo que Ele olhe para mim. E sinto – mas não é sentimentalismo –, sinto profundamente as coisas que o Senhor me diz. Algumas vezes não fala… nada, vazio, vazio, vazio… mas pacientemente permaneço ali, e assim rezo… Fico sentado, rezo sentado, porque tenho dificuldade para ajoelhar-me, e algumas vezes me adormeço na oração… É também uma maneira de rezar, como um filho com o Pai, e isso é importante: sinto-me filho com o Pai.”
Por fim, uma pergunta sobre como anunciar o Evangelho aos outros na sociedade de hoje:
-“O melhor caminho é o testemunho, mas humilde: ‘Sou desse jeito’, com humildade, sem triunfalismo. Este é outro pecado nosso, o triunfalismo é uma atitude ruim. Jesus não foi triunfalisata, e também a história nos ensina a não sermos triunfalistas, porque os grandes triunfalistas foram derrotados. O testemunho: essa é uma chave, ela interpela. E procuro dar esse testemunho com humildade, sem fazer proselitismo. E o ofereço. É desse jeito. E isso não faz medo. Não é uma partir para as cruzadas.” (RL)

Anúncios

Entry filed under: Santo Padre. Tags: .

Papa no Angelus: não há nenhum limite para a misericórdia de Deus ORACIÓN DE SU SANTIDAD BENEDICTO XVI – para os irmãos de língua espanhola

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 310 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: