Archive for agosto, 2011

Milagres

28 de agosto de 2011 at 12:54 Deixe um comentário

Angelus de Bento XVI – 14 de agosto de 2011

Queridos irmãos e irmãs.

O trecho evangelico deste domingo incia com a indicação da região onde Jesus estava: Tiro e Sidônia, no nordeste da Galiléia, terra pagã. E é ali que Ele encontra uma mulher cananéia, que se dirige a Ele pedindo-lhe a cura da filha atormentada por um “demonio (cfr.Mt 15,22). Já neste pedido, podemos constar um início de caminho de fé, que no diálogo com o divino Mestre, cresce e se reforça. A mulher não tem medo de gritar a Jesus “Piedade de mim”, uma expressão que encontramos nos Salmos (cfr 50,1), ela o chama de Senhor e Filho de Davi (Mt 15,22), manifesta assim a esperança de ser atendida. Qual a atitude do Senhor diante daquele grito de dor de uma mulher pagã? Pode parecer desconcertante o silêncio de Jesus, tanto que suscita a intervenção dos discípulos, mas nao se trata de insensibilidade diante da dor daquela mulher.

Santo Agostinho fala disto justamente: “Cristo se mostrava indiferente diante dela não para rejeitar a ela a misericordia, mas para inflamar o desejo nela. (Sermões 77,1: PL 38,483). O aparente distanciamento de Jesus , que diz “Não fui mandado a outros senão às ovelhas perdidas da casa de Israel” (v.24), não desencoraja a cananéia, que insiste: “Senhor, ajuda-me” (v.25) E também quando recebe uma resposta que parece fechar toda e qualquer esperança – “Não é bom pegar o pão dos filhos e joga-los aos cachorrinhos” (v.26), não desiste. Ela não quer tirar nada de ninguém: na sua simplicidade e humildade, basta a ela o pouco, bastam a ela as migalhas, basta a ela somente um olhar, uma boa palavra do Filho de Deus. E Jesus fica admirado com uma resposta de fé tão grande e diz a ela: “Aconteça aquilo que tu desejas” (v.28).

Caros amigos, também nós somos chamados a crescer na fé, a abrir-nos e a acolher com liberdade o dom de Deus, a ter confiança e gritar também a Jesus: “doa-nos a fé, ajuda-nos a encontrar o caminho”. É o caminho que Jesus fez os discípulos, a mulher cananéia, os homens de cada tempo e povo, e cada um de nós cumprir. A fé nos abre a conhecer e a acolher a real identidade de Jesus, a sua novidade e unicidade, a sua Palavra, como fonte de vida, para viver uma relação pessoal com Ele. O conhecer da fé cresce com o desejo de encontrar o caminho, e é finalmente um dom de Deus, que se revela a nós não como uma coisa abstrata sem face e nem nome, mas a fé corresponde a uma Pessoa, que quer entrar em relacionamento de amor profundo conosco e envolver toda a nossa vida. Por isto, cada dia o nosso coração deve reviver a experiencia da conversão, todos os dias deve ver o nosso passar do homem fechado em si mesmo, ao homem aberto à ação de Deus, ao homem espiritual (cfr ICor 2, 13-14), que se deixa envolver pela Palavra do Senhor e abre a porta da propria vida ao seu Amor

 Caros irmãos e irmãs, alimentemos todos os dias a nossa fé, com a escuta profunda da Palavra de Deus, com a celebração dos Sacramentos, com a oração pessoal como grito em direção à Ele e com a caridade em direção ao próximo. Invocamos a intercessão da Virgem Maria, que amanhã contemplaremos na sua gloriosa assunção ao céu em alma e corpo, a fim que nos ajude a anunciar e testemuhar com a vida a alegria de ter encontrado o Senhor..(cn notícias)

 

27 de agosto de 2011 at 22:39 Deixe um comentário

Oração pelos povos – México

Mensagem do Beato João Paulo II ao povo do  México:

Quero dirigir o meu pensamento para o Tepeyac, para Nossa Senhora de Guadalupe, Estrela da primeira e da nova Evangelização da América. A ela confio a Igreja que peregrina no México e no Continente americano, e peço-lhe ardentemente que acompanhe os seus filhos a entrarem, com fé e esperança, no terceiro milênio.

Virgem Santíssima, que, como o Beato Juan Diego, possamos no caminho da nossa vida levar impressa a tua imagem e anunciar a Boa Nova de Cristo a todos os homens!  

Nossa Senhora de Guadalupe, rogai por nós!

27 de agosto de 2011 at 10:01 Deixe um comentário

Coração pobre

26 de agosto de 2011 at 20:16 Deixe um comentário

Santo Agostinho – 28 de agosto

 

 

Aurelius Augustinus, mais conhecido como SANTO AGOSTINHO nasce em TAGASTE DE NUMÍDIA, província romana ao norte da África em 13 de novembro de 354; primogênito do pagão Patrício e da fervorosa cristã Mônica. Criança alegre, buliçosa, entusiasta do jogo, travessa e amante da amizade, não gosta muito de estudar porque os mestres usam métodos agressivos e não são sinceros. Ante os adultos se revela como “um menino de grandes esperanças”, com inteligência clara e coração inquieto. 

Africano pela lei do solo, romano pela cultura e língua, e cristão por educação.AGOSTINHO, jovem, de temperamento impulsivo e veemente, se entrega com afinco ao estudo e aprende toda a ciência do seu tempo. Chega a ser brilhante professor de retórica em Cartago, Roma e Milão. 

Sedento de Verdade e Felicidade 

Em sua busca constante vive longos anos com ânimo disperso. Vazio de Deus e agarrado pelo pecado, a vontade “sequestrada”, errante e peregrina, “enganado e enganador”. 

Mas, seu coração, sempre aberto à verdade, chega ao encontro da graça pelo caminho da interioridade, apoiado pelas orações de sua mãe, que na infância lhe havia marcado com o sinal da cruz. 

Coração Sempre Jovem 

Estando em Milão, no seu horto; uma voz infantil o anima – “TOMA E LÊ” – a ler as Escrituras, ficando de repente iluminada a sua inteligência com uma luz de segurança e satisfazendo o seu coração – CORAÇÃO HUMANO – coração grande de jovem; era o outono do ano 386. 

Deixando a docência, retira-se a CASSICÍACO, recinto de paz e silêncio e põe em prática o Evangelho em profunda amizade compartilhada: vida de quietude, animada somente pela paixão à Verdade. Assim se prepara para ser batizado na Primavera de 387 por Santo Ambrósio. 

Inspirador da Vida Religiosa 

De novo em Tagaste – a mãe morre no porto de Roma – vende suas posses e projeta seu programa de vida comum: probreza, oração e trabalho. Por seus dotes naturais e títulos de graça, cresce em torno dele um grupo de amizade e funda para a história o Monacato Agostiniano. 

No ano 391 é proclamado sacerdote pelo povo, e cinco anos mais tarde, os cristãos de Hipona o apresentam para o Episcopado. Consagrado BISPO DE HIPONA – título de serviço e não de honra – converte a sua residência em casa de oração e tribunal de causas. Inspirador da vida religiosa, pastor de almas, administrador de justiça, defensor da Fé e da Verdade. Prega e escreve de forma infatigável e condensa o pensamento do seu tempo. 

O Primeiro Homem Moderno 

Em 429 os vândalos, guiados por Genserico atravessam o Estreito de Gibraltar e atacam o norte africano. AGOSTINHO “cercado com o seu povo” sente amargura e luto, alenta o ânimo de seus fiéis e os convida à defesa. No terceiro mês do assédio, aos 76 anos de vida, em 28 de agosto de 430, começa a viver na Cidade de Deus uma vida mais nobre. 

Agostinho vive hoje na família Agostiniana que lhe reconhece como Pai, no culto da Igreja que o venera como Santo, em todas as almas recuperadas que lhe devem o seu retorno a Deus e nas mentes privilegiadas que o admiram por seu gênio fecundo.

26 de agosto de 2011 at 16:14 Deixe um comentário

Mãe Santíssima

Mãe amada

Mãe admirada

Mãe exaltada

Mãe bem- aventurada

Que intercede

Ao nosso Senhor

Por todos os seus filhos

Que estão aflitos

Pela ferida e pela dor.

Ó Coração de Maria

 Imaculado

Que vela

Compassivamente

Fielmente

Por cada um de nós.

Mãe de Jesus

Senhora e Rainha

Virgem da cruz

Virgem da alegria

Proteja-nos sempre,

Nossa Senhora da Guia!

                             Jane Amábile

25 de agosto de 2011 at 20:33 Deixe um comentário

Primeiro anúncio da Paixão e Renúncia – Vigésimo segundo domingo do tempo comum – Mateus 16, 21-27

 21. Desde então, Jesus começou a manifestar a seus discípulos que precisava ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos príncipes dos sacerdotes e dos escribas; seria morto e ressuscitaria ao terceiro dia.

22. Pedro então começou a interpelá-lo e protestar nestes termos: Que Deus não permita isto, Senhor! Isto não te acontecerá!

23. Mas Jesus, voltando-se para ele, disse-lhe: Afasta-te, Satanás! Tu és para mim um escândalo; teus pensamentos não são de Deus, mas dos homens!  

24. Em seguida, Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me.  

25. Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, recobrá-la-á.  

26. Que servirá a um homem ganhar o mundo inteiro, se vem a prejudicar a sua vida? Ou que dará um homem em troca de sua vida?…  

27. Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai com seus anjos, e então recompensará a cada um segundo suas obras. 

Resumo: Jesus Cristo profetizou pela primeira vez aos seus discípulos que deveria passar pelo sofrimento, pela morte e ressurreição, em Jerusalém. Pedro não se conformou com essa revelação, rejeitando-a disse ao Senhor: -“Que Deus não permita isto, Senhor! Isto não te acontecerá”!  (V.22)  Jesus Cristo repreendeu Pedro dizendo que os pensamentos de Pedro não eram os mesmos de Deus, e sim, os pensamentos dos homens. O Senhor então convida seus discípulos a acompanhá-lo nessa caminhada de cruz. Mas para isso é preciso que cada um renuncie a si mesmo, tome sua própria cruz e o siga. E Jesus está dizendo também para nós hoje o mesmo que disse aos discípulos, se quisermos segui-lo. O Senhor nos promete a recompensa final, na sua Segunda Vinda, se renunciarmos aos bens da vida terrena em favor dos bens eternos, por causa do seu seguimento.

“Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me”. (V.24) – O caminho percorrido por Jesus e pelo qual devemos passar se quisermos alcançar a vida eterna é o caminho que passa impreterivelmente pela renúncia de si mesmo e pela cruz. Pedro tentou desviar-se dele, mas Jesus o repreendeu. (V.22 -23) Seguir Jesus não é com certeza uma caminhada de facilidades. Há dificuldades, mas há recompensas e, a maior delas é a vida na eternidade junto de Deus. Somos tentados algumas vezes como Pedro a abandonar a cruz. Achamos que só podemos seguir Jesus se tudo estiver resolvido em nossas vidas, mas é justamente o Senhor que tem poder para aliviar o peso da nossa cruz. Ele venceu todo o mal. Jesus nos diz na sua Palavra: “No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo”. (Jo 16, 33b)

 O Papa Bento XVI ensinou-nos sobre o que significa tomar a cruz e seguir Jesus: “Tomar a cruz significa comprometer-se para derrotar o pecado que impede o caminho rumo a Deus, aceitar diariamente a vontade do Senhor, aumentar a fé sobre tudo diante dos problemas, das dificuldades e dos sofrimentos”. E o Santo Padre continuou ensinando: “Lutar contra o mal, contra qualquer forma de egoísmo e de ódio, e morrer para si mesmos para viver em Deus é o itinerário ascético que cada discípulo de Jesus está chamado a percorrer com humildade e paciência, com generosidade e perseverança. O dócil seguimento do Mestre divino torna os cristãos testemunhas e apóstolos de paz”.

Esse é o chamado que o Senhor faz a cada um de nós: renunciar a vida de pecado e segui-lo. Precisamos renunciar a uma vida velha de vícios, rancores e apegos e fazer um esforço de buscar constantemente uma vida renovada em Deus. A Palavra diz: “Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade”. (Ef 5, 22-24)

 Seguir a Cristo é querer ver, sentir, ouvir, falar e agir como Ele. O Catecismo (1694) ensina: “Incorporados a Cristo pelo Batismo, os cristãos estão mortos para o pecado e vivos para Deus em Cristo Jesus, participando assim da vida do Ressuscitado. Seguindo a Cristo e em união com ele, podem procurar tornarem-se imitadores de Deus como filhos amados e andar no amor, conformando seus pensamentos, palavras e ações aos sentimentos de Cristo Jesus e seguindo seus exemplos”.

Seguir a Cristo Jesus algumas vezes pode ser dolorido, mas podemos ter a certeza também que é um caminho de graça, paz, alegria e vitória.  O Beato João Paulo II disse assim:  “O seguimento não é, por conseguinte, uma viagem fácil por uma estrada plana. Ele pode registar ainda, momentos de desconforto a tal ponto que, numa ocasião “muitos discípulos voltaram para trás e já não andavam mais com Ele” (Jo 6, 66), isto é, com Jesus, que foi obrigado a interpelar os Doze com uma pergunta decisiva: “também vós quereis ir embora”? (Jo 6, 67)

Só há um caminho a seguir se queremos alcançar a vida eterna: o caminho de Jesus. O Beato João Paulo II disse assim sobre a radicalidade desse caminhar com Jesus Cristo: “Mas precisamente esta radicalidade também produziu admiráveis frutos de santidade e de martírio que, ao longo do tempo, confortam o caminho da Igreja. Ainda hoje estas palavras ressoam como escândalo e loucura ( 1 Cor 1, 22-25). E todavia, é com elas que nos devemos confrontar, uma vez que o caminho traçado por Deus para o seu Filho é o mesmo que deve ser percorrido pelo discípulo, decidido a colocar-se no seu seguimento. Não existem dois caminhos, mas um só:  o percorrido pelo Mestre. Ao discípulo não é consentido inventar outro”.

Mas não é só de cruz que vive o cristão, mas também de ressurreição. Após a morte vem a ressurreição. Após a dor vem a alegria. O Cardeal Agostinho Casaroli  também explicou para nós:   “Mas, em que consiste tal Cruz? Primeiro que tudo é necessário um esforço para procurar fugir daquilo que a terminologia cristã chama “o pecado”, ou seja a desobediência à lei moral: a inscrita no coração do homem, aquela que, não sendo respeitada, o homem não é verdadeiramente homem. Esse esforço porém, embora custe sacrifícios, não mata a alegria, não a exclui: pelo contrário, prepara-a e torna-a mais plena, mais estável e segura”.

O caminho de Jesus Cristo é o caminho da cura, do milagre, da libertação, da bênção, da salvação. O caminho de Jesus é alegria. Nele encontramos conforto, paz, consolação, sustento, fé, esperança e amor. Nele encontramos a Eucaristia. O caminho de Jesus é o único que se chega ao Pai. É o caminho que não tem obstáculos, nem pedras; pois nele está o nosso salvador: Jesus Cristo.

A maior alegria do cristão é saber que tem livre acesso ao Reino dos Céus em Jesus Cristo, pelo perdão dos pecados. Por isso a necessidade de seguir Jesus, pois só Ele pode nos levar ao Céu. São Paulo exortou-nos: “Sede contentes e agradecidos ao Pai, que vos fez dignos de participar da herança dos santos na luz. Ele nos arrancou do poder das trevas e nos introduziu no Reino de seu Filho muito amado, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados”.  (Cl 1, 12-14)

Sobre ser discípulo de Cristo também na alegria, São Felipe Néri disse: “Estai alegres, diverti-vos; só não ofendais a Deus, desprezando ou transgredindo a Sua lei de amor. Não esqueçais que sois discípulos de Cristo: encontrai, pelo contrário no “alegre anúncio” que Ele trouxe ao mundo, a vós, uma fonte inexaurível de certezas, de esperanças, de entusiasmos, de coragem e de alegria”.

No versículo 26, Jesus diz: “Que servirá a um homem ganhar o mundo inteiro, se vem a prejudicar a sua vida? – A conquista dos bens terrenos: riqueza, prestígio e privilégios podem nos encher de orgulho e autossuficiência, levando-nos a prescindir de Deus. Isso resulta num grande mal para o nosso coração que fica vazio, triste, insatisfeito e desesperançado. O Papa Bento XVI disse:  “A conquista do sucesso, o desejo do prestígio e a busca da comodidade, quando absorvem totalmente a vida, a ponto de excluir Deus do próprio horizonte, levam verdadeiramente à felicidade? Pode haver uma felicidade autêntica, prescindindo de Deus? A experiência demonstra que não somos felizes porque satisfazemos as expectativas e as exigências materiais.  Na realidade, a única alegria que cumula o coração humano é aquela que provém de Deus: com efeito, temos necessidade da alegria infinita”.

Sabemos que os bens materiais são passageiros, então busquemos os bens espirituais pois eles são eternos. É sabedoria agir assim. São Paulo nos exortou de uma forma bem firme: “Na verdade, julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor. Por ele tudo desprezei e tenho em conta de esterco, a fim de ganhar Cristo e estar com Ele”. (Fl 3, 8-9ª)

“Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai com seus anjos, e então recompensará a cada um segundo suas obras”. (V.27) Quando Jesus Cristo vier no finaL dos tempos nos dará a recompensa por termos seguido o seu  caminho, o caminho da cruz. Podemos citar alguns dos muitos ensinamentos de Cristo e da sua Igreja, nos quais já temos uma noção se somos ou não, merecedores da recompensa final: se obedecemos a Deus e seus mandamentos; se cuidamos dos pequeninos de Deus (os que possuem qualquer tipo de pobreza ou necessidade); se seguimos a Cristo como caminho, verdade e vida; se buscamos na Palavra  de Deus a luz para os nossos passos; se participamos assiduamente dos sacramentos, se oramos em união com os irmãos; se fomos testemunhas de ressurreição tendo como modelo os santos, especialmente Maria Santíssima e tantos outros exemplos de verdadeiro seguimento à cruz de Cristo.

A Palavra do Senhor diz assim sobre a vinda gloriosa de Jesus nos finais dos tempos e o resgate para Si de todos aqueles que renunciaram a todo tipo de tentação dos prazeres desse mundo e seguiram-no pelo caminho da cruz:  “Jesus veio para nos ensinar a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade, na expectativa da nossa esperança feliz, a aparição gloriosa de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo, que se entregou por nós, a fim de nos resgatar de toda a iniquidade, nos purificar e nos constituir seu povo de predileção, zeloso na prática do bem”. ( Tt 2,12-14)

Há aqueles que seguem a Cristo na radicalidade do amor, que são os que consagraram suas vidas a serviço do reino na obediência, na pobreza e na castidade: os sacerdotes, os religiosos e as religiosas e, os leigos consagrados.  O Catecismo (918) diz: “Desde os primórdios da Igreja existiram homens e mulheres que se propuseram, pela prática dos conselhos evangélicos, seguir a Cristo com maior liberdade e imitá-lo mais de perto, e levaram cada qual a seu modo, uma vida consagrada a Deus. Dentre eles, muitos, por inspiração do Espírito Santo, ou passaram a vida na solidão ou fundaram famílias religiosas, que a Igreja, de boa vontade, recebeu e aprovou com sua autoridade.”

O que os santos da Igreja disseram sobre tomar a cruz e seguir Jesus:

São Francisco de Assis: “Os que não sabem do Crucificado não sabem nada do Ressuscitado. Os que não falam do Crucificado também não podem falar do Ressuscitado. Os que não passam pela sexta-feira da Paixão nunca vão chegar ao domingo da Ressurreição”.

Santo Agostinho: “Sê constante, paciente, sofre as demoras e terás enfrentado a cruz”.

Santa Teresinha do Menino Jesus: “O próprio sofrimento passa a ser a maior das alegrias, quando é buscado como o mais precioso dos tesouros.”

 São Francisco de Sales: “Não sabemos de que maneira foi a cruz de Cristo, por isso, amemos todas as cruzes que aparecem”.

Santa Teresa d’Àvila: “Quem procura a perfeição deve evitar dizer: fizeram-me isto sem razão. Se queres carregar a cruz, mas somente aquela que se apoia na razão, a santidade não é para ti”.

Oremos:

Com o Círculo Bíblico- Ó Deus do universo, reunidos em vosso nome, refletimos e rezamos como irmãos e irmãs. Vossa Palavra é exigente; para seguir vosso Filho, Jesus, ela nos diz que devemos renunciar a tudo o que não condiz com seu projeto e tomar a cruz de cada dia. Ajudai-nos a ser fortes diante das exigências e das dificuldades para não esmorecermos no caminho. Por Cristo, nosso Senhor.

Maria Santíssima, vós que seguistes em tudo a seu Filho Jesus Cristo, interceda por nós a Ele para que nos dê forças para segui-lo em todas as circunstâncias de nossas vidas. Amém.

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

25 de agosto de 2011 at 1:02 Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 337 outros seguidores

Categorias