O QUARTO MANDAMENTO DA LEI DE DEUS: HONRAR PAI E MÃE

27 de novembro de 2010 at 8:53 Deixe um comentário

 

“Em seguida , desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso.”( Lc 2, 51)

O Senhor diz na sua Palavra que é necessário que nos submetamos às autoridades desse mundo: “Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus”. (Rm  13, 1)

O Catecismo da Igreja ensina que o quarto Mandamento da Lei de Deus é bem abrangente: “O quarto mandamento dirige-se expressamente aos filhos em suas relações com seu pai e sua mãe, porque esta relação é a mais universal. Diz respeito também as relações de parentesco com os membros do grupo familiar. Manda prestar honra, afeição e reconhecimento aos avós e aos antepassados. Estende-se, enfim, aos deveres dos alunos para com seu professor, dos empregados para com seus patrões, dos subordinados para com seus chefes, dos cidadãos para com sua pátria e para com os que a governam.” Respeitar a autoridade é um ensinamento que deve acontecer em casa, no seio da família. Filhos que não respeitam à autoridade dos pais, provavelmente terão dificuldades em respeitar e obedecer às orientações de seus superiores no trabalho, à hierarquia da Igreja, aos professores e às autoridades governamentais.

Muitos dos fatos policiais que nos deixam chocados hoje, como crimes entre pais e filhos, podem ser consequências do desrespeito a este Mandamento.  A palavra de Deus diz assim: ‘ O Senhor glorificou o pai nos filhos e fortaleceu a autoridade da mãe sobre a prole. Aquele que respeita o pai obtém o perdão dos pecados, o que honra a sua mãe é como quem junta um tesouro, Aquele que respeita o pai encontrará alegria nos filhos e no dia de sua oração será atendido. Aquele que honra o pai viverá muito; quem lhe obedece dará consolo à sua mãe. “ ( Eclo 3, 2-7) Respeitar  e obedecer aos pais é um Mandamento divino e que têm sua preciosa finalidade e sabedoria contida nele.

 Os pais tem a educação dos filhos em suas mãos: missão esta dada por Deus aos pais. Precisamos como pais, mesmo que os filhos estejam na fase adulta, continuar orientando- os, se assim necessitarem. O catecismo nos recorda que “a obediência aos pais cessa com a emancipação dos filhos, mas de modo algum o respeito, lhes é sempre devido, pois tem a sua raiz no temor de Deus, um dos dons do Espírito Santo.”( 2217) E o catecismo ainda ensina que os filhos adultos devem se responsabilizar pelos seus pais, todo o tempo, cuidando e amparando-os na velhice e na doença, principalmente.

  Os filhos não são do mundo, mas de Deus. Um dia, no final de sua vida terrena, eles desejarão entrar no Reino dos Céus e precisam estar preparados.  A criação que damos a nossos filhos deve focar essa verdade. A felicidade que buscamos tanto e, que queremos que nossos filhos também usufruam, não deve abranger somente o tempo presente, que é passageiro, mas a vida eterna.

Os pais cristãos e os demais pais devem fazer uso da autoridade que Deus lhes deu para educar; corrigir com justiça e amor sem agressão física, moral ou psicológica os filhos; e, ensinar-lhes os verdadeiros valores morais e religiosos, pois a soma desses valores nos indivíduo, ajudam a construir a harmonia e a paz mundial.

Há um limite para a autoridade paterna e materna. Os pais, o quanto for possível, não devem entristecer seus filhos; nem constrangê-los diante de outras pessoas; nem dar testemunhos ruins que atrapalhem sua educação; ou agir sem coerência e firmeza, facilitando assim atitudes de desrespeito dos filhos para com eles.

Os filhos devem prestar obediência a seus pais e respeitá-los sempre. Esse Mandamento  é  lembrado por Jesus no Evangelho de São marcos, capítulo 7, versículos de 10 a 12. Também  por São Paulo que  faz um alerta aos filhos: “Filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor, porque isto é justo.”  ( Ef  6, 1) E  Deus faz uma grande promessa de amor aos filhos que obedecem a este mandamento: “ Honra teu pai e tua mãe, para que sejas feliz e tenhas longa vida sobre a terra. “ (Ef 6, 2-3)

 A família terrena deve buscar na família divina, o Pai, o Filho e o Espírito Santo a sua fonte de inspiração, ensinamento e fé para crescer na graça, na esperança e no amor de Cristo. Devemos tomar como exemplo a Família de Nazaré: Jesus, Maria Santíssima e São José.

Citando o Catecismo novamente, o número 2215 fala assim sobre o Quarto Mandamento: “O respeito pelos pais (piedade filial) é produto do reconhecimento para com aqueles que, pelo dom da vida, por seu amor e por seu trabalho puseram seus filhos no mundo e permitiram que crescessem em estatura, em sabedoria e graça. “ Honra teu pai de todo o coração e não esqueças as dores de tua mãe. Lembra-te que foste gerado por eles. O que lhes darás pelo que te deram?”( Eclo 7, 27-28) O grande exemplo nos deu Jesus de Nazaré, que sendo Deus, obedecia e estava sujeito a sua Mãe, a Virgem, e a São José. ( Lc 2, 51) E essa obediência de Jesus chegou ao extremo na sua relação de amor com o Pai do Céu.  A Palavra  nos lembra  que Jesus foi  obediente ao Pai “até à morte, e morte de cruz” ( Fl 2, 8) Jesus também deu a sua própria Mãe para ser a Mãe de toda humanidade, exaltando mais uma vez a maternidade da Virgem Maria.( Jo 19, 26-27)

 Os pais têm uma significativa influência religiosa na vida dos filhos. O Papa Bento XVI resume assim a importância da família como a primeira Igreja Doméstica. “A família é fundamental porque ali desabrocha na alma humana e a primeira percepção do sentido da vida. Desabrocha na relação com a mãe e o pai, os quais não são patrões da vida dos filhos, mas sim os primeiros colaboradores de Deus para a transmissão da vida e da fé”.

A relação de amor entre pais e filhos terrenos  foi sempre uma preocupação de Deus, pois nela se vislumbra  a relação plena do amor entre nós, filhos, e o Pai do Céu.  O anjo diz a Zacarias, que João Batista tem a missão de reconduzir “ os corações dos pais aos filhos.” ( Lc 1, 17) Em confirmação com o que diz o livro de Malaquias 3, 24: “ …e ele converterá o coração dos pais para os filhos, e o coração dos filhos para os pais…” Quem obedece e respeita pai e mãe está no caminho da conversão: o caminho de Jesus.

Oração

Ó Pai de amor, queremos ser obedientes a ti como seu Filho Jesus o foi e nos deu com isso, tão grande exemplo.  Cura-nos de todas as feridas que temos com nossos pais terrenos, para que esse relacionamento se transforme em relacionamento de amor, obediência, respeito e gratidão.

 Dai-nos, ó Pai, o dom do perdão para que possamos nos reconciliar com nossos pais e, assim poder amá-los como o Senhor nos pede que o façamos.

Ó Pai do Céu, não nos deixe ser filhos ingratos . Nós te amamos ó Pai!

Ó Jesus amado, dá-nos o teu Espírito Santo, para que possamos cumprir amorosamente o mandato do Senhor, que é honrar nosso pai e nossa mãe, como tu mesmo honrastes os teus: São José e Maria Santíssima.

Ó Mãe de Jesus e nossa Mãe, interceda a seu Filho Jesus pelas relações de pais e filhos aqui na terra, que andam com tantos e tão graves conflitos nesses tempos difíceis.

Jane Amábile- Com. Divino Espírito Santo

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Preparai o Caminho do Senhor Símbolos do Advento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 319 outros seguidores

Categorias


%d blogueiros gostam disto: