Posts tagged ‘Eucaristia’

Solenidade de Corpus Christi desenho

6 de agosto de 2014 at 10:48 Deixe um comentário

Eucaristia – Homilia do Papa Francisco

 

Na Eucaristia comunica-se o amor do Senhor por nós: um amor tão grandioso que nos nutre com Ele mesmo; um Amor gratuito, sempre à disposição de cada pessoa faminta e necessitada de regenerar as próprias forças. Viver a experiência da fé significa deixar-se alimentar pelo Senhor e construir a própria existência não sobre os bens materiais, mas sobre a realidade que não perece; os dons de Deus, a sua Palavra e o seu Corpo.

Se olharmos ao nosso redor, damo-nos conta de que existem muitas ofertas de alimento que não derivam do Senhor e que aparentemente satisfazem em maior medida. Alguns nutrem-se de dinheiro, outros de sucesso e de vaidade, outros ainda de poder e de orgulho. Mas o único alimento que nos nutre verdadeiramente e que nos sacia é aquele que o Senhor nos concede! O alimento que o Senhor nos oferece é diferente dos demais, e talvez não nos pareça tão saboroso como determinadas comidas que o mundo nos oferece. Então, sonhamos outras refeições, como os hebreus no deserto, que tinham saudades da carne e das cebolas que comiam quando estavam no Egito, esquecendo-se contudo que comiam aqueles pratos na mesa da escravidão. Naqueles momentos de tentação, eles recuperavam a memória, mas uma memória doentia, uma memória seletiva. Uma memória escrava, não livre.

Hoje, cada um de nós pode perguntar-se: e eu? Onde quero comer? De que mesa me desejo alimentar? Na mesa do Senhor? Ou então sonho em comer alimentos saborosos, mas na escravidão? Além disso, cada um de nós pode interrogar-se: qual é a minha memória? A do Senhor que me salva, ou a do alho e das cebolas da escravidão? Com que memória sacio a minha alma?

O Pai diz-nos: «Dei-te por alimento o maná, que tu não conhecias». Recuperemos a memória! Eis a tarefa, recuperar a memória. E aprendamos a reconhecer o pão falso que ilude e corrompe, porque é fruto do egoísmo, da auto suficiência e do pecado.

Daqui a pouco, durante a procissão, seguiremos Jesus realmente presente na Eucaristia. A Hóstia é o nosso maná, mediante o qual o Senhor se nos oferece a Si mesmo. Dirijamo-nos a Ele com confiança: Jesus, defendei-nos das tentações do alimento mundano que nos torna escravos, do alimento envenenado; purificai a nossa memória, a fim de que não permaneça prisioneira na seletividade egoísta e mundana, mas seja memória viva da vossa presença ao longo da história do vosso povo, memória que se faz «memorial» do vosso gesto de amor redentor. Assim seja!

 

 

 

17 de julho de 2014 at 8:11 Deixe um comentário

Eucaristia – Homilia do Papa Francisco – para os irmãos de língua inglesa

The Eucharist communicates the Lord’s love for us: a love so great that it nourishes us with Himself; a freely given love, always available to every person who hungers and needs to regenerate his own strength. To live the experience of faith means to allow oneself to be nourished by the Lord and to build one’s own existence not with material goods but with the reality that does not perish: the gifts of God, his Word and his Body.

If we look around, we realize that there are so many offers of food which do not come from the Lord and which appear to be more satisfying. Some nourish themselves with money, others with success and vanity, others with power and pride. But the food that truly nourishes and satiates us is only that which the Lord gives us! The food the Lord offers us is different from other food, and perhaps it doesn’t seem as flavourful to us as certain other dishes the world offers us. So we dream of other dishes, like the Hebrews in the desert, who longed for the meat and onions they ate in Egypt, but forgot that they had eaten those meals at the table of slavery. In those moments of temptation, they had a memory, but a sick memory, a selective memory. A slave memory, not a free one.

We, today, may ask ourselves: what about me? Where do I want to eat? At which table to I want to be nourished? At the Lord’s table? Or do I dream about eating flavourful foods, but in slavery? Moreover, we may ask ourselves: what do I recall? The Lord who saves me, or the garlic and onions of slavery? Which recollection satiates my soul?

The Father tells us: “I fed you with manna, which you did not know”. Let us recover this memory. This is the task, to recover that memory. And let us learn to recognize the false bread that deceives and corrupts, because it comes from selfishness, from self-reliance and from sin.

Soon, in the procession, we will follow Jesus truly present in the Eucharist. The Host is our manna, through which the Lord gives himself to us. We turn to Him with faith: Jesus, defend us from the temptation of worldly food which enslaves us, tainted food; purify our memory, so it isn’t imprisoned in selfish and worldly selectivity, but that it may be a living memory of your presence throughout the history of your people, a memory that makes a “monument” of your gesture of redeeming love. Amen.

17 de julho de 2014 at 8:11 Deixe um comentário

Vamos Adorar a Deus!

salmo 3

17 de julho de 2014 at 8:04 Deixe um comentário

Corpo Santo – Fátima Souza


Favor clicar abaixo e â direita para assistir no Youtube.

19 de junho de 2014 at 5:50 Deixe um comentário

Papa Emérito Bento XVI, Santa Missa na Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, 23 de Junho de 2011

Santo Agostinho ajuda-nos a compreender a dinâmica da comunhão eucarística, quando faz referência a uma espécie de visão que teve, na qual Jesus lhe disse: «Eu sou o alimento dos fortes. Cresce e receber-me-ás. Tu não me transformarás em ti, como o alimento do corpo, mas és tu que serás transformado em mim» (Confissões VII, 10, 18).

Portanto, enquanto o alimento corporal é assimilado pelo nosso organismo e contribui para o seu sustento, no caso da Eucaristia trata-se de um Pão diferente: não somos nós que o assimilamos, mas é ele que nos assimila a si, de tal modo que nos tornamos conformes com Jesus Cristo, membros do seu corpo, um só com Ele. Esta passagem é decisiva. Com efeito, precisamente porque é Cristo que, na comunhão eucarística, nos transforma em si, neste encontro a nossa individualidade é aberta, libertada do seu egocentrismo e inserida na Pessoa de Jesus, que por sua vez está imersa na comunhão trinitária. Assim a Eucaristia, enquanto nos une a Cristo, abre-nos também aos outros, tornando-nos membros uns dos outros: já não estamos divididos, mas somos um só nele. A comunhão eucarística une-me à pessoa que está ao meu lado e com a qual, talvez, eu nem sequer tenho um bom relacionamento, mas também aos irmãos distantes, em todas as regiões do mundo. [...]

Não há nada de mágico no Cristianismo. Não existem atalhos, mas tudo passa através da lógica humilde e paciente do grão de trigo que se abre para dar dar vida, a lógica da fé que move as montanhas com a força mansa de Deus. Por isso, Deus quer continuar a renovar a humanidade, a história e o cosmos através desta cadeia de transformações, cujo sacramento é a Eucaristia. [...]

Sem ilusões, sem utopias ideológicas, nós caminhos pelas veredas do mundo, trazendo dentro de nós o Corpo do Senhor, como a Virgem Maria no mistério da Visitação. Com a humildade de saber que somos simples grãos de trigo, conservemos a certeza firme de que o amor de Deus, encarnado em Cristo, é mais forte que o mal, a violência e a morte. Sabemos que Deus prepara para todos os homens céus novos e uma nova terra, onde reinam a paz e a justiça — e na fé entrevemos o mundo novo, que é a nossa verdadeira pátria.

19 de junho de 2014 at 5:32 Deixe um comentário

O Papa na audiência geral: é muito importante ir à Missa ao Domingo; a Eucaristia é salvação

 

2014-02-05 Rádio Vaticana

Roma acordou com frio e chuva nesta quarta-feira para a audiência geral na Praça de São Pedro na qual o Papa Francisco desenvolveu uma catequese sobre a Eucaristia: “A Eucaristia coloca-se no coração da iniciação cristã, juntamente com o Batismo e a Confirmação e constitui a fonte da própria vida da Igreja. Deste Sacramento do amor parte cada autêntico caminho de fé, de comunhão e de testemunho”. Segundo o Papa Francisco, na Igreja todo o caminho autêntico de fé, comunhão e testemunho parte do sacramento da Eucaristia. A palavra “Eucaristia” significa agradecimento – continuou o Santo Padre – porque, nela, está presente e perdura o gesto mais sublime de ação de graças que alguma vez se elevou da humanidade ao Pai pela sua misericórdia e o seu amor. “Palavra e Pão na Missa, tornam-se num só, como na Última Ceia, quando todas as palavras de Jesus, todos os sinais que tinha feito, condensaram-se no gesto de partir o pão e oferecer o cálice, antecipação do sacrifício da cruz com aquelas palavras «Tomai e comei: Isto é o meu corpo (…). Tomai e bebei: Este é o cálice do meu sangue”. Com aquele gesto – continuou o Papa Francisco – o Senhor Jesus derrama sobre nós toda a sua misericórdia e o seu amor e, deste modo, renova o nosso coração, a nossa vida e o nosso modo de nos relacionarmos com Ele e com os irmãos. “Assim, a celebração eucarística é bem mais que um simples banquete: é o memorial da Páscoa de Jesus, o mistério central da salvação. Memorial não significa só recordação, mas quer dizer que cada vez que celebramos este sacramento participamos no mistério da paixão, morte e ressurreição de Cristo”. Por isso, quando nos abeiramos deste sacramento – continuou o Papa Francisco – é costume dizer-se que vamos «receber a Comunhão»: na verdade, pela graça e virtude do Espírito Santo, esta participação na Mesa Eucarística configura-nos de forma tão profunda com Cristo que nos faz saborear desde já aquela comunhão plena com o Pai que se vive no banquete do Céu. O Papa Francisco no final da sua catequese convidou todos os cristãos a participarem na missa dominical não só para rezar mas também para receber a comunhão, este pão que é o Corpo de Jesus Cristo. Afirmou ainda que todas as crianças devem fazer a comunhão e prepararem-se bem para esse sacramento. No final da audiência o Santo Padre saudou também os peregrinos de língua portuguesa: “Saúdo cordialmente os peregrinos de língua portuguesa, desejando-vos que cresçais sempre mais no amor e na adoração da Eucaristia, para que este Sacramento possa continuar a plasmar as vossas comunidades na caridade e na comunhão, segundo o coração do Pai. De bom grado vos abençoo a vós e aos vossos entes queridos!” Durante as saudações em língua italiana o Papa Francisco, invocando as virtudes heróicas de Santa Ágata, virgem e mártir, dirigiu-se aos jovens, exortando-os a compreenderem a importância da pureza e da virgindade; aos doentes encorajando-os a aceitarem a cruz em união espiritual com o coração de Cristo e ainda aos jovens noivos para que compreendam cada vez melhor o papel da mulher na vida familiar. O Papa Francisco a todos deu a sua bênção! (RS)

 

5 de fevereiro de 2014 at 10:03 Deixe um comentário

Posts mais antigos


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 104 outros seguidores

Categorias


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 104 outros seguidores