Solenidade da Epifania do Senhor – Os Magos “Viram o Menino com Maria, sua Mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram” – São Mateus 2, 1-12 – 05 \ 01 \ 14

2 de janeiro de 2014 at 10:46 Deixe um comentário

 

1. Tendo, pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do oriente a Jerusalém.

2. Perguntaram eles: Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo.

3. A esta notícia, o rei Herodes ficou perturbado e toda Jerusalém com ele.

4. Convocou os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo e indagou deles onde havia de nascer o Cristo.

5. Disseram-lhe: Em Belém, na Judéia, porque assim foi escrito pelo profeta:

6. E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que governará Israel, meu povo(Miq 5,2).

7. Herodes, então, chamou secretamente os magos e perguntou-lhes sobre a época exata em que o astro lhes tinha aparecido.

8. E, enviando-os a Belém, disse: Ide e informai-vos bem a respeito do menino. Quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também vá adorá-lo.

9. Tendo eles ouvido as palavras do rei, partiram. E eis que e estrela, que tinham visto no oriente, os foi precedendo até chegar sobre o lugar onde estava o menino e ali parou.

10. A aparição daquela estrela os encheu de profunda alegria.

11. Entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra.

12. Avisados em sonhos de não tornarem a Herodes, voltaram para sua terra por outro caminho.

 

O Papa Emérito Bento XVI explicou: “Sobre o altar está presente Aquele que os Magos viram deitado na manjedoura: Cristo, o Pão vivo que desceu do céu para dar a vida ao mundo, o verdadeiro Cordeiro que dá a própria vida pela salvação da humanidade. Iluminados pela Palavra, é sempre em Belém na “Casa do pão” que podemos fazer o encontro arrebatador com a grandeza inconcebível de um Deus que se humilhou a ponto de se mostrar na manjedoura, de se oferecer como alimento no altar”.

 

Os Magos foram até Belém para adorar o Menino Jesus

O Papa Emérito Bento XVI disse: “Até que chegassem a Jerusalém aquelas personagens misteriosas, os Magos, que pediam notícias sobre o «Rei dos Judeus», que tinha acabado de nascer. Obviamente, tratando-se de um rei, dirigiram-se ao palácio real, onde residia Herodes. Mas ele nada sabia de tal nascimento e, muito preocupado, convocou imediatamente os sacerdotes e os escribas os quais, com base na célebre profecia de Miqueias ( 5, 1), afirmaram que o Messias deveria nascer em Belém”.

A Palavra diz: “Diante dele se prosternarão seus inimigos, e seus adversários lamberão o pó.  Os reis de Társis e das ilhas lhe trarão presentes, os reis da Arábia e de Sabá oferecer-lhe-ão seus dons. Todos os reis hão de adorá-lo, hão de servi-lo todas as nações”. (Sl 71, 9-11)

O Beato João Paulo II disse: “Temos diante dos olhos estes três — assim diz a tradição — três Reis Magos que vêm de longe, peregrinos em camelos, e trazem consigo não só ouro e incenso, mas também mirra: estes os presentes simbólicos com que foram ao encontro do Messias, que era esperado mesmo além das fronteiras de Israel”.

 

A Epifania é a manifestação de Jesus Cristo Salvador de toda a humanidade

“A luz de Deus chegou para todos os povos. Seu mistério, seu amor foi revelado a todas as gentes. Nele, todas as nações podem encontrar a vida e a paz, a salvação e a misericórdia. Mas sem a abertura do coração, Ele não vem morar em nós. Deixemo-nos tocar por seu amor”. (Deus Conosco)

O Beato João Paulo II explicou: “Devido a esta peregrinação a Belém, os Reis Magos do Oriente tornaram-se o início e o símbolo de todos aqueles que, por meio da fé, chegam a Jesus… Precisamente estes homens, os Reis Magos — três, segundo pretende a tradição — vindos do Oriente, tornaram-se o início e a prefiguração de todos os que, de além  fronteiras do Povo eleito da Antiga Aliança, chegaram e vão chegando sempre a Cristo mediante a fé”.

O Catecismo (§528) ensina que “a vinda dos magos a Jerusalém para “adorar ao Rei dos Judeus” mostra que eles procuram em Israel, à luz messiânica da estrela de Davi, aquele que será o Rei das nações. Sua vinda significa que os pagãos só podem descobrir Jesus e adorá-lo como Filho de Deus e Salvador do mundo voltando-se para os judeus e recebendo deles sua promessa messiânica, tal como está contida no Antigo Testamento”.

 

A Luz é Jesus!

O Beato João Paulo II disse que “o Menino nascido na noite de Belém manifesta-se ao mundo como luz de salvação para todos os povos. Alguns Magos narra o Evangelho de São Mateus vieram do Oriente, adoraram o Menino e ofereceram-lhe ofertas simbólicas: ouro ao Rei, incenso a Deus, e mirra…”

A Palavra diz: “Levanta-te, sê radiosa, eis a tua luz! A glória do Senhor se levanta sobre ti. Vê, a noite cobre a terra e a escuridão, os povos, mas sobre ti levanta-se o Senhor, e sua glória te ilumina. As nações se encaminharão à tua luz, e os reis, ao brilho de tua aurora. Levanta os olhos e olha à tua volta: todos se reúnem para vir a ti; teus filhos chegam de longe, e tuas filhas são transportadas à garupa.  Essa visão tornar-te-á radiante; teu coração palpitará e se dilatará, porque para ti afluirão as riquezas do mar, e a ti virão os tesouros das nações”. (Is 60, 1-5)

 O Beato João Paulo II disse: “caminho dos pastores foi breve. O caminho dos Magos é longo. Os pastores foram diretamente rumo, à luz que refulgiu em volta deles na noite de Belém. Os Magos tiveram que procurar com perseverança, seguindo a estrela e deixando-se guiar pela sua luz. Assim, diversos são os caminhos da fé que orientam os homens e os povos para Cristo”.

O Papa Emérito Bento XVI explicou: “Os cristãos são chamados a imitar o serviço que a estrela prestou aos Magos. Devemos resplandecer como filhos da luz, para atrair todos à beleza do Reino de Deus. E a quantos buscam a verdade, devemos oferecer a Palavra de Deus, que leva a reconhecer em Jesus «o verdadeiro Deus e a vida eterna» (1 Jo 5, 20). 

 

Somos chamados a ser luz no mundo

O Beato João Paulo II ensinou: “Na solenidade de hoje (Epifania)  emerge a vocação universal e missionária da Igreja. Ela está chamada a difundir no mundo a luz da Boa Nova, fonte de vida e de renovação para todas as pessoas e para a humanidade. É esta, em particular, a tarefa dos Apóstolos e dos seus sucessores, os Bispos”.

A Palavra diz: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus”. (Mt 5, 14-16)

 

Maria, a estrela que nos conduz a Jesus

O Beato João Paulo II disse também: “O Evangelho conta que uma estrela guiou os Magos até Jerusalém e depois até Belém. As profecias antigas comparam o futuro Messias com um astro celeste. Foi também atribuído a Maria este emblema: se Cristo é a estrela que conduz a Deus, Maria é a estrela que leva até Jesus”.

 

Conclusão

“A luz brilhou entre nós, a luz da eternidade, que é Jesus. Nele, não há mais trevas. Ele é a estrela que ilumina toda a humanidade. Na noite de Natal, junto do presépio celebramos a revelação do amor de Deus por nós. Hoje, junto desse mesmo presépio, celebramos o amor que se abre à humanidade inteira e acolhe a todos os homens e mulheres. Vivendo nesse amor, tornamo-nos também responsáveis por ele, para que atinja cada coração e a humanidade inteira. Que esse amor revelado não perca jamais  sua força em nossa existência”. (Deus Conosco)

 

 Oração

Prefácio da Epifania: Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso. Revelastes, hoje, o mistério de vosso Filho como luz para iluminar todos os povos no caminho da salvação. Quando Cristo se manifestou em nossa carne mortal, vós nos recriastes na luz eterna de sua divindade. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, dizendo a uma só voz…”

 

Há no Blog a reflexão da “Solenidade da Epifania do Senhor” do Evangelho de São  Mateus 2, 1-12 , postada em 04 de janeiro de 2012; e frases sobre  a Solenidade da Epifania do Senhor, postadas em 02 de janeiro de 2013

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Homilia do Papa Francisco no primeiro dia do ano de 2014

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 309 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: