Solenidade da Assunção de Nossa Senhora – Evangelho da Missa do dia 19 de Agosto de 2012 – São Lucas 1, 39-56

14 de agosto de 2012 at 10:31 Deixe um comentário

 

39. Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. 40. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. 41. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. 43. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? 44. Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio. 45. Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas! 46. E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, 47. meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, 48. porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, 49. porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. 50. Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem. 51. Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos. 52. Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes. 53. Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos. 54. Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia, 55. conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre. 56. Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois voltou para casa.

Reflexão dos versículos 39 a 45:

A Visita de Maria à sua prima Isabel

Maria é exemplo de serviço e doação

Maria caminha apressada em direção à casa de Isabel e Zacarias. Mesmo grávida de Jesus, Nossa Senhora vai atender às necessidades de Isabel, que vai ter um filho. Maria nos ensina que servir é: estar em movimento; ir ao encontro do outro; cansar-se e desgastar-se pelo outro.

O Papa Bento XVI disse: “Parece-me importante ressaltar a expressão «às pressas»: as coisas de Deus merecem pressa, aliás, as únicas coisas do mundo que merecem pressa são precisamente aquelas de Deus, que têm a mesma urgência para a nossa vida”.

O Cardeal Tarcísio Bertone disse assim: “Se o amor não se torna fadiga, se não te incomoda, se não te preocupa, se não te fizer conhecer qualquer privação, talvez não seja verdadeiro amor”. Quantos irmãos precisam de uma simples visita nossa, para não se desesperarem nas situações difíceis em que se encontram…

A casa de Isabel e Zacarias

O Beato João Paulo II explicou: “Maria atravessa a soleira da casa de uma família que lhe está muito próxima por espírito e parentesco. E já na entrada recebe a saudação de Isabel que lhe exalta a fé: “Feliz de ti que acreditaste”. (Lc 1, 45) E saúda Maria com as mesmas palavras com que todos nós a saudamos constantemente, quando recitamos a “Ave Maria”.

“Bendita és tu entre as mulheres”

A Bíblia está repleta de testemunhos de mulheres cheias de fé em Deus.  Podemos destacar algumas dessas mulheres: Judite (Jt  8,1-4); Ester ( Est 2,5-7); a profetiza Ana ( Lc  2,36-38); Maria Madalena; a própria Isabel, mãe de João Batista e muitas outras. A Igreja é também sustentada pelo exemplo de muitas santas mulheres, como: Santa Teresinha do Menino Jesus; Santa Rita de Cássia, a Beata Madre Teresa de Calcutá … Mas a “bendita entre todas as mulheres” com certeza é  Maria Santíssima que nasceu Imaculada e gerou em seu ventre, por obra do Espírito Santo, Jesus Cristo o Filho de Deus, salvador da humanidade.

 O Papa Bento XVI explicou que “a Virgem Maria com a sua fé e a sua obra materna, colaborou de modo único para a nossa Redenção, tanto que Isabel pôde proclamá-la “bendita és tu entre as mulheres” (Lc 1, 42)”.

Bendito é o fruto do teu ventre, Jesus

O Papa Bento XVI disse assim: “Imaginemos o estado de espírito da Virgem, a seguir à Anunciação, quando o Anjo a deixou. Maria encontrou-se com um grandioso mistério encerrado no seu ventre. Ela sabia que tinha acontecido algo de extraordinariamente singular; dava-se conta de que tinha finalizado o último capítulo da história da salvação do mundo”.

Maria Santíssima é mãe de Jesus e também nossa mãe

Quando ouviu a saudação de Maria, Isabel ficou cheia do Espírito Santo e dentre as palavras ditas por ela e que ressoam até hoje em nossos corações são: “Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor”?

O Papa Leão XIII disse: “Assim Maria, pelo fato de haver sido escolhida como Mãe de Jesus, nosso Senhor – que é ao mesmo tempo nosso irmão – teve, entre todas as mães, a singular missão de manifestar e de derramar sobre nós a sua misericórdia”.

 E o Catecismo (968) ensina: “De modo inteiramente singular, pela obediência, fé, esperança e ardente caridade, ela cooperou na obra do Salvador para a restauração da vida sobrenatural das almas. Por este motivo ela se tornou para nós mãe na ordem da graça”.

A Palavra diz: “Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena. Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho.  Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa”. (Jo 19, 25-27) 

A saudação de Maria enche de alegria ao filho de Isabel (João Batista), que estava em seu ventre

 O Papa Bento XVI ensinou: “Como não observar que, no encontro entre a jovem Maria e a já idosa Isabel, o protagonista escondido é Jesus? Maria leva-o no seu seio como um tabernáculo sagrado e oferece-o como o dom maior a Zacarias, à sua esposa Isabel e também ao menino que se está a desenvolver no seu seio. Onde Maria chega está presente Jesus. Quem abre o seu coração à Mãe encontra e acolhe o Filho e é repleto da sua alegria”.

A palavra diz que o Senhor veio para nos dar “um diadema em vez de cinzas, o óleo da alegria em vez de vestidos de luto, cânticos de glória em lugar de desespero”. (Is 61,3)

O Papa Bento XVI falou: “Maria foi imediatamente transmitir a sua alegria à prima Isabel. E desde que foi elevada ao Céu, distribui alegrias pelo mundo inteiro, tornando-se a grande Consoladora; a nossa Mãe, que transmite alegria, confiança e bondade, e que nos convida também a anunciar a alegria.” Como reza a “ladainha”: Maria causa da nossa alegria, rogai por nós!

A fé inabalável de Nossa Senhora

O Beato João Paulo II explicou: “Ao receber a mensagem do futuro nascimento do filho, Zacarias teve dificuldade em crer, julgando o fato irrealizável porque, tanto ele como a sua esposa, eram de idade avançada”.  Mas Maria acreditou, mesmo sem entender o tamanho da responsabilidade e do envolvimento do seu Sim. Creu em Deus a despeito de qualquer situação. Isabel sob a inspiração do Espírito de Deus profetizou: “Bem aventurada és tu que creste…”

 O Catecismo (967) diz: “Por sua adesão total à vontade do Pai, à obra redentora de seu Filho, a cada moção do Espírito Santo, a Virgem Maria é para a Igreja o modelo da fé e da caridade”.

Reflexão dos versículos 46 a 56:

O Canto do Magnificat

E Maria disse:

 Minha alma engrandece ao Senhor  (v.46) – o Papa Bento XVI disse: “Maria “proclama grande” o Senhor. Maria deseja que Deus seja grande no mundo, seja grande na sua vida, esteja presente entre todos nós. Não teme que Deus possa ser um “concorrente” na nossa vida, que nos possa tirar algo da nossa liberdade, do nosso espaço vital com a sua grandeza. Ela sabe que, se Deus é grande, também nós somos grandes. A nossa vida não é oprimida, mas elevada e alargada”.

 Meu espírito exulta de alegria em Deus, meu salvador (v.47) – Um coração que exulta de alegria como o de Maria, é um coração cheio de fé e esperança no Deus que salva, que redime. O anjo do senhor disse aos pastores em Belém: ”Não temais, eis que vos anuncio uma boa- nova que será alegria para todo o povo: hoje vos nasceu na Cidade de Davi um Salvador, que é o Cristo Senhor.”

Porque olhou para sua pobre serva. Por isso, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações (v.48) – Santo Afonso de Ligório fez essa oração para Maria Santíssima: “Ó Virgem Imaculada e santa, ó criatura a mais humilde e a mais excelsa diante de Deus. Foste tão pequena aos vossos olhos, porém tão grande aos olhos do Senhor, que ele vos exaltou a ponto de escolher para sua Mãe e fazer-vos depois Rainha do céu e da terra.”  Deus olhou para Maria e a escolheu. O olhar de Deus sobre Maria tornou-a  bem-aventurada em todas as gerações. A Palavra diz: ”Os olhos  do Senhor estão voltados para aqueles que o temem”. (Eclo 34, 19)

Porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo (v. 49) – Maria é totalmente de Deus, por isso o Senhor pôde realizar nela e por ela uma obra maravilhosa ao nosso favor. Ela ofertou todo o seu ser a Deus por nós, pobres pecadores, que suspiramos e gememos nesse vale de lágrimas. Deus realiza maravilhas em nossa vida, como fez com Maria, porque é poderoso e santo em tudo o que faz: “A quem poderíeis comparar-me, que possa ser a mim igualado? – diz o Santo. Levantai os olhos para o céu e olhai. Quem criou todos esses astros?” ( Is 40, 25-26)

Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem (v.50) – Deus é infinito em seu amor e misericórdia e quer que todos os seus filhos fiquem livres do mal e se salvem: os que já viveram antes de nós, os que vivem conosco e os que virão depois de nós. Deus está presente em nosso meio e não nos abandonará jamais: estará sempre conosco: “todos os dias, até o fim do mundo.” ( Mt 28,20)

Manifestou o poder do seu braço; desconsertou os corações dos soberbos (v.51) A Palavra diz: “Cantai ao Senhor um cântico novo, porque Ele operou maravilhas. Sua mão e seu santo braço lhe deram a vitória.”( Sl 97,1). O braço de Deus opera maravilhas e dá vitória a quem a Ele recorre. Com o sim de Maria, Deus desconcertou os corações dos soberbos e orgulhosos. Pelo “sim” da humilde Virgem de Nazaré, o Verbo se fez carne e habitou entre nós.

Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes (v.52). Pela humildade e pureza de Maria, Deus exaltou-a grandemente. São Bernardo orou desta forma: “Senhora, como pudestes unir no vosso coração conceito de vós mesma tão humilde, com tanta pureza, com tanta inocência e tanta plenitude de graça, como possuís?  Oh! Quantos soberbos, com a devoção de Maria, acharam a humildade; quantos coléricos, a mansidão; quantos cegos, a luz, quantos desesperados, a confiança; quantos transviados, a salvação!”

Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos ( v. 53) A Palavra diz que Deus” dessedentou a garganta sequiosa, e cumulou de bens a que tinha fome.” (Sl 106, 9) O apego aos bens materiais nos impedem de receber o verdadeiro bem: o bem espiritual. Os humildes e os indigentes, assim como todos aqueles que temem a Deus, experimentam a sua misericórdia e o seu amor redentor, que é a maior riqueza que se poderia almejar. Na condição humilde e pobre de Maria, o Senhor deu a maior riqueza que a humanidade poderia almejar: o salvador Jesus.

Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia (v.54) Deus é infinitamente misericordioso, pois deu o seu filho único Jesus Cristo, para livrar da condenação eterna todos aqueles que crêem n’Ele.  A Palavra de Deus nos ensina:  “O Senhor nos salvou, não pelos nossos próprios méritos,” mas unicamente em virtude de sua misericórdia” ( Tt 3, 5). Assim disse  São Boaventura :  “Maria, por ser Mãe da misericórdia, nem recusa, nem jamais recusou compadecer-se de nossas misérias, e socorrer os infelizes que imploram o seu auxílio.”   

Conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre (v.55) – Deus sempre mantém a promessa feita ao seu povo, como fez a Abraão de abençoar sua descendência.(Gn 18, 18) “Abraão creu em Deus, e isto lhe foi levado em conta de justiça” (Rm 4,3).

O Catecismo (148) ensina:  “A Virgem Maria realiza da maneira mais perfeita a obediência da fé. Na fé, Maria acolheu o anúncio e a promessa trazida pelo anjo Gabriel, acreditando que “nada é impossível a Deus” (Lc 1,37) e dando seu assentimento: “Eu sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38). Isabel a saudou: “Bem-aventurada a que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido” (Lc 1,45).

O versículo 56 narra que Maria ficou na casa de Isabel e Zacarias por três meses. O Cardeal Tarcísio Bertone ensinou:  “Maria entra na casa de Zacarias. Enfrenta esta aventura. Transcorre tempo com Isabel, participa na vida simples desta família, faz-se companhia.  E é assim que ela doa Cristo, que faz explodir o cântico da boa nova, que torna todos participantes do mistério de Deus feito homem”.

Oração:
Ave-Maria, cheia de graça! \O Senhor é convosco \Bendita sois vóis entre as mulheres \E Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus .\Santa Maria Mãe de Deus, Rogai por nós os pecadores \Agora e na hora de nossa morte. Amém 

Jane Amábile – Com. Divino Espírito Santo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

About these ads

Entry filed under: Reflexão da Palavra. Tags: .

Solenidade da Assunção de Nossa Senhora – Evangelho da Missa da Vigília (tarde ou noite) – 18 de Agosto de 2012 – São Lucas 11, 27-28 Lindíssima Maria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


ADMINISTRADORA DO BLOG:

Jane Amábile

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 99 outros seguidores

Categorias


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 99 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: