A CONVERSÃO

23 de junho de 2010 at 11:47

A  conversão é um processo que se  inicia no nosso Batismo, com o derramamento da Água Viva (o Espírito Santo). Somos mergulhados  na morte de Cristo, por causa do nosso pecado e ressuscitamos com Ele para uma vida nova, uma vida de graça.  E o processo de conversão continua acontecendo durante toda a  vida e só termina no momento da nossa morte.

Infelizmente  no decorrer de nossa existência, nos afastamos de Deus, pois fazemos escolhas que nos levam em direção ao mal ( pecado ). Então é preciso que retornemos a Deus, urgentemente, pois a alma sem Ele não vive em paz. Fica um vazio interior tão grande, que nada, nem ninguém consegue preencher. Por isso somos tão enfermos e precisamos que Deus nos cure todo o tempo, para encontrar o caminho de volta para Ele. E o Catecismo ( 1502 ) confirma o que está na Palavra que ” a doença, de uma forma misteriosa, está ligada ao pecado e ao mal, e que a fidelidade a Deus e aos seus mandamentos dá a vida.” A nossa alma em pecado está no túmulo ( morte), mas com o arrependimento e o  perdão de Deus  ela ressuscita e retorna à vida.

A conversão é uma ruptura com o pecado, uma aversão ao mal e repugnância às  más obras de que cometemos. É o desejo de mudar de vida, de retornar a Deus. É viver a vida no espírito e não na carne. São Paulo diz em Romanos 8, 6: ” Ora, a aspiração da carne é a morte, enquanto a aspiração do espírito é  a vida e a paz.”

  Converter-se é renunciar ao homem velho e revestir-se do homem novo “criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.” ( Ef 4, 24 ). Renunciar ao pecado ( vida velha), muitas vezes exige esforço que nos trazem sofrimento, mas é preciso passar pela renúncia porque ” se o grão de trigo, caído na terra, não morrer fica só; se morrer, produz muito fruto.” ( Jo 12,24 ) É dolorido, mas é dessa forma  que chegaremos ao homem novo. E com essa  roupagem nova seremos testemunho de fé  para que muitos de nossos irmãos voltem para Deus.

 Diz S. João Batista: ” Fazei, pois, uma conversão realmente frutuosa…” ( Lc 3, 8 ) Precisamos buscar a Deus diariamente, seja na Palavra, na Eucaristia ou na oração, para que não vacilemos e continuemos nossa caminhada de conversão dando frutos bons.

Santo Agostinho diz que” o pecado é o amor de si mesmo até o desprezo de Deus.” O pecado é uma ofensa a Deus, ataca em nós a caridade e exige uma nova iniciativa da misericórdia de Deus e uma conversão do nosso  coração.( Cic) Além do pecado Mortal, que é o mais grave, há também os Veniais, os Capitais, os contra a Igreja, e muitos outros citados por Jesus nos Evangelhos e também por seus discípulos em suas cartas. Jesus nos exorta que a porta do céu é estreita, e que muitos tentarão passar por ela e não conseguirão. Isto só acontecerá conosco se relaxarmos na fé e na obediência à Palavra de Deus, porque  é por ela que seremos julgados.

 E o julgamento de Deus é reto e sua justiça é perfeita. Ele não vai privilegiar ninguém, pois não faz acepção de pessoas. Deus ama a todos igualmente.

Ele quer que todos se convertam e se salvem.Por isso é o Pai  que atrai todos nós a  seu Filho Jesus, o Salvador da humanidade e, o Espírito Santo nos faz experimentar esse amor ( do Pai e do Filho) que nos cura, liberta e salva. É a Santíssima Trindade que no seu amor inigualável age em nós, por nós e conosco.

Há muitos momentos de conversão narrados na Bíblia, mas podemos destacar:

– a de Zaqueu- Lc 19,1-10

– a da mulher adúltera- Jo 8, 1-11

– a parábola do filho pródigo- Lc 15, 11-32

– a conversão de Saulo-  At 9, 1-9

A conversão só acontece enquanto estivermos nesse mundo, por isso precisamos nos apressar e voltar logo pra Deus: ” Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora” ( Mt 25, 13) que o Senhor virá nos buscar. Se não nos arrependermos a tempo, o pecado mortal nos levará ao inferno por toda a eternidade.

O Senhor não predestina ninguém para o inferno; para que isso aconteça é preciso uma aversão voluntária ao Senhor ( pecado mortal- desrespeito aos Dez  Mandamentos ) , e persistir nela até o fim. Ele ” não quer que alguém pereça; ao contrário, quer que todos se arrependam.” ( 2 Pd 3, 9 ) O arrependimento não é algo imposto, mas sim um ato voluntário de cada um. Deus nos dá a liberdade de escolher o que queremos: o caminho do bem ou o caminho do mal. 

Mas mesmo assim Ele põe as coisas do Reino a nossa disposição para que possamos ter força para  nos arrepender, abandonar a vida de pecado e voltar para Ele. E mais: deu a maior prova de  seu amor por nós, enviando seu próprio Filho Jesus Cristo, para nos redimir de nossos pecados e nos tornar aptos a entrar no Reino dos Céus. Porque Deus nos quer junto d’Ele.

Para ajudar na caminhada de salvação, o Senhor nos dá:

– a sua Palavra, que tem os ensinamentos que precisamos para buscar a vida de santidade: “Fazei penitência e crede no Evangelho” ( Mc 1,15). 

– a sua Igreja que é fonte de salvação: O Prefácio da Missa resume bem o papel da Igreja em comunhão com a missão salvadora de Jesus: ” Elevado na cruz, entregou-se por nós com imenso amor. E, de seu lado aberto pela lança, fez jorrar, com a água e o sangue, os sacramentos da Igreja, para que todos atraídos ao seu coração,pudessem beber, com perene alegria, na fonte salvadora.” 

– os nossos pastores ( Papa, Bispo, Padres, Diáconos…), que orientam sobre a maneira correta de viver a fé, a esperança e a caridade; e que nos dá a interpretação correta da Bíblia.

– os  Anjos que cooperam conosco para não nos desviarmos do caminho da salvação: ” Não são todos os Anjos espíritos a serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a salvação?” ( Hb 1, 14 )

– a oração de  intercessão de Nossa Senhora e dos santos do céu: ” Eu vos digo, assim haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão” ( Lc 15, 6 ) .

– os sacramentos, sinais da presença de Deus em nosso meio e em nós.

Crer que Jesus é  o Filho de Deus, que morreu na cruz para nos salvar, é o primeiro passo para a nossa conversão. E é o Espírito Santo quem vai trazer essa verdade ao nosso coração. É só recorrer a Ele: Vem, Espírito Santo!.

A Palavra de Deus é muito clara quando diz que  Jesus é a porta por onde as ovelhas devem passar e que Ele é o único caminho pra se chegar ao Pai. Quando colocamos Jesus como o único Senhor de nossas vidas, aí estamos realmente nos convertendo.

 Ó Bom Pastor, ajuda-nos nessa caminhada  tão difícil rumo ao céu. Não nos deixe afastar de sua presença. Converta também nossa família, Senhor. Que não fique ninguém fora de seu redil! 

Ó Pai,  pela sua bondade e misericórdia, continue nos dando força e perseverança para lutar contra o pecado. Dai -nos o dom de orar pela nossa conversão e de nossos irmãos. Ensina-nos, Senhor, a vigiar os nossos passos para que não caiamos em tentação. Livra-nos do mal!

Dai-me, Senhor, o dom do arrependimento e o desejo de buscar frequentemente o Sacramento da Confissão com o coração contrito e humilhado, por vos ter ofendido tantas vezes, Senhor, com o meu pecado!  Amém!

Jane Amábile – Com. Divino Esp. Santo.

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

A ALEGRIA: FRUTO DO ESPÍRITO SANTO A CONSOLAÇÃO DE DEUS


Arquivos

ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 373

Categorias


%d blogueiros gostam disto: